Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Grande Prémio Nossa Senhora do Monte arranca amanhã

Helder Jeremias - 19 de Agosto, 2016

Atiradores nacionais juntam-se durante dois dias no Lubango no âmbito das festas da Nossa Senhora do Monte

Fotografia: Nuno Flash

Os atiradores nacionais juntam-se hoje, a partir das 10h00, no fosso olímpico do Clube de Tiro e Pescas do Lubango para efectuarem a sessão de treinos livres e oficiais pontuáveis para o Grande prémio Nossa Senhora do Monte, a ser disputado amanhã e domingo naquelas instalações, no âmbito das festas da cidade do Lubango.

Pontuável para a sexta jornada do Campeonato Nacional de Fosso Olímpico, o torneio conta com a presença das "infantarias" do Interclube, 1º de Agosto, Força Aérea Nacional, Team Socolil, Clube de Tiro Caças e Pescas de Benguela, Clube de Caçadores da Cela, entre outros atiradores individuais vindos das províncias de Malange, Huambo e Bié.

Com a maior parte dos atiradores da capital desde ontem nas terras altas da Chela, a direcção da Federação Angolana de Tiro, na qualidade de órgão supervisor do evento, e os efectivos do clube anfitrião, tudo estão a fazer para que a prova seja coroada de êxitos, o que passa pela mobilização dos meios técnicos e logísticos para que cada atirador entra para as pranchas em igualdade de circunstâncias.

Depois da excelente organização das cinco primeiras jornadas, realizadas pela Força Aérea nacional, no âmbito da abertura da época, seguindo-se dos grandes prémios:  Polícia Nacional; Cidade de Benguela, Interclube e 1º de Agosto, este último disputado dias 30 e 31 de Julho no Regimento de Defesa Antiaérea, à capital do país, os atiradores voltam a ser bafejados pelo agradável clima na bonita cidade do Lubango, em buscas dos mínimos que lhes permitam arrebatar o cobiçado troféu anual.

O atirador do Interclube,  Ricardo Lopes, mostrou-se muito satisfeito por receber na sua província os seus colegas de equipas vindos de Luanda e outras cidades, pelo que espera obter uma média superior ao sétimo lugar granjeado no grande Prémio Zeca França, organizado há pouco mais de duas semanas pelo clube 1º de Agosto, no campo do Cantinton, para comemorar o 39º aniversário do clube militar.

Em declarações ao Jornal dos Desportos, o atirador que foi contratado pela direcção do clube liderado por Alves Simões, depois de se ter sagrado vice-campeão, em 2015, ao serviço do Team Socolil, garantiu a sua prontidão para "abater" o maior número de alvos e ajudar a sua equipa a "galgar" mais alguns degraus na tabela classificativa, rumo à conquista do título, numa altura em que o Nacional inicia a segunda metade.

"As condições estão criadas para que amanhã (hoje), cada um de nós trabalhe para obter os mínimos que se reflictam na forma desportiva, pois estão criadas todas as condições administrativas  e de  acomodação.

O campo do Lubango é caracterizado pela sua boa localização, o que permite um excelente panorama para a projecção do alvo, daí que tudo depende de nós", frisou o atirador.


CAMPEÃO NACIONAL
Paulo Silva busca
recuperação de pontos


O campeão nacional de fosso olímpico, Paulo Silva, está de regresso às competições nacionais, depois de ter faltado na final do Grande Prémio Zeca França, disputada dia 31 de Julho para homenagear o antigo atirador do 1º de Agosto e da Selecção Nacional, no quadro das comemorações do 39 aniversário do clube adstrito às Forças Armadas de Angola.

A residir na província da Huíla, o atirador do 1º de Agosto viu comprometida a sua classificação na tabela classificativa, em virtude de ter que embarcar para a República Federativa do Brasil, para representar o país nos Jogos olímpicos do Rio de Janeiro, daí que se torna imperativo a busca de uma classificação robusta para recompensar o défice que a empreitada internacional implicou.

Depois de três semanas de estágio em Portugal, no âmbito da sua preparação para a maior cimeira desportiva no contesto das nações, em que trabalhou com os nomes mais sonantes do tiro lusófono nas regiões de Lisboa e Portos, com destaque para o "franco atirador", Manuel Marinho, o atirador nacional soube representar a dignidade do tiro angolano, não obstante o desnível dos adversários.

Com a subida de forma, Paulo Silva é apontado entre os principais candidatos à conquista do troféu Nossa Senhora do Monte, mas a "garra" de Francisco Gastão, Jorge Perestrelo, Paulo Guga, Ricardo Lopes, entre os mais precisos homens das espingardas, representa um obstáculo difícil de transpor, pelo que "tudo está em aberto" até a hora do fecho.

"Estamos de regresso e prontos para continuar a trabalhar em defesa do título." perspectivou Paulo Silva.
Helder Jeremias