Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Hamilton vence na Áustria

04 de Julho, 2016

Lewis Hamilton venceu um duelo empolgante contra Nico Rosberg

Fotografia: AFP

Lewis Hamilton venceu ontem o Grande Prémio da Áustria da Fórmula 1 numa final extraordinária. O britânico voltou a travar um duelo empolgante com Nico Rosberg a poucos metros do corte da meta. Na disputa, o alemão levou a pior e terminou em quarto lugar. Max Verstappen e Kimi Raikkonen completaram o pódio.A história do GP da Áustria ficou marcada na última volta a caminho da bandeira axadrezada.

Quando tudo apontava para a vitória de Nico Rosberg, Lewis Hamilton acelerou forte e apanhou o companheiro na penúltima curva. A presença do inglês incomodou o alemão que encostou demasiado o seu carro para impedir a progressão do tricampeão. Hamilton tentou a ultrapassagem na curva 2 e Nico Rosberg atirou o carro deliberadamente. Deu-se mal com o gesto. Quebrou a asa.

A decisão de Nico Rosberg foi infeliz. Noutro Mercedes, estava Lewis Hamilton possivelmente enfurecido pela decisão da equipa em equipar o carro do alemão com super-macios e o seu monolugar com macios, pneus mais lento para a luta. Por outro lado, Hamilton voltou a sofrer "barreiras da equipa" nas duas paragens. O tempo gasto permitiu a Rosberg assumir a liderança.

As atracções do GP da Áustria estendem-se a Max Verstappen. O holandês foi um dos que se deu bem e aproveitou o problema de Rosberg para garantir o segundo lugar na corrida. Kimi Raikkonen, que esteve apagado durante a prova, aproveitou o lucro ao levar a Ferrari ao pódio, em terceiro. Após Rosberg, Daniel Ricciardo fechou em quinto, enquanto Jenson Button assegurou um grande resultado para a McLaren e cruzou a linha de chegada em sexto. Romain Grosjean também teve grande resultado: sétimo classificado. Atrás estava Carlos Sainz, da Toro Rosso.

Valtteri Bottas foi o nono, enquanto Pascal Wehrlein levou a Manor pela primeira vez aos pontos desde a antecessora, a Marussia, que havia pontuado com Jules Bianchi. O talentoso alemão, no seu ano de estreia na F1, fechou o GP da Áustria em décimo. Pascal aproveitou os abandonos de pilotos como Sergio Pérez para subir à zona de pontuação. Felipe Massa também abandonou, enquanto Felipe Nasr fez uma corrida bastante aguerrida, a sua melhor da época e fechou em 13º depois de chegar a andar em sétimo.

O que aconteceu entre os pilotos da Mercedes na última volta ainda não está claro. É evidente que não deixou um clima agradável. Toto Wolff, chefe de equipa, foi duro nas críticas: "Não usaram a cabeça. Ver os dois carros quase a bater-se é irritante, poderia facilmente ser um abandono duplo". Niki Lauda, consultor dos prateados, notou algo estranho no carro de Nico Rosberg: "Nico teve problema de travagem. Por que bateram, não sei".

A CORRIDA
Por conta dos detritos de borracha na pista na recta dos boxes, o comboio liderado pelo safety-car passou no pit-lane. Nico Rosberg era o líder da corrida, seguido por Hamilton, Verstappen, Ricciardo, Räikkönen, Bottas, um surpreendente Nasr em sétimo, Button, Grosjean e Magnussen, enquanto Massa aparecia em 11º lugar.

A relargada foi dada na volta 32. Rosberg largou bem demais e abriu vantagem sobre Hamilton. Nico tinha de ser mais rápido e o fazia com competência, emendando uma série de voltas mais rápidas. Nasr, na sua melhor corrida na época, ainda não havia parado para fazer a sua troca de pneus, mas mesmo assim mantinha um ritmo consistente de prova. Em contrapartida, Hulkenberg tinha uma jornada desastrosa. O alemão foi punido em 5s por ter excedido o limite de velocidade no pit-lane, com Grosjean a sofrer a mesma sanção.

A luta pela vitória parecia mesmo destinada aos dois carros da Mercedes. Verstappen e Ricciardo não ameaçavam, enquanto Raikkonen estava bastante apagado. Assim, um dos grandes nomes da corrida era mesmo Nasr, que lutava na raça contra Button. Mesmo tendo perdido a sétima posição para o veterano, o brasileiro destacava-se na Áustria. Por sua vez, Massa lutava para se segurar em décimo lugar contra um Pérez que tinha melhor ritmo de corrida.

FERRARI 
Vettel volta
a abandonar


Em dia de festa, Sebastian Vettel perdeu o motivo de celebração. Ontem o piloto da Ferrari completou 29 anos de idade e viu o estouro do pneu na recta principal, quando liderava o Grande Prémio da Áustria. A borracha não suportou o calor acumulado ao longo das 26 voltas e tirou o alemão da corrida. Assim, o estouro serviu de melhor presente em data especial.Com a entrada do safety-car, a corrida em Spielberg, Sebastian Vettel perdeu a vantagem de 4s4 sobre Nico Rosberg, o segundo classificado. Assim que viu a sua prova arruinada, o tetracampeão tratou de explicar o corrido para a equipa via rádio.

“O meu pneu traseiro direito explodiu, não há nada que possa fazer, o motor desligou. Desculpem-me, pessoal”, lamentou.Na sua conta oficial no Twitter, a Pirelli, fornecedora oficial de pneus na F1, creditou o incidente a detritos que estavam na pista. O alemão estava com o mesmo jogo de pneus por 26 voltas. O GP da Áustria marca o terceiro abandono de Sebastian Vettel na época 2016 da categoria. Os outros casos foram no GP do Bahrein, quando parou ainda na volta de apresentação com problema de motor e no polémico GP da Rússia, onde foi "acertado" em cheio por Daniil Kvyat.