Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Hamilton reconhece dificuldades

21 de Agosto, 2014

Lewis Hamilton quer superar Nico Roserg na tabela classificativa do Campeonato do Mundo de pilotos

Fotografia: Reuters

Para Lewis Hamilton, a luta pelo título deste ano está mais intensa que aquela que ele teve com Felipe Massa na temporada de 2008 e que foi decidida por um ponto a favor do então piloto da McLaren. Segundo o piloto, na época ele enfrentou um adversário que tinha um carro diferente do seu e que agora tem que lutar de igual para igual com seu adversário, pois ambos têm o mesmo equipamento.

 “A batalha parece muito mais intensa neste ano. Quando eu estava a correr contra Raikkonen e Massa, eles estavam na outra equipa e o carro deles tinha pontos positivos e negativos distintos em relação ao meu carro e, na minha equipa, era só eu que estava realmente a competir com eles”, disse.
“Agora estou a correr contra alguém que tem o mesmo carro que eu, temos acesso exactamente aos mesmos dados então é muito difícil tentar estar na frente. É um pouco como jogar poker, temos algumas cartas e o outro jogador não deve saber o que nós temos, mas Nico e eu podemos ver as cartas um do outro, então é mais difícil”, comentou.

Entretanto, a F1 volta à rotina de provas em 2014 no próximo fim de semana em Spa-Francorchamps, na Bélgica. Se no ano passado, Vettel começou na pista belga a maior sequencia vitoriosa de um piloto num ano na F1, em 2014 ele tenta reagir num dos mais atraentes traçados da categoria.
“A corrida em Spa começou a nossa série de nove vitórias no ano passado, o que eu sempre gosto de lembrar. O circuito belga oferece todas as curvas e manobras possíveis: super-rápidas, velocidade média, travagens fortes e rectas velozes”, disse.

 “A diferença de altitude é tão grande que se tem a sensação de que se está numa montanha-russa – especialmente na Eau Rouge”, comentou. “O clima também pode ser bastante imprevisível e um desafio para os pilotos e as equipas que nunca deve ser subestimado, em poucos minutos pode-se mudar de uma chuva pesada para sol. Como resultado, o safety-car é frequentemente accionado em Spa. A pista é uma das minhas favoritas do ano, pois parece que nasceu da natureza que o cerca, combina perfeitamente com o ambiente natural”, concluiu.

ALERTA
Mallya aconselha
Bernie Ecclestone

O chefe de equipa da Force India, Vijay Mallya, acredita que Bernie Ecclestone necessite de estudar mais sobre os benefícios gerados pelos "media" se quiser que a Fórmula Um volte a ser popular. O chefe da F1 insiste sempre que na sua opinião a categoria não precisa de estar presente na comunicação social, como o Facebook e Twitter, por julgar que elas não têm futuro. Só que as equipas pensam diferente de Ecclestone e tem canais de comunicação com os fãs e o dirigente diz estar confuso com os rumos que a comunicação da F1 tomou junto dos seus fãs.

“O que eu não entendo é que Bernie não quer saber nada sobre a comunicação social – ele é um homem de TV e só isso. Alguém que fosse qualificado o suficiente para persuadi-lo e convencê-lo de que a comunicação social é algo que deve ser levada a sério, seria uma boa adição”, declarou. “Bernie pode também estar preocupado com a falta de interesse do espectador ao vivo, mas não se pode imediatamente atribuir que isto se deve às corridas serem desinteressantes. Pode ser por muitos outros motivos. os preços dos bilhetes vão influenciar muito, assim como o clima ou outro grande evento desportivo”.