Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Hamilton recusa compartilhar

21 de Fevereiro, 2017

Se não fizer isso, por conta própria, não sou bom o suficiente para estar lá. Alguns pilotos que estão por aí, não são

Fotografia: AFP

Lewis Hamilton não quer dividir dados com os companheiros de equipa. Em entrevista à UBS, uma das patrocinadoras da Mercedes, Hamilton revelou que não acha justo que os companheiros de equipa se aproveitem do trabalho realizado por outro piloto.

“Vou para a pista, faço as minhas voltas e a lição de casa, na sequência. E, o outro piloto pode ver tudo isso. Pedi à minha equipa, que não quero ver os dados do meu companheiro. Não acho justo que ele dê o melhor de si, e eu possa estudar aquilo no computador", disse.

O tricampeão justificou a sua decisão: “Quando estamos a pilotar, por exemplo, escolhemos os nossos pontos de travagem, ondulações, marcas de pneu na pista, todas essas coisas que  ajudam a contornar as curvas mais rápido. O outro piloto deve ser capaz de fazer, naturalmente, algo semelhante ao que você faz".

Para Hamilton, "com os seus dados, os colegas podem simplesmente copiá-lo". "'Oh, ele trava cinco metros mais tarde ali. Vou tentar o mesmo, quando for à pista'. Isso,  incomoda-me bastante, pois permite que os adversários se aproximem. Por isso, gostava do kart. Não  consegue fazer-se isso. Lá, o talento puro é capaz de brilhar", afirmou.

Hamilton destacou ainda, que ter acesso aos dados torna as coisas muito fáceis para os novos pilotos, que cheguem à categoria, e rapidamente andam no ritmo ideal.

“Creio que deveria contratar-me, porque sou o melhor, por que estudei, porque venci todos os campeonatos pelos quais passei. E, contrata a próxima pessoa, porque também venceu algumas coisas no caminho, como também contrata pelo talento. Devem ser capazes de ir para a pista e aprender sozinhos", afirmou.

Hamilton sustenta que "se pode tirar um jovem da Fórmula 3, colocá-lo no simulador todos os dias para tentar copiar as minhas linhas, e provavelmente consiga fazer isso".

"O piloto devia descobrir essas coisas sozinho. Precisa de encontrar os limites, sozinho. Este, é o desafio de ser piloto", comentou.
O principal rosto da F1 da actualidade, revelou o que vai fazer: "Quando  entrar no carro novo, verei o seu limite. Se não fizer isso, por conta própria, não sou bom o suficiente para estar lá. Alguns pilotos que estão por aí, não são".