Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Hamilton larga em primeiro

05 de Julho, 2015

Lewis Hamilton integra a lista restrita de melhores pilotos da maior corrida automóvel do mundo com melhores desempenhos nas largadas e pontos no ranking mundial

Fotografia: AFP

Diante da claque britânica, Lewis Hamilton tornou-se no terceiro piloto com mais pole positions na história da Fórmula 1. O representante da Mercedes atingiu o feito ao garantir a primeira posição da grelha do Grande Prémio da Inglaterra com a marca de 1min32s248.

Em Silverstone, Lewis Hamilton alcançou a 46ª pole da sua carreira, a oitava na presente época que na Inglaterra chega à sua nona prova. Assim, Hamilton deixa para trás o alemão Sebastian Vettel, tetracampeão mundial da categoria, e isola-se na terceira posição do ranking.

Lewis Hamilton aparece atrás apenas de Ayrton Senna e Michael Schumacher na lista. O brasileiro, tricampeão da categoria, largou na pole position em 65 provas. O alemão, heptacampeão da Fórmula 1, começou à frente 68 vezes na divisão de elite do automobilismo mundial.

Em casa, o britânico da Mercedes divide a primeira fila da grelha em Silverstone com o alemão Nico Rosberg, o seu companheiro de equipa. O filho de Keke Rosberg anotou 1min32s361 como melhor volta na fase final do treino classificativo e foi superado por Lewis Hamilton no treino uma vez mais.
Silverstone é a nona etapa do calendário da Fórmula 1. A oitava com Lewis Hamilton à frente da grelha de largada. O britânico só não fez a pole no Grande Prémio da Espanha, quando Nico Rosberg ocupou a posição de honra.

A segunda fila vai ser dos pilotos da Williams. Felipe Massa garantiu a terceira posição com a marca de 1min33s085, seguido pelo finlandês Valtteri Bottas, com 1min33s149.

Atrás aparecem os representantes da Ferrari. Kimi Raikkonen, com 1min33s379, ficou em quinto, à frente de Sebastian Vettel. Daniil Kvyat, Carlos Sainz Jr., Nico Hulkenberg e Daniel Ricciardo completam a lista dos dez primeiros colocados.

O brasileiro Felipe Nasr, mais uma vez, sofreu com a falta de competitividade da Sauber, equipa que não desenvolve o seu carro por falta de dinheiro. O brasileiro foi eliminado no Q1 em Silverstone e larga na 16ª posição, atrás do sueco Marcus Ericsson, o seu companheiro de equipa.


EM 'DIA ESPECIAL
Piloto inglês celebra apoio da claque


Lewis Hamilton não escondeu a felicidade pela pole position obtida no ontem para o Grande Prémio da Inglaterra. Após superar Nico Rosberg na luta pela liderança em Silverstone, o inglês citou as dificuldades enfrentadas com o carro no fim de semana e o apoio da claque como factores fundamentais para que tivesse um "dia especial".

"É um dia especial. Consegui fazer a pole na minha casa. Isso motivou-me muito neste fim de semana. Não foi o fim de semana mais fácil para mim. Tive altos e baixos. Durante a classificação, tivemos que fazer mudanças no carro", contou.Na sexta-feira, o líder do campeonato disse que teria muito trabalho pela frente para acertar o seu carro para o Grande Prémio de hoje. Na conferência de imprensa após o treino classificativo, voltou a cobrar a Mercedes publicamente. Segundo o piloto, o modelo não está nas condições ideais.

"O carro não estava espectacular hoje. Espero que fique melhor para a corrida", apontou.Lewis Hamilton agradeceu o apoio recebido das bancadas. Nos dois dias de treinos no circuito de Silverstone - que está a cerca de duas horas de Londres - o público compareceu em peso para prestigiar o piloto da casa. Com bandeiras e vestidos de uniformes das equipas, os ingleses confirmam que a Fórmula 1 ainda é muito popular no país, mesmo com as críticas à categoria pelas constantes quedas de audiência pelo mundo.

"Gosto de ver os recados na media social. O público aqui cria uma atmosfera incrível. Depois da minha última volta, olhei para o público e vi todo o mundo a comemorar. É muito legal", disse.

Hoje, Lewis Hamilton tenta ampliar a vantagem em relação a Nico Rosberg na tabela e vai em busca da sua terceira vitória em Silverstone. O piloto foi ao lugar mais alto do pódio no circuito inglês em 2008 e 2014.Nigel Mansell, campeão do mundo em 1992, e Jim Clark, que correu pela Lotus entre 1960 e 1968, foram os britânicos que já triunfaram em Silverstone três vezes - marca que Hamilton tenta igualar hoje.


NA WILLIAMS
Massa supera companheiro


Os treinos livres para o Grande Prémio da Inglaterra demonstraram uma Williams com dificuldades e tanto Felipe Massa, quanto Valtteri Bottas, reclamaram do rendimento do carro nas simulações de classificação. Contudo, a equipa conseguiu resolver os seus problemas de equilíbrio e colocou os dois carros na segunda fila para a nona etapa do campeonato. Pela sexta vez no ano, o brasileiro superou o seu companheiro.

Felipe Massa vai largar em terceiro, uma repetição do seu melhor resultado em classificações neste ano, e tem Bottas em quarto. Na liderança, Lewis Hamilton fez a pole, com Nico Rosberg em segundo.

"Foi um dia maravilhoso para todos nós da Williams, porquanto vamos largar em terceiro e quarto na corrida caseira. É espectacular ver a claque a apoiar-nos aqui. Consegui acertar a volta no momento ideal, na última tentativa, e pude roubar o terceiro lugar do meu companheiro", disse o brasileiro.

O brasileiro ressaltou que se sente "bem", está a pilotar "bem", lida "bem com os pneus" e acerta as voltas.

Para Felipe Massa, o mais importante da classificação foi o facto da Williams mostrar que pode superar a Ferrari em situações normais. A equipa chegou ao pódio nas duas últimas etapas, mas sempre contou com problemas e falhas dos italianos.

"Esperamos ter um ritmo de corrida muito forte. Então é muito importante para nós termos conseguido superá-los hoje. Mostrámos que temos capacidade de nos classificar à frente da Ferrari com os dois carros. Temos um carro competitivo e podemos lutar com a Ferrari. Estou muito feliz", disse.

PELA PRIMEIRA VEZ
Raikkonen bate Vettel


A classificação do Grande Prémio da Inglaterra, nona etapa do campeonato da Fórmula 1, ficou marcada com a presença de Kimi Raikkonen à frente do companheiro de equipa Sebastian  Vettel, pela primeira vez na Ferrari em condições normais. No Grande Prémio do Canadá, o finlandês largou à frente do alemão, quando o tetracampeão teve problemas no carro. Mas nem isso animou o campeão de 2007, que tem o seu futuro ameaçado após uma sequência de provas ruins.

"Não estou feliz com isso", garantiu Kimi Raikkonen. "Não importa que eu esteja à frente dele quando somos quinto e sexto. Isso seria importante para mim se estivéssemos a lutar pelo primeiro e segundo lugares. Não fico nem um pouco mais feliz por estar à frente dele numa posição mais atrás. Ainda temos corrida pela frente e quero melhorar", teceu.

Raikkonen tem sido mais rápido que Vettel por todo o final de semana em Silverstone, mas garante que não mudou nada na sua abordagem. O finlandês está mais preocupado em superar a rival directa da Ferrari, a Williams, durante a prova, do que em chegar à frente do companheiro.