Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Hamilton contra a proibio do uso de rdio

02 de Julho, 2015

Lewis Hamilton corre domingo num circuito que espera vencer para aumentar a vantagem na liderana sobre o seu companheiro de equipa Nico Rosberg que est confiante aps o triunfo no Grande Prmio da ustria

Fotografia: AFP

O britânico, Lewis Hamilton, é contrário à possível proibição do uso de rádio entre pilotos e equipas da Fórmula 1, mas acredita que a interrupção da comunicação pode fazer pouca diferença nas provas.

Os principais críticos do uso do equipamento reclamam que são exageradas as quantidades de informações relativas a pneus, motor e níveis de combustível levadas aos condutores.

O campeão mundial em título, disse que os pilotos recebem actualmente, menos informações em comparação com anos anteriores e ainda sugeriu, que as pessoas estão apenas à procura de algo para culpar, por não estarem satisfeitas com algumas coisas.

“O que você acha que vai acontecer, se eles não me disserem algo sobre pneus? Eu estarei a pilotar do mesmo jeito. E se eles não nos disserem nada sobre combustível, talvez mais carros não vão terminar (as corridas). Se isso for mais emocionante, então poderemos fazer isso”, comentou o líder do Mundial 2015, com 169 pontos.

“Mas nós temos muito menos informações agora do que há anos atrás. Antes, tínhamos muito mais. Eu, realmente, não sou o certo. As pessoas estão à procura de algo para culpar, porque não estão satisfeitas com alguma coisa”, acrescentou o britânico.

Contrário à proibição do uso do rádio, Lewis Hamilton argumentou e  ressaltou a importância da assistência dos engenheiros na análise de desempenho dos pneus na era do alto consumo de combustível.

“Você não pode sentir o quanto de combustível está a  usar, você conduz  de forma rápida quanto pode a maior parte do tempo e então é necessária alguma orientação. Quanto aos pneus, às vezes eles começam a perder borracha e é difícil perceber, já que as alterações são muito subtis. Não sabe quando é que as temperaturas vão cair, e é  quando se precisa de orientação”, encerrou o piloto da Mercedes.

  EM CASA DE HAMILTON
Rosberg confia em nova vitória


A viver um período de muita confiança, depois da vitória no Grande Prémio da Áustria em que conseguiu superar o seu companheiro de equipa e líder do Mundial Lewis Hamilton, o alemão Nico Rosberg, conta  com a boa quilometragem obtida no último teste da Fórmula 1, para projectar uma nova vitória no campeonato, desta vez em casa do rival Hamilton, no GP da Inglaterra, que se disputa domingo no tradicional Circuito de Silverstone.

“Com o dia extra de trabalho no carro, no teste sinto-me pronto para ir para o ataque  num circuito de que gosto muito”, afirma Rosberg. “O traçado é bem adequado ao nosso carro. E aprendemos muitas coisas úteis no teste. Então, tenho a certeza de que estarei forte de novo na disputa.” 

Rosberg representou a Mercedes no segundo dia de testes no Circuito de Spielberg. Com a possibilidade de passar mais tempo a pilotar o modelo 2015 da equipa, o alemão ganhou certa vantagem em comparação a Hamilton numa época da F1 em que são raros os testes - no primeiro dia de testes, o carro da Mercedes foi pilotado pelo reserva Pascal Wherlein.

Em Silverstone, Rosberg admite que vai  enfrentar a claque local que vai apoiar Hamilton. Mas diz não se preocupar com a preferência dos adeptos.
“É claro que eles têm o seu favorito. Mas espero que haja uma boa disputa para manter o interesse dos amantes da modalidade”, disse o piloto alemão.