Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Homem morre atropelado

11 de Janeiro, 2016

Rali Dakar decorre na Argentina e na Bolívia e registou vítimas ao longo do percurso

Fotografia: AFP

 Um homem de 63 anos, morreu durante a sétima etapa do rali todo o terreno Dakar2016, que decorre na Argentina e Bolívia, depois de ter sido atingido pelo carro do piloto francês Lionel Baud, revelou neste sábado a organização.

"Um acidente ocorreu durante o quilómetro 82 da etapa, ainda em território boliviano, quando o competidor com o carro 409, Lionel Baud, colidiu com um homem de 63 anos que apareceu isolado no trajecto", referiu a organização do Dakar2016 em comunicado, acrescentando que as autoridades bolivianas "já estão a investigar" o ocorrido.

A 38.ª edição do mítico rali, já tinha ficado marcada por um acidente durante o prólogo de Buenos Aires, quando o carro dGuo Meiling saiu de pista e atingiu um grupo de espectadores, fazendo um total de dez feridos.

O português Paulo Gonçalves (Honda), permaneceu na liderança da classificação de motas do rali todo-o-terreno Dakar2016, após a organização do rali todo-o-terreno ter ajustado no sábado a classificação da sétima etapa, recolocando-o no terceiro lugar.

O campeão do mundo de 2013, tinha sido 31.º na percurso, entre Uyuni na Bolívia, a Salta na Argentina, mas a organização premiou o “fair-play” do piloto natural de Esposende, por ter permanecido cerca de dez minutos junto ao austríaco Matthias Walkner (KTM), que tinha sofrido uma queda e partido uma perna.

Após os ajustes, Gonçalves surge no terceiro lugar da etapa, a 1.56 minutos do vencedor, o francês Antoine Meo (KTM), e a três segundos do argentino Kevin Benavides (Honda), deixa o português no topo da classificação geral, com 3.12 minutos de vantagem sobre o australiano Toby Price (KTM), segundo classificado.

“No início da especial, parei para ajudar Matthias Walkner, que sofreu uma queda. Eu fiquei com ele até que o Pablo Quintanilla chegou. Estou muito satisfeito com a etapa de hoje, até agora. Se eu puder repetir isso, na segunda semana, ia ficar certamente muito contente, mas acho que as etapas seguintes vão ser muito diferentes. Vamos a ver”, afirmou o piloto da Honda, citado pela assessoria de imprensa.

AUTOMOBLISMO
Morales quer
Dakar na América

O presidente da Bolívia, Evo Morales, expressou sábado passado o desejo que o rali todo-o-terreno Dakar continue em 2017 na América do Sul e que não regresse a África, depois de a organização da prova ter expressado essa intenção.

“Escutei algumas versões que o Dakar poderá regressar a África. Espero que não aconteça. Espero que continue por aqui e, com segurança, passará sempre pela Bolívia. Faremos sempre questão que isso aconteça”, afirmou Morales à imprensa local, em Uyuni, onde arrancou a sétima etapa da prova.

A Amaury Sports, empresa que organiza a competição, admitiu recentemente que está em conversações com alguns países africanos, como Angola, Namíbia e África do Sul, para que o rali volte a realizar-se no continente. Devido a problemas de segurança, a partir de 2008, o Dakar passou a disputar-se na América do Sul e, desde 2014, que atravessa território boliviano.