Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Hirondino oculta oramento para o Campeonato Africano

Silva Cacuti - 14 de Fevereiro, 2019

Hirondino Garcia (segundo esquerda) limitou a garantir a recepo da parte financeira sem citar o valor atribudo pelo Minjud

Fotografia: M. MACHANGONGO | edies novembro

Hirondino Garcia falava durante a cerimónia de apresentação da prova, decorrida numa sala de conferências da empresa Refriango, que patrocina o evento e preferiu divagar a dar dados concretos sobre o custo global da prova e os valores disponibilizados pelo estado angolano. Remeteu o assunto para um próximo encontro com a imprensa, que ainda não tem data.
\"No que toca ao ministério já temos a parte financeira disponibilizada, não é suficiente, é a possível. De qualquer forma, temos a situação bem clara. Estamos aqui com o patrocinador, temos as coisas mais ou menos bem acauteladas, creio que na próxima conferência de imprensa já poderemos apresentar números certos, tudo indica que vai correr bem\", disse ao responder à pergunta sobre qual seria o orçamento da prova.
Na ocasião foi informado que, enquanto organizadora, a federação assume apenas a questão dos transportes internos das equipas, questões técnicas e desportivas e organizacionais. A vinda para Angola, alojamentos e alimentação das equipas, é da inteira responsabilidade das respectivas delegações.
A água para os treinos da selecção nacional e para as equipas, antes e durante a competição, está garantida, através de um protocolo rubricado ontem entre o representante da Refriango e o presidente da Federação Angolana de Patinagem.
A coberto do protocolo, além do hóquei em patins, Angola vai estar representada nos jogos mundiais de patinagem de Barcelona, pelo skate e os patins em linhas, especialidades desenvolvidas por jovens apoiados pela empresa patrocinadora.
Durante a conferência de imprensa, foi apresentada a logo marca do campeonato e garantido que as distintas subcomissões criadas vão incrementar a sua actividade, para o sucesso organizativo.
Em Janeiro, numa entrevista concedida à Angop, Pedro Azevedo revelou que a prova estava orçada em 30 milhões de kwanzas. Pedro Azevedo, vice-presidente da federação, referiu na ocasião o interesse de fazer uma organização exemplar sem grandes custos para o país.
Apenas três países, Angola, Moçambique e Egipto poderão participar no campeonato africano, devido ao facto da África do Sul não ter confirmado presença na prova até ao momento. \"Vamos organizar a prova com quem estiver presente\", reforçou Hirondino Garcia.
O campeonato estava, inicialmente, marcado para o período compreendido entre os dias 9 a 11 de Novembro de 2018, em Maputo, Moçambique, mas foi cancelado por falta de condições logísticas e atribuído a Angola.

Fallé mete Tino
na pré-selecção nacional


A inclusão de Tino, defesa-médio da Académica de Luanda, que não constava da convocatória para o Campeonato Africano, quando se previa disputar em Maputo, Moçambique, é a grande novidade entre os pré-convocados anunciados ontem, pelo seleccionador nacional Fernando Fallé, para o Campeonato Africano de Luanda.
"O Tino não tinha certo nível, quando fizemos aquela convocatória, mas parece sorte sua, no campeonato apresentou outro nível e julgamos que merece uma oportunidade" argumentou o treinador.
Fallé convocou 17 atletas que actuam no país e cinco que fazem carreira na Europa. A selecção nacional começa a trabalhar no dia 18, na Cidadela Desportiva e, no dia 23, Fernando Fallé muda de local de treinos, para o pavilhão do Kilamba e, lá, faz a primeira triagem ao grupo. Apenas ficam 13 jogadores a trabalhar, até dia quatro de Março, data em que integram os cinco atletas que actuam no estrangeiro.
O seleccionador convocou os seguintes atletas: Pedro Watanga, Anderson Silva “Nery”, Adilson Diogo “Pi”, Márcio Fernandes, Airton Chissangana “Geovety”, Walter Bernardo, Nilson Miope “Ny”, Tino e Estévão Dala (Académica de Luanda); Dorivaldo Francisco “Dori”, Sérgio Lukukurico, Zidane, Bruno (Petro de Luanda); Francisco Duarte “Chiquinho”, João Antótnio “Jú”, Francisco Luís “Guedes” e Beto (1º de Agosto). Da diáspora foram convocados André Centeno (Hóquei Valdano Itália), Francisco Veludo (Hóquei Vercelli Itália), Humberto Mendes “Big” (Noia de Espanha), João Pinto (Sporting de Portugal) e Martin Payero (Liceo de la Coruña de Espanha).
O objectivo é vencer a prova e apropriar-se da única vaga africana para a elite mundial da patinagem. A elite é constituída por oito equipas, das quais quatro europeias, três americanas e uma africana. O campeonato é disputado no sistema de todos contra todos a uma mão.
S.C