Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Hamilton garante \" pole position\" no GP de Espanha

14 de Maio, 2017

Britânico Lewis Hamilton dominou último treino de classificação

Fotografia: Fadi Al-Assaad | AFP

Lewis Hamilton foi o mais rápido ontem, no treino classicatório para o Grande Prémio de Espanha e fez a pole position, a sua terceira no ano, com o tempo de 1min19s149.Com um novo pacote aerodinâmico e mudança do centro de gravidade do carro, a Mercedes voltou a ser a mais rápida. Contudo, a diferença em relação a Ferrari foi pequena, já que a segunda posição ficou com Sebastian Vettel, com 1min19s200.

A segunda fila vai ser formada por um carro da Mercedes e um da Ferrari. Valtteri Bottas fez o terceiro melhor tempo, com 1min19s373, seguido por Kimi Raikkonen, com 1min19s439. Felipe Massa, apesar da Williams não apresentar um rendimento tão bom, classificou-se no Q3 e conquistou a nona colocação, largou na quinta fila, ao lado de Esteban Ocon, em décimo. Quanto a Fernando Alonso surpreendeu e alcançou o sétimo lugar com a McLaren, com 1min21s048.

Q1
Entre o final do treino livre e o início do classificatório, Sebastian Vettel teve de trocar o motor. No início do Q1, o problema parecia resolvido, voltou a atrapalhar, e a Ferrai mandou o tetracampeão para o carro, imediatamente. A questão foi solucionada rapidamente, e o alemão avançou sem maiores dificuldades.

Quem não teve vida fácil, foi Felipe Massa. Com um baixo rendimento da Williams, Felipe Massa passou a raspar o Q2, fez o 14º melhor tempo, na primeira fase do treino classificatório.Os cinco eliminados foram de equipas diferentes, e vão largar nas últimas posições. São eles:
Marcus Ericsson, da Sauber; Jolyon Palmer, da Renault; Lance Stroll, da Williams; Stoffel Vandoorne, da McLaren; e Daniil Kvyat, da Toro Rosso.

Q2
O destaque do Q2 ficou por conta de Fernando Alonso, que não completou as quatro primeiras corridas do ano, enfrenta problemas na McLaren, principalmente, em relação ao motor. Porém, o bicampeão mais uma vez mostrou a sua qualidade ,e  tirou proveito do carro, avançou ao Q3 pela primeira vez na temporada, que levou ao delírio a torcida espanhola.Felipe Massa, que sofreu no Q1,  classificou-se com o oitavo melhor tempo.

Em relação as Ferraris, as Mercedes e as Red Bulls passaram sem grandes problemas. Os dois carros da Force India também estiveram bem na fase final.Cinco pilotos não  avançaram e pararam na parte intermediária do treino: Kevin Magnussen, da Haas; Carlos Sainz, da Toro Rosso; Nico Hulkenberg, da Renault; Romain Grosjean, da Haas; e Pascal Wehrlein, da Sauber.

Q3
Na fase final do treino, a luta entre Mercedes e Ferrari foi travada até aos segundos finais do treino. Melhor para Lewis Hamilton, que foi o mais rápido e garantiu a pole, seguido por Vettel, Bottas e Raikkonen.Alonso continuou a surpreender e colocou a McLaren na quarta fila, na sétima colocação.  Felipe Massa vai largar em nono. Max Verstappen e Daniel Ricciardo, ambos da Red Bull, ficaram em quinto e sexto, respectivamente.

O Grande Prémio de Espanha acontece hoje, domingo.  A disputa promete ser emocionante,  nos últimos dez anos, dez campeões diferentes triunfaram em Barcelona. Em 2016, o vencedor foi Max Verstappen, que tornou-se o piloto mais jovem a vencer uma corrida na história da F1.Relação dos dez da grelha de partida: 1: Lewis Hamilton (GBR/Mercedes): 1min19s149, 2: Sebastian Vettel (ALE/Ferrari): 1min19s200, 3: Valtteri Bottas

(FIN/Mercedes): 1min19s373, 4: Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari): 1min19s439, 5: Max Verstappen (HOL/Red Bull): 1min19s706, 6: Daniel Ricciardo (AUS/Red Bull): 1min20s175, 7: Fernando Alonso (ESP/McLaren): 1min21s048, 8: Sergio Pérez (MEX/Force India): 1min21s070, 9: Felipe Massa (BRA/Williams):1min21s232,10: Esteban Ocon (FRA/Force India): 1min21s272.

REVELAÇÃO
Mercedes nega
ajuda a McLaren


O chefe da equipa Mercedes, Toto Wolff, garantiu  na sexta-feira, que a equipa alemã não está a colaborar com a McLaren e a Honda, para solucionar os problemas com o motor do carro da equipa britânica. Durante uma entrevista, os responsáveis das equipas no GP de Espanha, Wolff foi questionado sobre os boatos, de que a Mercedes estava a auxiliar a Honda. "Não quero contribuir com isso", disse.

Também perguntaram a Wolff se o espanhol Fernando Alonso tinha o perfil para pilotar um carro da Mercedes ,na próxima temporada, já que o espanhol fica livre para negociar com outras equipas, em 2018, e mostra insatisfação com a confiabilidade da McLaren. O chefe da Mercedes sorriu e negou-se a responder, mas acabou por falar da situação da equipa rival.

"A Honda é uma grande companhia, e de muito sucesso. Não tenho nenhuma dúvida de que voltam a estar onde pensam que pode chegar. Por isso, não acredito que a McLaren vá mudar de motores", disse. Sobre o desempenho da Mercedes, que conquistou a dobradinha nos dois treinos livres desta sexta-feira, Wolff afirmou estar contente com os resultados, que segundo ele, foram obtidos graças às actualizações instaladas nos carros, hoje.

Para o chefe da Mercedes, os principais problemas que as equipas estão a enfrentar, nessa temporada, é encontrar uma "boa relação" entre o chassis, a suspensão e os pneus. "Às vezes, aparecem problemas nesses componentes, de acordo com a configuração que é usada. Inclusive, há contratempos externos, como o vento", explicou Wolff.