Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Hamilton ironiza a Red Bull

28 de Março, 2015

Lewis Hamilton achou engraçada a opinião de uma equipa que dominou a categoria duramte muito tempo

Fotografia: AFP

O segundo teste livre e as classificativas para o Grande Prémio da Malásia realizam-se hoje, no circuito de Sepang e o britânico Lewis Hamilton, actual campeão mundial de Fórmula 1, ironizou o pedido da Red Bull para que a FIA faça mudanças no regulamento da categoria para neutralizar o domínio da Mercedes.

“Isso é engraçado para mim, pois é uma opinião interessante que vem de pessoas que obtiveram muito sucesso. Além disso, só tivemos apenas uma corrida. Quer dizer, é engraçado ver declarações assim após somente a primeira prova do ano”, disse o vencedor do Grande Prémio da Austrália.

Na semana passada, Christian Horner, chefe da Red Bull, fez o pedido para que os rendimentos dos motores das equipas da Fórmula 1 sejam igualados. Hamilton aproveitou para lembrar que a Mercedes não se queixou durante o período de domínio amplo da Red Bull, tetra-campeã de construtores e de pilotos, com o alemão Sebastian Vettel, entre 2010 e 2013.

“Há mais de mil pessoas a trabalhar nas duas fábricas para construir o melhor carro. Fizemos com as mesmas regras e os mesmos recursos que tiveram as outras equipas de cabeça. Estou muito orgulhoso disso”, disse.

VETTEL E RAIKKONEN
FESTEJAM EVOLUÇÃO

Os pilotos da Ferrari elogiaram as melhorias que a equipa fez, depois dos teste de pré-época e o desempenho animador na Austrália.

O novo contratado, Sebastian Vettel, disse que está muito mais feliz com o carro, do que o ano passado com a Red Bull.

O tetra-campeão de Fórmula 1 juntou-se ao finlandês Kimi Raikkonen, na equipa italiana, após fracassar na tentativa de defender o título na época passada e pareceu confortável com o terceiro lugar no Grande Prémio de abertura da época em Melbourne.

Apesar de ambos os carros ainda parecerem longe do ritmo definido pela dupla dominante da Mercedes, Lewis Hamilton e Nico Rosberg, a Ferrari conseguiu superar a Red Bull e aparece à frente também da Williams na disputa pelo segundo lugar.

“É natural que os carros avancem e para ser sincero, desde o primeiro dia senti-me bem feliz”, disse Vettel aos repórteres.

Kimi Raikkonen concordou com o seu colega de equipa e espera uma campanha melhor depois de falhar o pódio na última época, com um quarto lugar na Bélgica como o  melhor resultado.

“Queremos ficar à frente e ainda não temos a velocidade, pelo menos nos treinos classificativos, para chegar lá. Na corrida, estamos um pouco mais fortes comparados a Mercedes, mas vaticino um ano divertido”, completou o finlandês.


PILOTO SUPLENTE

Equipa Williams contrata Adrian Sutil


A Williams anunciou a contratação do alemão Adrian Sutil, para seu novo piloto suplente, para a época de 2015 da Fórmula 1. O veterano de 32 anos de idade foi confirmado para a função em meio à incerteza da real condição do titular Valtteri Bottas, que ficou fora do Grande Prémio da Austrália, há menos de duas semanas, por causa de uma lesão nas costas. O finlandês foi autorizado para a disputa do Grande Prémio da Malásia, neste domingo, em Kuala Lumpur.

Demitido da Sauber, no final da época passada da F1, Adrian Sutil estreou na categoria máxima do automobilismo pela extinta equipa Spyker, em 2007, e também teve duas passagens pela Force India. De lá para cá, disputou um total de 128 provas e agora festeja a oportunidade de poder trabalhar para a Williams.

“Estou muito orgulhoso por fazer parte de uma equipa famosa e grande como a Williams. Trabalhar para o Sir Frank Williams e a sua equipa significa muito para mim. Gostaria de agradecer a todos da Williams pela fé nas minhas qualidades e pela oportunidade de trabalhar com um equipamento tão bem-sucedido e competitivo”, afirmou Sutil, que vai ser suplente do brasileiro Felipe Massa e de Bottas. Contratado inicialmente para trabalhar no simulador da equipa inglesa para uma rápida integração na equipa, o alemão conta com a confiança de Frank Williams, director e fundador da equipa, caso o piloto precise de assumir o posto de titular a qualquer momento desta ou das próximas épocas da F1.

“Estou muito feliz de ter Adrian junto aos nossos estáveis pilotos para a época de 2015. Adrian traz extensa experiência de corrida, resultante de 128 Grandes Prémios de F1 durante a sua carreira”, ressaltou Frank Williams, que depois destacou que Sutil é um “sólido” piloto para ajudar a equipa.

Antes de Adrian Sutil ser contratado, Bottas lesionou-se nas costas durante o treino de classificação para o Grande Prémio da Austrália, em Melbourne. Sem o finlandês, a Williams disputou apenas com Felipe Massa a prova que abriu a época.
 O brasileiro fechou a corrida em quarto lugar.


EQUIPA SAUBER

Nasr irritado
com pay-driver


O brasileiro Felipe Nasr recusou o título de “pay-driver” (pilotos que pagam para correr) durante a conferência de imprensa que antecede o Grande Prémio da Malásia, que se disputa amanhã no circuito de Sepang, em Kualu Lumpur. O patrocínio que recebe das empresas, está na base das pessoas inferirem que o piloto paga para ter espaço na F1. A Sauber recebe verbas do Banco do Brasil, que investe no desporto devido à presença do brasileiro.

“Nunca paguei para correr. A minha família não teria dinheiro suficiente para comprar um cockpit . Por outro lado, sempre houve empresas que acreditaram no meu talento e começaram a dar-me suporte desde o início da minha carreira”, declarou o brasileiro.

O mais jovem piloto brasileiro a conquistar a melhor classificação de sempre na corrida de estreia na F1 assegurou que “é curioso que essa história de pay-driver tenha surgido”.

“Em 2009, tive a oportunidade de escolher um projecto (de patrocínio) adequado para mim, incluindo a Red Bull ou Gravity. Então, qual é a diferença entre a Red Bull a pagar a minha carreira ou o Banco do Brasil a apoiar-me?”, questionou.

Sobre a corrida de amanhã, Nasr definiu que após o quinto lugar conquistado em Melbourne, está com “fome” de fazer mais pontos e superar-se em cada prova.

“Definitivamente um resultado desses deixa-te com fome de fazer mais. Os meus objectivos não mudaram: marcar pontos, o máximo que puder. E as primeiras corridas são as melhores oportunidades de fazer isso, já que algumas equipas estão a lutar pela confiança nos seus carros. A hora é agora”, finalizou.

O piloto não participou dos treinos livres de ontem, em que foi substituído pelo suplente Raffaele Marciello. O motivo da troca não foi explicado pela Sauber.