Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Hamilton busca o tricampeonato no GP de Singapura

16 de Setembro, 2015

Os treinos livres em Singapura têm início na sexta-feira e a corrida é no domingo

Fotografia: AFP

Líder do Mundial de F1, Lewis Hamilton está extremamente confiante na sua capacidade de vencer o GP de Singapura deste fim de semana, 13ª etapa da temporada 2015. São 11 poles, seis vitórias em 12 corridas e, após o abandono de Nico Rosberg no GP da Itália, 53 pontos de vantagem na liderança do Mundial de F1. Natural que a autoconfiança de Lewis Hamilton esteja lá em cima, perto das nuvens... "Estou voando", disse o piloto na prévia da Mercedes antes do GP de Singapura.

Em busca do tricampeonato, ele quer também aquela que seria a terceira vitória no GP de Singapura, que está no calendário da F1 desde 2008. O britânico venceu na noite asiática em 2009, pela McLaren, e em 2014, pela Mercedes. E a motivação é ainda maior duas semanas após um dos melhores desempenhos da carreira na F1.

"Monza foi um fim de semana incrível para mim, um dos melhores que já tive na F1. A equipa fez este carro incrível, e eu não consigo agradecer o bastante a eles por todo o trabalho duro. É claro, é uma pena que Nico tenha abandonado, mas eu sei que ele vai se recuperar e estou ansioso por mais uma batalha em Singapura", afirmou o britânico. No GP da Itália, Hamilton liderou todas as sessões. Na corrida, fez ainda a volta mais rápida e permaneceu em primeiro durante todos os 53 giros, assegurando assim seu segundo grand-chelem.

"Em Singapura, venci duas vezes, ambas largando da pole, o que mostra como a classificação também é importante. Não vai ser fácil conseguir a terceira, longe disso. Mas estou voando no momento e vou brigar por esse hat-trick", destacou. "Esta corrida sempre é um ponto alto da temporada: uma óptima cidade que fica espectacular debaixo das luzes e com um circuito bem traiçoeiro, meu tipo preferido.

Você precisa ficar 100% focado por duas horas, o que é mais difícil do que parece com essa humidade louca. Qualquer pequeno deslize e você está no muro, então a concentração total é crucial", concluiu. Os treinos livres em Singapura terão início na sexta-feira, e a corrida será no domingo.

DA MCLAREM
Alonso e Button esperam mais ritmo


Fernando Alonso e Jenson Button esperam um melhor resultado nas ruas de Marina Bay, em Singapura. Ambos justificaram o optimismo afirmando que o carro da McLaren se adapta melhor a circuitos mais selectivos. Fernando Alonso e Jenson Button têm grandes esperanças de um melhor resultado nas ruas de Marina Bay, em Singapura, neste fim de semana, onde a F1 desembarca para a 13ª etapa da temporada 2015.

O optimismo dos dois pilotos da McLaren se encontra nas características do traçado, que exige menos da força dos motores. Mesmo assim, ambos terão novas unidades de potência à disposição, devido especialmente à sequência de trocas que a Honda promoveu desde o GP da Bélgica, no fim de Agosto.

 O espanhol e o britânico também ressaltaram os desafios de correr no circuito urbano asiático e destacaram o calor como factor de grande preocupação, mesmo com a corrida sendo disputada à noite. "O GP de Singapura é um clássico moderno da F1", disse Alonso. "A corrida não está há muito tempo no calendário, mas já é muito prestigiada. O calor faz desta prova também um GP exigente tanto para os carros quanto para os pilotos, mas estamos esperançosos e acreditamos que o pacote da McLaren-Honda vai nos dar um ritmo mais consistente do que nas últimas corridas", completou o bicampeão.

 Button ainda disse que, devido à melhor adaptação do MP4-30 a esse tipo de circuito, espera ter "alguma diversão" em Singapura. "Cada piloto aguarda com expectativa o desafio de correr em Marina Bay. O calor, a luz artificial, os acidentes e a duração da corrida tornam esse GP um dos mais desafiadores da temporada", afirmou o britânico.

"O nosso carro tem melhor desempenho nesse tipo de circuito, então espero que possamos ter algum divertimento também", acrescentou. A McLaren ocupa no momento a penúltima colocação no Mundial de Construtores, com 17 pontos. E o melhor resultado da equipe inglesa aconteceu no sinuoso e travado circuito de Hungaroring, no fim de Julho, quando Alonso e Button entraram na zona de pontos.

HINWIL
Equipa Sauber estreia
pacote aerodinâmico

A Sauber enfim vai pôr na pista o novo pacote aerodinâmico do C34, já produzido sob a supervisão do novo director-técnico, Mark Smith, e o brasileiro Felipe Nasr afirmou que as actualizações são importantes para o futuro da equipa. Trabalhado há um bom tempo na fábrica de Hinwil, o novo pacote aerodinâmico entra na pista neste fim de semana, em Singapura, na 13ª etapa do Mundial de F1. Um passo que o piloto brasileiro da equipa, Felipe Nasr, considera importante e encorajador.

Nas últimas três corridas, a equipa de Hinwil pontuou com dois décimos e um nono lugares de Marcus Ericsson, e a intenção é conseguir brigar por pontos com maior frequência até o final da temporada. "Temos o nosso novo pacote aerodinâmico aqui, o que é importante e encoraja todos na equipa", afirmou o brasileiro.

Giampaolo Dall’Ara, chefe de engenharia de pista da equipa, destacou que vai ser necessária uma sexta-feira tranquila para que tudo seja devidamente avaliado. "O carro passou por um significativo aprimoramento da parte aerodinâmica", disse. A respeito da expectativa para o que vai encontrar no complicado traçado de Singapura, Nasr se mostrou optimista.

FUTURO
Pirelli condiciona
permanência


Paul Hembery, director da Pirelli, foi directo ao falar sobre uma eventual renovação do contrato com a F1 para o período entre 2017 e 2019. A fabricante italiana exige um tempo maior de testes, como forma de preparação para as mudanças no regulamento. O director de competições da Pirelli, Paul Hembery acredita que será crucial que a empresa italiana tenha 18 dias de testes no próximo ano como forma de se preparar para o Mundial de 2017, ano que a F1 deve sofrer mudanças drásticas no regulamento.

O pedido, entretanto, está condicionado à renovação do vínculo da fabricante como fornecedora oficial de pneus da categoria. Bernie Ecclestone já manifestou o desejo de ver a permanência da Pirelli por mais um período na F1, mesmo depois das falhas ocorridas em Spa-Francorchamps. O novo acordo vai valer entre 2017 e 2019. A única concorrente da marca de Milão no momento é a Michelin, que também se inscreveu no processo selectivo da F1. Entende-se que uma decisão deve acontecer nas próximas semanas.

 Ainda, para 2017, a largura do pneu traseiro será de 425 mm e 325 mm no dianteiro, o que significa um aumento de 100 mm e 80 mm, respectivamente. A iniciativa pretende deixar os carros mais velozes, entre cinco e seis segundos por volta. "A única coisa que precisa acontecer é ter um programa de testes adequados, e os principais pilotos devem estar envolvidos no desenvolvimento do produto que queremos entregar para a temporada", disse o inglês.

 "Nós precisamos de seu envolvimento porque são eles que andam no limite, mais do qualquer  outros. Porém, neste momento, não temos nenhum teste, eles não estão envolvidos, então, como se pode imaginar, há uma enorme discrepância, e isso, na minha opinião, não é normal", acrescentou.
 "Agora, estamos esperando uma decisão. E a primeira fase consiste em definir o que nós precisamos e há muitas propostas que foram apresentadas. Uma vez que isso seja definido, teremos de ver como encaixar as medidas em um calendário tão intenso quanto do ano que vem, e em um carro que será diferente do actual."

 Questionado sobre o que realmente é necessário para a Pirelli, Hembery disse: "Eu gostaria de sugerir seis sessões de testes de três dias para cada ano." De acordo com o director, os testes são uma condição e que, se o pedido não for atendido, a marca pode até deixar o campeonato. "Para nós, testar é uma condição. Você não pode continuar em um ambiente em que não pode fazer o seu trabalho", explicou o britânico. "Não nos foi dado o apoio necessário para desenvolver tudo que gostaríamos, e temos feito pedidos sistematicamente", declarou.