Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Hamilton e Vettel travam maior luta

14 de Outubro, 2015

Lewis Hamilton perspectiva batalha forte pelo título com Sebastian Vettel no próximo ano

Fotografia: AFP

Lewis Hamilton não vê mais Nico Rosberg como o seu grande rival na F1. O britânico já pensa em 2016, quando anseia em lutar com Sebastian Vettel pelo título.
“Gostaria de ver uma batalha entre nós”, disse o piloto da Mercedes, que revelou admiração pelo tetracampeão mundial.

Lewis Hamilton e Sebastian Vettel têm o mesmo número de vitórias na F1: 42. São os grandes campeões da década: o alemão liderou a dinastia da Red Bull e facturou os títulos entre 2010 e 2013. Daí em diante, só deu Lewis, que está muito perto de sacramentar a conquista de mais uma Taça do mundo. O britânico anseia muito em enfrentar de igual para igual Vettel em 2016, ano em que a Ferrari projecta ser ainda mais forte e planeia lutar para valer com a Mercedes pelo título.
“Se pendurasse as minhas luvas e fosse apenas mais um fã, gostaria de ver nós dois, um contra o outro. Estou super empolgado em fazer isso”, declarou Hamilton em entrevista à emissora britânica Sky Sports.

Lewis não economizou palavras positivas para descrever o seu provável futuro rival nas pistas. “Sebastian é original. É um grande piloto e tem boa personalidade. É um cara divertido e estou ansioso para corrermos juntos por muitos outros anos”, destacou o bicampeão durante a festa da Mercedes pela conquista do título do Mundial de Construtores.

A quatro etapas para o fim da época - Estados Unidos, México, Brasil e Abu Dhabi -, Hamilton sustenta uma vantagem confortável de 66 pontos para o segundo classificado, justamente, Vettel, graças à vitória obtida no último domingo no GP da Rússia, depois do abandono de Nico Rosberg.


POLÉMICA
Líder do mundial culpa
“foto estranha” de Putin


Lewis Hamilton ganha muito champanhe nos últimos dias que fazem notícias em todo o mundo. Após mais uma vitória, no Grande Prémio da Rússia do último domingo, o virtual tricampeão mundial foi acusado de ter espirrado a bebida no presidente da Rússia, Vladimir Putin.

Uma foto em particular deu a impressão de que Lewis Hamilton não se fez de rogado e molhou Vladimir Putin, enquanto o presidente deixava o pódio em Sóchi. Lewis Hamilton negou veementemente esta informação.

"Não fiz isso. Não espirrei bebida ao Presidente da Rússia. A foto é estranha, mas não espirrei nada ao Chefe de Estado da Rússia. Definitivamente, não quero que aconteça alguma coisa", disse com um sorriso em entrevista à rede de TV inglês Sky Sports.

A referência sobre não querer que algo aconteça é directa ao quase misticismo que envolve a pessoa Putin mais que o Premier Putin. Figura peculiar, o Presidente da Rússia tem fotos famosas, como a que 'enfrenta' um urso - sem camisa. Além disso, Putin é faixa preta de judo e grande fã das artes marciais. Todos os bons motivos para não mexer com Vladimir Putin. Além de ser Presidente de um país, o que vem com toda uma liturgia.

No início da época, em Abril, Lewis Hamilton foi criticado por despejar champanhe no rosto de uma das hostess do Grande Prémio da China, o que gerou uma onda imediata de críticas.   Nas duas últimas épocas, Lewis Hamilton foi ao pódio 29 vezes.


Apesar de ficar abismado com a tamanha diferença, Lewis Hamilton disse que o campeonato não está terminado.
“Não acredito que tenho tantos pontos e tanta diferença. Nunca tive isso, mas ainda estou ciente de que há vários pontos em disputa”, disse.
O líder do campeonato decifrou o caminho da humildade que o leva ao terceiro título.

“Se as coisas correrem conforme o planeado, devo estar numa boa posição. Mas nunca pode dizer nunca. Tenho de abaixar a cabeça, ir para cima e tentar conquistar tudo o que falta”, concluiu.

Os dias de domínio da Mercedes na Fórmula 1 podem estar contados. A equipa alemã admite que a Ferrari pode melhorar ainda mais a sua performance em 2016, depois da grande evolução evidenciada em 2014, época em que conquistou dois pódios e, no ano corrente, já soma três vitórias e 13 pódios.

O chefe da Mercedes, Toto Wolff, aposta que a próxima época vai ser uma das maiores disputadas da história entre Lewis Hamilton e Sebastian Vettel.
"A Ferra está a ter performances impressionantes e isso pode tornar-se numa das maiores rivalidades do desporto e entre pilotos de equipas diferentes", afirmou o austríaco.

Wolff defende que o crescimento da Ferrari é positivo para a Fórmula 1 e espera um duelo mais equilibrado na próxima época.
"É muito bom e vão desafiar-nos, pois são uma equipa contra a qual todos sonham em lutar. Esperamos que estejam realmente fortes no próximo ano. Mostraram um grande desempenho antes mesmo do esperado. Têm um bom grupo de pessoas e um carro muito bom. Por isso, estamos ansiosos por uma grande luta em 2016", disse.

A quatro corridas do final da época, a Mercedes já selou o título de bicampeã mundial de Construtores no Grande Prémio da Rússia. O segundo título consecutivo aconteceu no mesmo palco do primeiro, ante o olhar da Ferrari, que não consegue lutar de igual para igual com a Mercedes. Dentro de duas semanas, Lewis Hamilton também pode conquistar o segundo título consecutivo e o terceiro da carreira nos Estados Unidos da América, em Austin. O inglês precisa marcar nove pontos a mais que Sebastian Vettel.