Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Hrio Baio vence GP Fora Area

H?lder Jeremias - 01 de Fevereiro, 2017

Hrio Baio conquistado o primeiro lugar da jornada

Fotografia: Vigas da Purificao

O atirador do 1º de Agosto, Hírio Baião, está convicto na realização de uma época profícua, depois de ter conquistado o primeiro lugar da jornada inaugural do Campeonato Nacional de Fosso Olímpico, disputado no domingo no campo de tiro do Regimento de Defesa Anti-Aérea, ao bairro Cantinton, em Luanda.

Com 105 pontos, no cômputo das duas fases, Hírio Baião superou os demais adversários na fase final da competição. Assim, relegou para o segundo e terceiros lugares, Ricardo Lopes, do Interclube, e Jorge Perestelo, do 1º de Agosto.

A vitória de Hírio Baião resulta do cumprimento das novas regras aprovadas na ISSF (International Sportive Shooting Federation, na sigla inglesa) implementadas após a disputa dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. A regra estabelece que os cinco primeiros classificados  disputam uma final após as duas fazes de competição. Torna-se vencedor o atirador que partir maior número de pratos.

Na classificação geral, Hírio Baião contenta-se com o segundo lugar. A competição é liderada por Ricardo Lopes com 108 pontos. Na terceira posição está Jorge Perestrelo com 99 pontos.

No historial da jornada, Ricardo Lopes obteve na primeira fase 22, 23 e 21 pontos e na segunda etapa estabeleceu 19 e 23. Hírio Baião obteve a safra de 12, 21 e 18 no sábado e na final conseguiu 22 e 23. Jorge Perestrelo alcançou 22, 19 e 20 no primeiro dia e duplo 19 no último dia.

Francisco Gastão, do Interclube, quedou-se na quarta posição com 99 pontos à frente de Filipe Falcão, da Força Aérea Nacional, com 100 pontos, e do Paulo Guga, do 1º de Agosto, com 102 pontos.
 
POR EQUIPA
O Interclube venceu a prova com 303 pontos, seguido do 1º de Agosto A (288), 1º de Agosto B (286), Força Aérea Nacional A (283), Força Aérea Nacional B (268), Clube de Tiro Caça e Pescas de Benguela (265) e Clube de Tiro e Pescas do Lubango (218).

Os 42 atiradores nacionais demonstraram estar comprometidos em devolver a vitalidade ao tiro desportivo. Os momentos de grande intensidade estão de volta. A evidência dos atiradores do Clube de Tiro Pescas e Caça de Benguela permite aferir que as novas instalações construídas na cidade das acácias rubras estão a influenciar no aperfeiçoamento dos atletas, após quatro anos de letargia.

No final da prova, a organização brindou com medalhas, diplomas de mérito e troféus para os três primeiros classificados de cada categoria. O Comandante da Força Aérea Nacional, General Francisco Afonso "Hanga", acompanhado de altas patentes daquele ramo das Forças Armadas de Angola e de dirigentes da Federação Angolana de Tiro procedeu à entrega.

O evento culminou com um almoço de confraternização. A família de atiradores nacionais aproveitou o ensejo para projectar os desafios que a época 2017 reserva, quer no plano nacional quer além fronteiras.

 PRANCHA
Alice Bernardo
está de regresso


A atiradora do Interclube, Alice Bernardo, teve um regresso auspicioso nas competições de tiro desportivo, ao arrebatar o primeiro lugar do género feminino do Grande Prémio Força Aérea Nacional, disputado no transacto fim-de-semana, no fosso olímpico do Cantinton, no âmbito das comemorações alusivas ao 41º aniversário da instituição militar.

Depois de mais de duas épocas afastada das competições, por falta de equipa ao serviço da qual se inserir no campeonato nacional de Fosso Olímpico, a jovem atiradora respondeu da melhor forma à contratação da equipa adstrita à Polícia Nacional. Na estreia, estabeleceu os mínimos em 78 com os parciais de 16, 17, 13 e 13, 19.

Perante a ausência da atiradora do 1º de Agosto, Érica Andrade, a nova aposta da direcção de Alves Simões representou com dignidade o género feminino, ao relegar para lugares subalternos atiradores de reconhecido traquejo, tais como, Anselmo Neves, Yuri Santos, Erikson Soares e a sua homologa do 1º de Agosto, Julieta Gabriela.

Em declarações ao Jornal dos Desporto, Alice Bernardo mostrou-se satisfeita por ter voltado ao convívio dos representantes da nata de atiradores nacionais, e destacou o "trabalho excelente" da direcção do Interclube no desenvolvimento do tiro desportivo, com a criação de infra-estruturas de topo de gama e aposta nos atletas nacionais.

Alice Bernardo reconhece que ainda não atingiu os níveis que lhe são característicos, mas garante empenho para que nas próximas jornadas consiga obter uma safra mais expressiva. A atiradora apontou as altas temperaturas, como o principal obstáculo, que teve de enfrentar na prova.
"Foi um bom começo, no qual tive alguma dificuldade para me adaptar à temperatura. Tudo é uma questão de tempo, uma vez que fiquei afastada das competições e a longa ausência influenciou na minha prestação", considerou.

Alice Bernardo perspectivou que vai melhorar na preparação para "representar com brio as cores da minha nova equipa". 
HJ