Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Huíla acolhe hoje Paulo Silva

Hélder Jeremias - 09 de Junho, 2013

Atiradores nacionais homenageiam hoje o vice-presidente da Federação de Tiro

Fotografia: Jornal dos Desportos

Mais de duas dezenas de atiradores nacionais juntam-se hoje na província da Huíla para a disputa da primeira edição do torneio Paulo Silva, a ter lugar, a partir das 8h00, no campo do Clube de Tiro e Pescas do Lubango. O torneio serve de inauguração dos novos equipamentos instalados.

A iniciativa é dos atiradores da Huíla e visa homenagear o atirador Paulo Silva pelos seus feitos em prol do tiro nacional. A prova de cariz local consiste na disputa de apenas uma pranchada de 25 pratos para cada concorrente.

O regulamento da prova determina que em caso de empate, o vencedor é encontrado através do sistema “Shoot off”, o que significa um disparo.

Aberto para qualquer atirador nacional, o torneio permite que cada atirador repita a sua prova, caso bem entenda, desde que proceda a nova inscrição, pagando uma taxa no valor de cinco mil kwanzas.

O procedimento visa a criação de um fundo para a organização fazer face aos encargos, segundo a organização do torneio. O vencedor do torneio, a ser disputado uma vez por ano, é o que vence três provas consecutivas ou cinco alternadas e recebe uma Taça, troféu que permanece na posse do organizador até se encontrar outro vencedor.

Paulo Silva, que também é vice-presidente da Federação Angolana de Tiro, avançou à nossa reportagem que se trata de uma prática “muito vulgar” nos países com grande tradição no tiro desportivo. O torneio vem dar maior dinâmica às competições nacionais, a par de outras iniciativas que a Federação pretende criar no quadro do desenvolvimento da modalidade.
“Apesar de ser um torneio local, todos os atiradores podem fazer parte, uma vez que a prova vem para juntar a grande família dos atiradores nacionais”, disse Paulo Silva.

FOSSO OLÍMPICO
MUDA PARA A HUÍLA

Os equipamentos do antigo fosso olímpico do campo de tiro do Clube Desportivo Militar, localizado no Complexo Desportivo Militar, foram transferidos para o campo de tiro do Clube de Tiro e Pescas da Huíla, onde são inaugurados hoje durante a primeira edição do torneio Paulo Silva.

A informação foi avançada por Humberto Jorge, vogal de direcção da Federação Angolana de Tiro, dando conta que, depois da eliminação da antiga infra-estrutura, as máquinas foram bem aproveitadas e podem continuar a prestar o seu valor ao serviço da modalidade.

Humberto Jorge, que nas duas últimas direcções da Federação desempenhou as funções de secretário-geral, sente-se satisfeito por saber que “os equipamentos não ficaram inoperantes, numa altura em que o 1º de Agosto ainda está em fase de construir um novo campo na capital do país”.

O responsável desportivo reitera o seu compromisso com a causa desportiva nacional, não obstante alguns problemas de saúde e apela aos atiradores a unirem-se cada vez mais para elevarem o tiro aos altos patamares competitivos. Humberto Jorge dedicou muitas energias para que as outras províncias, além de Luanda, também passassem a ter os seus respectivos fossos olímpicos.