Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

GP Mnaco: Trs nomes apontados ao lugar mais alto do pdio

24 de Maio, 2013

A corrida citadina de Mnica disputada no prximo domingo

Fotografia: AFP

O Grande Prémio de Mónaco vai ser disputado no próximo domingo com três grandes candidatos à vitória. O actual tricampeão Sebastian Vettel, da Red Bull, o espanhol Fernando Alonso, da Ferrari, e o finlandês Kimi Raikkonen, da Lotus são apontados como os fortes concorrentes ao lugar mais alto do pódio.

Vettel lidera o Mundial de Pilotos, mas viu a sua vantagem sobre os rivais reduzir, depois de chegar apenas em quarto há duas semanas no GP da Espanha, no circuito de Montmeló. A corrida foi vencida por Fernando Alonso, que chegou à frente de Raikkonen e do brasileiro Felipe Massa (Ferrari), que subiu ao pódio pela primeira vez este ano. O alemão soma 89 pontos, quatro a mais do que o finlandês e 17 a mais do que o espanhol.

Com o grande desempenho da Ferrari em Montmeló, os adeptos da equipa italiana que já chegaram em peso ao principado (Mónaco fica na fronteira da França com a Itália) têm grandes expectativas para a corrida. Para brilhar no domingo, Alonso e Massa têm de melhorar os seus desempenhos no treino classificativo de amanhã. Na Espanha, largaram da quinta e da nona posição.

Nas duas últimas provas, a pole-position ficou com o alemão Nico Rosberg, da Mercedes, que decepcionou na corrida ao ficar em nono no Bahrein e em sexto em Espanha por não controlar o desgaste dos pneus. Esse dado deve ter menos importância no circuito urbano de Mónaco, o mais lento e mais sinuoso, onde é muito difícil fazer ultrapassagens.

A Pirelli, muito criticada pela baixa durabilidade dos seus pneus, informou que vai disponibilizar gomas “macias” e “super-macias” para os carros.
Em Espanha, a maioria dos pilotos precisou de fazer nada menos de quatro paragens por causa do desgaste excessivo dos pneus, mas desta vez a empresa italiana prevê no máximo duas paragens para o GP de Mónaco.

As três últimas edições foram vencidas por pilotos da Red Bull, Vettel em 2011 e o australiano Mark Webber em 2010 e 2012. Fernando Alonso busca o seu terceiro triunfo no principado, após ter levantado o troféu em 2006 e 2007, enquanto Raikkonen levou a melhor em 2005. O finlandês subiu ao pódio em quatro das cinco primeiras corridas da época (vitória na Austrália e terceiro lugar na China, no Bahrein e em Espanha) e a sua Lotus E21 apresenta as características ideais para ter um óptimo desempenho em Mónaco.

“Para mim, não é surpresa nenhuma o nosso bom início de época, porque temos um óptimo carro e trabalhámos muito”, declarou o ‘homem de gelo’.
O último piloto brasileiro a vencer em Mónaco foi Ayrton Senna, há exactos 20 anos, em 1993. Piloto mais vitorioso da história do GP, Senna cruzou a linha de chegada em primeiro lugar seis vezes: a primeira em 1987, antes de levar cinco edições seguidas, de 1989 a 1993.


REGRESSO
Kamui Kobayashi com cores da Ferrari


O japonês Kamui Kobayashi regressou ontem ao paddock da Fórmula 1 pela primeira vez, após perder a sua vaga na equipa Sauber. O piloto asiático acompanha das boxes os treinos livres para o Grande Prémio de Mónaco. Sem vaga na Fórmula 1 após perder o seu carro na Sauber para Esteban Gutiérrez e Nico Hulkenberg, Kobayashi migrou para o Mundial de Endurance, categoria em que compete na classe LMGTE pela equipa da Ferrari. Por isso, o japonês visitou o paddock de Mónaco vestido com as cores da tradicional equipa italiana.

Uma das principais revelações dos últimos anos na Fórmula 1, Kobayashi perdeu o seu lugar na Sauber por falta de patrocínios, uma vez que Gutiérrez e Hulkenberg ofereceram apoios maiores das empresas à equipa. O carismático asiático chegou a criar um site para receber doações de companhias do seu país e adeptos para tentar salvar o seu lugar na equipa suíça, mas acabou sem lugar na grelha.

Actualmente, o japonês compete na classe LMGTE do Mundial de Endurance, a mesma de Bruno Senna, que também perdeu a vaga na F-1 de 2012 para 2013. O brasileiro levou o seu Aston Martin à primeira colocação nas Seis Horas de Silverstone e ao segundo posto nas Seis Horas de Spa-Francorchamps, encerrando as duas provas à frente da Ferrari de Kobayashi.


CIRCUITO URBANO
Rosberg lidera treino em Mónaco


Embalado pelas pole positions conquistadas nas duas últimas etapas da Fórmula 1, o alemão Nico Rosberg dominou o primeiro dia de treino para o Grande Prémio de Mónaco. Após liderar ontem o primeiro treino livre, o piloto da Mercedes repetiu o desempenho no segundo, batendo o britânico Lewis Hamilton, seu companheiro de equipa.

Ontem à tarde, em Monte Carlo, Rosberg foi o único piloto a andar na casa de 1min14s. Ele anotou o seu melhor tempo no 28º minuto dos 90 disponíveis para os trabalhos e não foi ameaçado. Na parte final da sessão, a maioria dos pilotos preferiu fazer simulações de corridas, poupando mais gasolina nos seus veículos.

Rosberg comandou o primeiro treino em Mónaco com 1min16s195 e melhorou o rendimento na segunda sessão, com 1min14s759. A marca é próxima daquela que deu ao alemão Michael Schumacher, também da Mercedes, a liderança do treino classificativo no mesmo circuito no ano passado. Na ocasião, o veterano largava na pole position, depois de cravar 1min14s301, mas foi penalizado com a perda de cinco posições na grelha devido a um acidente anterior com o brasileiro Bruno Senna.

Fernando Alonso ocupou o segundo lugar com o tempo de 1min16s282, seguido do colega de equipa, Felipe Massa, até aos instantes finais da sessão. O francês Romain Grosjean, da Lotus, foi o terceiro classificado. Parceiro de Rosberg, o britânico Lewis Hamilton ficou em quinto lugar. A equipa alemã tem sofrido com o desgaste dos pneus nas corridas e ainda não conseguiu nenhuma vitória na época. O seu melhor resultado foi o terceiro lugar, obtido pelo britânico no GP da Malásia e no da China.

A surpresa da primeira sessão em Monte Carlo foi o venezuelano Pastor Maldonado. Apesar da má fase da Williams, uma das três equipas da F1 que ainda não marcaram pontos na época, o piloto conseguiu a sexta posição, com 1min16s993. Maldonado conta com um bom historial em Mónaco, onde venceu em 2007 e 2009, pela GP2.

Com o resultado, o venezuelano ficou à frente do australiano Mark Webber, sétimo colocado com a Red Bull. O australiano foi seguido pela dupla da McLaren, formada pelo britânico Jenson Button e pelo mexicano Sergio Pérez. Líderes do Mundial de Pilotos, o alemão Sebastian Vettel, da Red Bull, e o finlandês Kimi Raikkonen, da Lotus, não tiveram grandes desempenhos. Vettel terminou a sessão no décimo lugar ao cravar 1min17s380; Raikkonen apareceu uma posição atrás, com 1min17s509.


BRINCADEIRAS DE HAMILTON

Mercedes paga a repórteres


Lewis Hamilton causou na quarta-feira um burburinho com o seu cão, Roscoe, nos bastidores do Grande Prémio de Mónaco de Fórmula 1. O piloto caminhou com o buldog pelo paddock, colocou o animal no “volante” da Mercedes e levou-o para um passeio de jet ski que ia custando caro à equipa alemã.

Ao fazer uma manobra em Mónaco, Hamilton molhou propositadamente as câmaras de fotógrafos e de televisão que acompanhavam a sua performance no jet ski, segundo publica o jornal suíço “Blick”. Muitos telefones celulares dos profissionais de imprensa também ficaram molhados.

De acordo com o diário, a Mercedes pediu desculpas à imprensa e pagou 150 mil dólares (cerca de 15 milhões de kwanzas) para cobrir eventuais danos causados nos aparelhos. A apresentação de Hamilton no jet ski era um evento aberto à cobertura da media. O britânico atendeu os jornalistas na quarta-feira e disse que o GP de Mónaco representa a sua principal oportunidade de vencer em 2013. O raciocínio é amparado pelas dificuldades em fazer ultrapassagens na pista e pelo domínio estabelecido pela Mercedes em voltas rápidas.

A equipa conquistou a pole position das três últimas etapas da F1 (China, Bahrein e Espanha), mas não conseguiu nenhuma vitória no ano devido ao alto desgaste dos pneus nas corridas. O melhor resultado da equipa foi o terceiro lugar, obtido pelo próprio Hamilton na Malásia e na China.
A quarta-feira em Mónaco foi bastante movimentada para Roscoe, ao lado do qual Hamilton foi fotografado várias vezes durante o dia.

O piloto comprou o cão, da raça buldog, em Dezembro passado, e depois pediu ao britânico Bernie Ecclestone, chefe comercial da categoria, uma credencial VIP para o animal poder frequentar o paddock. O piloto teve o desejo atendido e desde então tem levado o cão às provas realizadas na Europa.