Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Honda anuncia regresso

17 de Maio, 2013

Equipa inglesa quer motores nipónicos para voltar a ser a número um do mundo

Fotografia: AFP

A construtora japonesa Honda anunciou ontem o regresso à Fórmula 1 em 2015, como fornecedora de motores da McLaren, reeditando uma parceria que entre 1988 e 1991 “serviu” pilotos como Ayrton Senna e Alain Prost.

O director executivo da Honda, Takanobu Ito, garantiu que o grande objectivo da parceria é ser a número um na modalidade. Martin Whitmarsh, chefe da McLaren, considerou que as duas equipas “vão reviver uma parceria lendária na Fórmula 1”.

“A McLaren e a Honda vão lançar-se numa aventura extremamente excitante. Em nome da equipa e de todos os que amam a Fórmula 1, estamos muito satisfeitos com o regresso da Honda”, afirmou Whitmarsh em conferência de imprensa conjunta.

A Honda, que se estreou na Fórmula 1 em 1964, retirou-se definitivamente em 2008 devido a razões financeiras. A marca japonesa conta no seu palmarés com 72 vitórias na categoria rainha do automobilismo, seis títulos de campeão mundial de construtores e cinco no mundial de pilotos.
O construtor nipónico já teve uma parceria com a McLaren, entre 1988 e 1991, numa altura em que dominou a competição tendo ao seu serviço dois dos maiores nomes da modalidade: o francês Alain Prost (1988-1989) e o brasileiro Ayrton Senna (1988-1992).

Depois de um interregno de oito anos, a Honda regressou à competição em 2000, equipando a equipa BAR. Cinco anos mais tarde, a marca japonesa assumiu o controlo total da equipa, que rebaptizou com o seu nome, mas em 2008 voltou a sair de competição


Red Bull acredita em melhor
desempenho de Sebastian Vettel


O chefe da Red Bull, Christian Horner, acredita que o campeão mundial de Fórmula 1, Sebastian Vettel, ainda tem muito para evoluir. Sebastian Vettel sempre alcançou metas incríveis e quebrou recordes desde o início da época. Aos 25 anos, foi o campeão mundial das últimas três temporadas da categoria pela Red Bull.

“Seb é fantástico, mas acredito que ainda não vimos todo o melhor dele”, declarou o dirigente ao diário alemão “Sport Bild”. Com o primeiro título conquistado em 2010, o alemão superou a marca de Lewis Hamilton e tornou-se o mais jovem campeão da F1. Actualmente na primeira posição da classificação geral do mundial, o piloto tem o seu nome envolvido em rumores de que pode ser negociado com outras equipas nos próximos anos.

Horner considerou normal o assédio, mas já garantiu que a intenção da RBR é continuar com o alemão ainda por muito tempo. “Quem não gostava de contar com Sebastian Vettel? Ele tem sido parte da família Red Bull há muito tempo e é parte importante deste nosso sucesso. A questão não tem tanto a ver com a duração dos contratos, mas sim o quão confortável um se sente com o outro. Seb sente-se confortável connosco e estamos confortáveis com ele. Não tenho dúvida alguma de que continua assim durante muito tempo no futuro”, concluiu o chefe da equipa.


Treino
Mercedes vê benefícios
mútuos nos testes de Kubica


Os testes do polaco Robert Kubica no simulador da Mercedes de Fórmula 1 tem ajudado não só o piloto a tentar uma readaptação à categoria de elite do automobilismo, mas também a equipa a melhorar o seu carro durante a temporada. O piloto europeu está afastado da F-1 desde Fevereiro de 2011, quando sofreu um forte acidente durante uma prova de rali.

“Robert está concentrado no rali, essa é a sua meta, mas todo o mundo sabe que ele é talentoso e experiente. O que estamos a tentar fazer é dar a ele o simulador e os dois lados ganharem com isso. Ele está a acostumar-se a conduzir um carro de F-1 novamente e estamos a beneficiar do seu conhecimento. Ajuda a equipa e ajuda a ele”, disse o director de automobilismo da Mercedes, Toto Wolff.

Após o acidente durante a pré-temporada da Fórmula 1 de 2011, Kubica tenta readaptar-se fisicamente ao automobilismo competitivo. As primeiras etapas deste processo ocorrem em provas de rali, que mesmo após a batida ainda estão entre as favoritas do piloto polaco. No início de 2013, Kubica iniciou um trabalho ao lado da Mercedes, realizando teste com o carro da equipa alemã de DTM. Após o sucesso no treino, o polaco passou a utilizar o simulador da equipa na base da sua equipa de Fórmula 1 em Brackley, na Inglaterra.