Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

guas agitadas no Sporting do Bi

JOS CHAVES E SRGIO V. DIAS, NO CUITO - 12 de Junho, 2016

Fotografia: Etson Fabricio

A eleição de novos corpos gerentes do Sporting Clube Petróleos do Bié continua longe da obtenção de consenso, depois dos anteriores cabeças de listas, A e B, Manuel Nunes e Paulo Eduardo Rufino “Príncipe”, verem as suas candidaturas “chumbadas”.

Em consequência da novela que agita as águas no emblema leonino, o presidente da mesa da assembleia-geral do clube, Joaquim de Sousa Júnior, convocou para  sexta-feira a realização de um encontro para constituição da nova Comissão Eleitoral. No encontro, vai ser deliberada  a marcação da data das eleições.

Porém, em Abril, surgiram  alternativas às listas concorrentes outras duas listas: a A, liderada pela ex -basquetebolista dos Dínamos do Bié , Elizabeth do Amaral, e a B, encabeçada por Paulo Jorge Capama.

Depois da realização do pleito eleitoral, as duas listas concorrentes recorreram à Comissão Eleitoral a reclamarem  vitória no escrutínio.

Assim, a Direcção Nacional de Políticas do Desporto do Ministério da Juventude e Desporto (MINJUD), através do oficio nº081/DNPD/2016, datado de 12 de Maio, anulou a eleição, devido ao conflito gerado entre as duas listas concorrentes.

Antes da realização das eleições, durante o acto de abertura das candidaturas, a Comissão Eleitoral considerou inicialmente ilegível quer a lista A, quer a B, por alegados incumprimentos de requisitos exigidos para o efeito.

Em sequência disso,  Manuel Nunes, presidente cessante e que encabeçava a lista A, e Paulo Eduardo “Princípe,” a lista B, viram anuladas as suas candidaturas e, consequentemente, optou-se pelo recomeço de todo o processo pela Comissão Eleitoral. No desenrolar da acção, quer Manuel Nunes, que deu o seu voto de confiança a ex-basquetebolista Elizabeth do Amaral como alternativa  a lista A, e Paulo “Príncipe” a Paulo Jorge Capama, na B, cuja eleição também gerou conflito e também foi anulada.

De resto, enquanto a novela da eleição não conhece um desfecho, os vários sócios do emblema leonino bieno manifestam-se expectantes, com a realização da assembleia convocada para esta sexta-feira, na sede do clube, no Cuito.

Enquanto isso, alguns dos sócios manifestam total insatisfação pelo desentendimento gerado em torno das listas concorrentes, que alegam em nada engrandecer o nome do Sporting Clube Petróleos do Bié.

 LIDERANÇA
Seis presidentes em três décadas

Num período de três décadas, mais concretamente de 1976  ao corrente ano, passaram pelo Sporting Clube Petróleos do Bié um total de seis presidentes de direcção.

O primeiro a assumir os destinos da agremiação leonina, foi Pedro Tiago Sambambi, cujo consulado teve início em 1976.

Depois seguiram-se os consulados, sucessivamente, Albano de Mato, Amílcar Sérgio Brito, Joaquim Barbos, Ana Nogueira Leite e Manuel Nunes, este último na qualidade de presidente cessante de direcção do emblema “verde e branco” do Bié.

O clube foi fundado a 3 de Maio de 1915, na antiga cidade de Silva Porto, actual Cuito, o equipamento tradicional da agremiação comporta a camisola com riscas horizontais verdes e brancas, calções pretos e meias listadas igualmente com as mesmas cores.

A sua sede social situa-se num dos edifícios da Avenida Sagrada Esperança, no Cuito, capital do Bié, local onde está também localizado o pavilhão gimno-desportivo, enquanto o patrocinador oficial é a Total -EP Angola.

A equipa principal de futebol do Sporting Clube Petróleos do Bié participou em quatro edições do Campeonato Nacional de Futebol da I Divisão.

A passagem pelo Girabola não  pode dizer-se que fosse de todo feliz, porquanto, nunca  se manteve na prova por mais de uma época.

De recordar que além do futebol,  a agremiação movimenta outras modalidades, com realce para o basquetebol, andebol, atletismo, ginástica e hóquei em patins, que viu o seu processo de massificação interrompido nos últimos tempos.


FACTO
Verbas no centro
das divergências


Fonte próxima do clube leonino garantiu a este jornal, que o móbil das divergências que se despoletou no seio da agremiação leonina, está relacionado com as verbas que a petrolífera Total -EP Angola disponibilizou, em finais do ano transacto.

Sem especificar o montante, o interlocutor do Jornal dos Desportos, garantiu que o patrocinador oficial do clube ficou vários anos sem atribuir o suporte dos vários projectos traçados pelo Sporting, “mas agora voltou a abrir os cordões à bolsa”.

“Por essa razão, surge a corrida desenfreada para a ascensão ao cadeirão principal do clube”, disse a fonte,  na esperança de ver uma solução oportuna, para que o clube possa seguir com os projectos gizados nas diferentes modalidades.

A fonte  citada acrescentou, por outro lado, que embora o anterior candidato da lista A, Manuel Nunes e presidente cessante, pudesse vir a ser eleito, a grande questão que o dificultaria prende-se com o facto de exercer funções na província do Huambo.

“À  partida, ia dificultar  exercer um acompanhamento próximo da realidade do clube, daí, a recusa de muitos sócios do clube”, disse.

Quanto a Paulo Rufino Eduardo “Príncipe,” assegurou ter várias dívidas para com o clube, além de estar a explorar uma loja anexa ao pavilhão gimno-desportivo, “ faz muito tempo deixou de pagar os valores correspondentes  ao aluguer”.

De recordar  que anteriormente o patrocinador assegurava um montante de cerca de 1 milhão de dólares, por época, para o Sporting Clube Petróleos do Bié.

Polidesporto
Direcção do Gesso
foi empossada sexta


Os novos corpos gerente do FC Super Gesso para os próximos quatro anos, dirigido por Ferreira Felizardo, tomou posse sexta-feira, na cidade do Sumbe, província do Cuanza Sul.

Para vice-presidente foi investido Domingos Maneco, Estefânia Cacolo ocupa o cargo de secretária, enquanto Jack Pombo e Quartim Viola são vogais.
Elvis Lafayete tomou posse como presidente da mesa da assembleia-geral, António Silva (vice), Carmem Salvador, secretária-geral, e Helder Traça e Carlos dos Santos vogais.

A nova direcção tem como prioridade, entre outras tarefas, o relançamento do futebol, andebol e voleibol, além de trabalhar na descoberta de talento, afim de tornar o clube mais coeso e competitivo.

Por sua vez, o director local dos Desporto, Agostinho Cassessa, prometeu apoiar a esta agremiação.