Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Hamilton augura vitória

07 de Março, 2016

Lewis Hamilton pretende evitar o descalabro da época passada na Austrália

Fotografia: AFP

Com os acertos finais nas fábricas, a Fórmula 1 prepara o arranque da época'2016 a 20 do corrente com o Grande Prémio da Austrália. A expectativa à volta do primeiro vencedor de 2016 remete a três nomes da grelha de partida: Lewis Hamilton, Nico Rosberg e Sebastian Vettel.

O primeiro é o campeão em título, depois de dominar as duas últimas épocas com 32 vitórias em 38 Grandes Prémios disputados. A Mercedes liderou um dos oito dias de testes colectivos. O reduzido número não a impede de aparecer como a favorita para o campeonato de 2016. A alta quilometragem e o ritmo demonstrado com compostos de pneus mais lentos já serviram para impressionar os rivais.

Lewis Hamilton procura o tricampeonato consecutivo neste ano, reconheceu que "foram duas semanas incríveis para a equipa". O britânico assegurou que o grupo de engenheiros "fez um trabalho incrível" e a equipa conseguiu "mais quilometragem do que nunca". "Isso foi cansativo", disse.

Os planos para esta época foram tão ousados em termos de quilometragem, que a equipa teve de mudar a programação inicial de contar com um piloto por dia, algo da praxe devido à perda de tempo com a adaptação do cockpit. Após Rosberg e Hamilton terem reclamado de dores nos primeiros dias, os pilotos tiveram de serem revezados no restante das sessões,  cada um a pilotar num período.

Para Hamilton os testes acabaram um pouco antes do previsto. No último dia, o inglês ficou parado na pista por quebrar a alavanca de mudanças, mas nem isso o desanimou para a época. "Estou feliz que tenha quebrado, foi melhor agora do que em Melbourne", disse.

A quebra foi o único problema que a equipa teve durante o teste. Além de ter completado 1284 voltas, o equivalente a 19 corridas e 1.145km a mais que a equipa Toro Rosso, a Mercedes também chamou a atenção na única vez em que um dos seus pilotos colocou pneus macios: Nico Rosberg ficou a poucos milésimos da melhor marca obtida pela Ferrari com o mesmo composto, ainda que a equipa italiana tenha testado por várias vezes com o pneu.

Os actuais campeões mundiais não usaram os dois compostos mais macios (super e ultra-macios), com os quais as melhores voltas do teste foram obtidas.
Lewis Hamilton avisa que tem muito mais por vir. "Forcei um pouco o carro, mas é na Austrália que vamos dar tudo", afirmou.

O seu companheiro foi mais cuidadoso. "A Ferrari foi muito rápida. Todas as equipas têm os seus estrategas. Sabemos mais ou menos o combustível que usaram, assim como o nosso. Entendemos mais ou menos onde estamos. Sabemos que está perto, mas não temos a certeza se estamos à frente ou atrás", disse Rosberg.

WILLIAMS F1
ESTÁ PRONTA


Felipe Massa fechou os testes colectivos da F1, em Barcelona, com um bom dia. O brasileiro fez o terceiro melhor tempo, pouco menos de 0s8 mais lento que o líder Sebastian Vettel e utilizou os pneus super-macios. O piloto do número 19 mostrou-se satisfeito com a sessão e garantiu que a Williams está pronta para a época que começa na Austrália. Felipe Massa exaltou a quilometragem obtida na segunda semana de testes em Espanha.

"Foi muito bom para nós. Conseguimos dar muitas voltas de novo e estou muito feliz nesta semana com a quantidade de voltas que demos e com o trabalho que fizemos para entender o carro", disse. O brasileiro preferiu esperar antes de fazer previsões para a equipa na Austrália, mas garantiu que está pronto para o campeonato.
"Vamos saber mais onde estamos na Austrália, mas estou feliz e totalmente pronto para começar a época", completou.