Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Holly Holm vence Ronda Rousey

16 de Novembro, 2015

Holly Holm vence Ronda Rousey

Fotografia: AFP

O card principal do UFC 193, parecia caminhar para mais um evento, sem grandes surpresas para os fãs de MMA. Realizado no Etihad Stadium, na cidade australiana de Melbourne, a parte final do show contou com um verdadeiro passeio dos favoritos até chegar ao combate final da noite de sábado, quando Ronda Rousey sofreu um verdadeiro atropelo no octógono e despediu-se do cinturão dos pesos-galos (61 kg).Sem dar espaços, a então campeã Holly Holm, adoptou receita perfeita no octógono e não deu espaços para Ronda. Ex-número um do mundo no boxe, a veterana abusou do jogo de pernas e evitou todas as tentativas de quedas da judoca, livrou-se de um armlock e castigou em pé até que a rival desabou no segundo assalto.

 LUTA


Estilos fazem lutas, Holly provou isso,  na sua máxima potência. Grande azarona da noite, a ex-pugilista usou o jogo de pernas para confundir a rival, que caminhou para frente o primeiro round inteiro sem qualquer hipótese. Depois de dois minutos, Ronda diminuiu o ritmo, e a partir daí, Holly sobrou.Com cruzados de esquerda nos golpes de saída, chutes baixos para minar a movimentação da judoca e muita agilidade, Holm sempre andou para trás e mostrou precisão e volume de golpes de dar inveja, tanto que no segundo assalto a luta transformou-se em massacre.Punida e castigada, Ronda desabou,  saiu do octógono sem dar o seu tradicional discurso, deixando toda a festa para a nova sensação do UFC. “Para chegar aqui, recebi tanto amor e carinho. Não podia fazer nada disso sem eles. Tive os melhores treinadores do mundo. Todo essa equipa, meu marido, pai, treinadores, mãe… Muito obrigado”, gritou caindo em lágrimas a nova campeã do UFC.

JOANNA VOLTA
A DOMINAR


No duelo mais duro do que todos imaginavam, a canadense Valerie Letourneau engrossou o caldo para cima da campeã peso-palha (52 kg) do UFC Joanna Jedrzejczyk, que viu a desafiante não se intimidar e travar cinco rounds de uma verdadeira guerra em pé. Durante todo o combate, Letorneau atacou com menor volume, mas foi buscou golpes na longa distância e clinches quando a polaca encurtava a distância, cansou a campeã e proporcionou o  desafio mais duro até agora na carreira, que acumula 11 vitórias em cartel sem derrotas.

Com jogo de pernas impecável, Joanna sempre foi a agressora e mostrou volume e contundência incomparáveis para a divisão, garantiu vitórias em todas as parciais entre o segundo e quinto assaltos. Seu próximo desafio, ainda sem data confirmada, deve ser contra a brasileira Claudia Gadelha, em desforra da disputa realizada em Dezembro de 2014, vencida pela campeã em decisão dividida (e polémica).

DECEPÇÃO
BRASILEIRA


Único brasileiro presente no card do UFC 193, António “Pezão” não rendeu o esperado e acabou superado ainda no primeiro round, por Mark Hunt, bem diferente do primeiro encontro entre os pesos-pesados, ainda em 2013, que terminou em empate após cinco rounds.Mais leve do que é costume, o neozelandês andou para frente a luta inteira e cercou o paraibano durante toda a duração do confronto. Transpirado e cansado dos pontapés do rival, Pezão diminuiu a movimentação até que o explosivo oponente encontrasse o momento correcto de aplicar o seu temido golpe de direita, que encontrou o topo da sua cabeça.

O duelo entre os pesos-pesados Jared Rosholt e Stefan Struve abriu o convite principal do UFC 193 e não agradou. Após três rounds monótonos em que ambos os lutadores deixaram a desejar a técnica e fisicamente, o público não se cansou de apupar o desempenho, visto no octógono desde o segundo assalto.Com o wrestler bem mais em dia do que o do gigante holandês, Rosholt derrubou e dominou por cima durante os dois primeiros assaltos, mas não mostrou contundência. Na terceira e última etapa, já cansado, o americano deu brechas  ao rival, que embalado por um triunfo sobre Minotauro no Brasil, não teve forças para aproveitar. Embate fraco que deixa claro o drama que vive a divisão dos pesos-pesados no evento.


Crença
White confirma
Cyborg favorita


Cris ‘Cyborg’ nunca se apresentou entre os pesos-galos (61 kg) e ainda não tem data para fazer a nova apresentação no Invicta FC (em duelo estipulado para o fim deste ano numa categoria intermediária), mas mesmo assim, já está oficialmente um passo à frente de qualquer outra rival, em busca de uma chance para lutar pelo título do UFC, que hoje pertence a Holly Holm. Em conversa com as fãs, na última sexta-feira, o presidente da organização foi curto e directo ao indicar a curitibana como a próxima desafiante,  colocou como obstáculo a necessidade da brasileira de atingir o peso limite. “A Cyborg deve ser a próxima a enfrentar Holm. Mas isso se ela conseguir atingir o peso”, afirmou para de seguida deixar claro que a luta podia acontecer mesmo que a judoca perca para Holly Holm, em duelo realizado sábado.

Combinando as declarações de todos os envolvidos, Ronda afirmou, caso vencesse  Holly pretendia tirar férias até Julho do ano que vem, para encabeçar o show de número 200 da organização, que deve ser o maior já visto no UFC.Por sua vez, Cris deve lutar no final deste ano, com o peso intermediário (numa divisão entre os 61 kg de Ronda e os pesos-penas (66 kg)) e competir novamente no início de 2016, desta vez entre “galos”. Caso vença ambas e bata o peso correctamente, as duas podiam ao menos em teoria, liderar o aguardado convite do dia 9 de Julho.

Thomas Almeida
brilha no UFC


Após mais um show, no UFC, Thomas Almeida está a tornar-se cada dia mais visado dentro da organização. Após aplicar um KO a Anthony Birchak, no UFC de São Paulo, no último sábado, Thomas saltou para a sexta posição do ranking dos galos e está cada vez mais próximo de enfrentar os principais nomes da categoria para ter uma oportunidade pelo cinturão, que actualmente pertence a TJ Dillashaw. Dono de um cartel impressionante, com 21 vitórias, quatro pelo UFC, que lhe renderam prémios por desempenho, Thomas tem despertado atenção de importantes lutadores dentro da organização, que veem no confronto com o brasileiro uma boa oportunidade de atingir os seus objectivos.

Após ser desafiado pelo brasileiro Johnny Eduardo, que treina com Renan Barão e José Aldo, foi a vez de John Dodson, ex-desafiante ao cinturão dos moscas e campeão do TUF 14 dos Estados Unidos, a pedir uma oportunidade contra o brasileiro. Com duas derrotas para o campeão da categoria inferior, Demetrious Johnson, Dodson vai tentar a sorte na categoria de cima e já pediu para enfrentar o brasileiro em mensagem para Sean Shelby, funcionário do UFC responsável por marcar os confrontos. A informação foi confirmada nesta quinta-feira (12) pelo UFC Tonight.Apesar do desafio, o UFC ainda não tem planos para o brasileiro, que entrou em ação quatro vezes desde 8 de Novembro de 2014, data em que fez sua estreia pela organização.

Reacção
Bethe Correia comemora
derrota da norte-americana


As reações do mundo do MMA, ao KO aplicado por Holly Holm a Ronda Rousey, foram imediatas. E uma das principais envolvidas com a (agora) ex-campeã feminina dos galos (61 kg), é a brasileira Bethe Correia, última atleta a perder para a americana em Agosto deste ano. Através do seu Instagram, a paraíbana postou uma imagem com uma legenda, que mostra como ela  sente muito remorso de Ronda Rousey. Bethe comemorou a vitória de Holly Holm e felicitou a nova dona do cinturão.

“O mundo gira! E hoje estou muito feliz! Estratégia perfeita! Parabéns Holly”, escreveu a brasileira na legenda da foto.Holly Holm dominou Ronda durante todo o primeiro round e no segundo assalto veio o grande momento. Com uma sequência de golpes que abalaram a ex-judoca, a nova campeã acertou um pontapé de pé esquerdo que foi certeiro para o fim do combate. Abalada, Ronda nem sequer deu entrevista após o fim da luta dentro do octógono.

Bilheteira 
Disputa  rende recorde histórico


Depois de falar vários anos sobre isso, finalmente, Dana White e companhia quebraram o recorde histórico da bilheteira do UFC, que durava quase cinco anos. Realizado no último sábado, o show de número 193 da organização, conquistou a marca do evento de Abril de 2011, mas por pouco.De acordo com Dana White, presidente da entidade, o evento contou com a derrota de Ronda Rousey como grande atracção, teve 56,214 mil fãs no Etihad Stadium, na cidade de Melbourne. A marca superou o registo anterior apenas por 490 fãs.No entanto, quando o assunto é rendimento com vendas de ingressos, o UFC 129 segue na frente, ao arrecadar Usd 12,075 milhões de dólares, enquanto que na noite de sábado os portões atingiram “apenas” Usd 9,530 milhões, facto que não arrancou nenhum sorriso da organização.

LUTADOR APLICA
DOIS SOCOS
NO ÁRBITRO


Paralisações polémicas de árbitros, em lutas do MMA, são comuns, mas um lutador reagiu de uma maneira inesperada, depois de ser considerado derrotado. O caso aconteceu na Argentina, na segunda edição, do evento Espartaco.Durante o combate, Anderson Domínguez caiu depois de levar um soco de esquerda de Emanuel Rivero. No mesmo instante, o árbitro Fernando Costantino interveio e encerrou o duelo.A decisão irritou Domínguez, que acertou dois socos no árbitro. Constantino não gostou nem um pouco da reacção do lutador e tentou revidar com um golpe, mas passou no vazio. Os dois acabaram  contidos pelos demais presentes no ringue.