Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Hamilton e Vettel os grandes protagonistas da temporada 2018

Altino Viera Dias - 05 de Janeiro, 2019

Frmula 1 disse adeus a temporada 2018 com a consagrao de Lewis Hamilton e da Mercedes

Fotografia: DR

Em 2018 a Fórmula 1 viveu a sua 69ª temporada. Teve o seu inicio no dia 25 de Março em Alberto Park e finalizou em Yas Marina, no dia 25 de Novembro. Diferente de 2017, em 2018, o Grande Prémio da Malásia ficou de fora e os da França e Alemanha, respectivamente retornaram no certame.
O campeonato foi tido como monótono em termos de disputas pelo titulo de pilotos e de equipas, visto que em 2017 os intervenientes foram os mesmos, tal como os resultados, com Lewis Hamilton e a Mercedes campeões e Sebastian Vettel e a Ferrari vices.
A Ferrari e Vettel voaram para 2018 com o intuito de pôr um fim à hegemonia da Mercedes e de Hamilton. Começaram da melhor maneira o campeonato, nas dez primeiras corridas Vettel tinha um saldo superior aos demais pilotos (4 vitórias), Hamilton (3), Ricciardo (2) e Verstappen (1).
Mas a campanha de Vettel pelo título começou a desmantelar nos Grandes Prémios da Alemanha, Hungria, Itália, Singapura, Rússia  e Japão, pois Hamilton venceu todos.
Em  Monza (Itália), pista mágica da Ferrari, os Tiffosis assistiram “o pesado na vida real”, Hamilton “despachou” os ferraristas (Vettel e Raikkonen) que partiram  na linha da frente e eram os grandes favoritos. O inglês Lewis Hamilton começava ali (em Monza) a desenhar aquele que seria o seu quinto título mundial com uma sucessão de vitórias, pois a última de Vettel foi justamente no GP da Bélgica antes do da Itália.
Vettel cometeu uma sucessão de erros sob pressão, parecia ter dado um tiro ao próprio pé. Ao contrário de  Vettel, Hamilton soube como lidar com a pressão e aproveitou da melhor maneira os erros deste, sagrando-se penta campeão, juntando-se assim a Jean Manuel Fangio, deixando Alain Prost e Sebastian Vettel cada com quatro títulos. O mais impressionante foi a forma como o piloto alemão perdeu o campeonato.
Por um lado, assistiu-se nos GP a disputa pelo terceiro lugar entre Kimi Raikkonen, Valtteri Bottas e Max Verstappen. O primeiro, apesar de não terminar a última corrida, conseguiu sair em terceiro no campeonato. Por outro lado, a disputa pelo sétimo lugar foi entre Nico Hulkenberg, Sérgio Pérez, Kevin Magnussen, Carlos Sainz Jr, Fernando Alonso e Esteban Ocon, o primeiro também não terminou a última corrida, mas conseguiu manter o lugar (sétimo).
Na  Mercedes, Hamilton cumpriu bem o seu papel e justificou o porquê de a escuderia ainda ser o alvo a abater, já Bottas foi um autêntico desastre, não conseguiu impedir a estatística negativa de ser o primeiro piloto da era dos motores híbridos a não conseguir sair abaixo do segundo lugar e de não ter vencido nenhum GP em 2018.
Na Ferrari, Vettel encerrou a sua participação com uma derrota frente ao seu arqui-rival, Hamilton, contrariando os prognósticos feitos por muitos que julgavam que em 2018 ele seria o penta. Raikkonen conseguiu terminar o seu jejum de vitórias e concluiu o campeonato num surpreendente terceiro lugar.
Já na Red Bull, Ricciardo e Verstappen trocaram de lugares. Em termos de desistências, o primeiro foi o líder nas equipas de top e terminou em sexto no campeonato, já o segundo demonstrou mais maturidade, rapidez, performance e conseguiu arrancar o quarto lugar do campeonato a Bottas da Mercedes.
No GP de Abu Dhabi, assistimos pela “última vez” a corrida de Fernando Alonso um dos maiores dinossauros  da modalidade. O piloto espanhol, a par de Raikkonen, Hamilton e Vettel, estava entre os únicos com títulos na Fórmula 1. Em 2018, os estreantes Charles Leclerc e Pierre Gasly foram os melhores \'novatos\' do campeonato e tal reconhecimento veio com o anúncio da sua ascensão para as equipas \'mães\' em 2019 (o primeiro vai correr na Ferrari e o segundo na Red Bull).
A temporada de 2018 terminou assim a nível de pilotos. em primeiro Hamilton com 408 pontos, seguido de Vettel (320), Raikkonen (251), Verstappen (249), Bottas (247), Ricciardo (170), Hulkenberg (69), Pérez (62), Magnussen (56), Sainz Jr (53), Alonso (50), Ocon (49),Leclerc (39), Grosjean (37), Gasly (29), Vandoorn (12), Ericsson (9), Stroll (6), Hartley (4) e Sirotkin (1).
Quanto a equipas, a ordem foi a seguinte: Mercedes, Ferrari, Red Bull, Renault, Force India, Haas McLaren, Sauber, Toro Rosso   e Williams.