Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Hamilton feliz com desempenho

26 de Julho, 2016

Hamilton eliminou quarenta e três pontos entre si e ex-líder Rosberg

Fotografia: AFP

O piloto britânico Lewis Hamilton depois de conquistar a sua quinta vitória no GP da Hungria e tornar-se o maior vencedor do circuito de Hungaroring na Fórmula 1, comentou a felicidade de assumir a liderança do campeonato, pela primeira vez nesta temporada, em que ultrapassou o principal rival e companheiro de equipa, Nico Rosberg.

“Ainda tenho a mesma mentalidade de lutar, estou a lutar. Tem sido muito bom poder voltar com menos motores, com a força que tivemos no início do ano. Então, estou muito, muito orgulhoso disso, mas consciente que ainda há um longo caminho pela frente”, disse o tricampeão mundial.

Hamilton conseguiu eliminar a distância de 43 pontos entre si, e o ex-líder Rosberg, no campeonato. Em Maio, no GP de Espanha, era essa a diferença, entretanto venceu as três últimas corridas, o piloto inglês planeia embalar na sequência ainda maior para provar a sua soberania, na principal categoria de automobilismo.

Apesar da boa fase, Hamilton lembrou que em breve tem de cumprir uma punição, largar na parte de trás da grelha, por causa do número excessivo de motores usados até o actual estágio da temporada. Por isso mesmo, o actual campeão mundial sabe da importância de somar o maior número de pontos possíveis.

“Eu realmente gostava sair da próxima corrida, com um resultado igual ao que conquistei no final de semana, mas em Spa ou Monza qualquer que seja o GP, terei de cumprir a minha punição. Tenho de ter a certeza que continuo na luta, como em fins de semana de Silverstone, a partir de agora”, completou.

NA corrida da Hungria, os dez primeiros tinham pneus supermacios e ninguém conseguia ultrapassar ninguém. Até à 15.ª volta, o único facto interessante da corrida foi a punição a Jenson Button, orientado por rádio pela McLaren a não trocar de marchas. A nova regra da Fórmula 1 é clara e a interferência da equipa causou uma verdadeira condução obrigatório. Mais para frente, ele foi o único a abandonar.

Vettel e Verstappen foram os primeiros a parar. O ferrarista aproveitou o bom trabalho da equipa e voltou logo à frente de Kimi Raikkonen, em quarto lugar, enquanto o finlandês ficou a aguentar o jovem holandês, em sexto lugar. Ali, começava a disputa mais interessante da corrida.

Quando a dupla da Mercedes parou, entretanto, nada mudou. Hamilton manteve o primeiro lugar com alguma folga sobre Rosberg, que inicialmente era mais pressionado por Ricciardo do que ameaçava o companheiro. O australiano voltou às boxes, por estratégia para tentar a ultrapassagem depois, quando o alemão parásse pela segunda vez.