Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Hula aspira pdio nacional

Gaudncio Hamelay, no Lubango - 10 de Março, 2018

Fotografia: Adilson Pinto

A duas semanas do arranque dos Campeonatos Angolanos de Karting e de Supermoto, na cidade de Moçâmedes, província do Namibe, os pilotos huilanos definiram como meta a presença no pódio em todas as provas. A valência competitiva está a ser testada na preparação da época desportiva 2018 que decorre com acuidade.
Em declarações ao Jornal dos Desportos, o presidente de direcção da Associação Provincial de Desportos Motorizados da Huíla, Ivan Santos, assegurou que estão inscritos 20 pilotos em representação de três equipas locais e individuais.
Para melhorar a rodagem competitiva dos pilotos, a Associação da Huíla organiza e realiza no mês de Abril os campeonatos provinciais de desportos motorizados. Do programa de competições locais constam também outras cinco provas fora do circuito nacional.
\"Com apoios dos empresários e equipas locais, a Associação provincial vai organizar provas independentes para elevar a rodagem e o ritmo competitivo dos nossos pilotos nas provas nacionais\", confirmou Ivan Santos.
No seio da colectividade de pilotos e das equipas técnicas é notória o elevado estado de motivação. A ansiedade está em alta, depois da Associação da Huíla receber da Federação Angolana de Desportos Motorizados (FADM) as primeiras sete licenças desportivas para a época 2018. Ivan Santos espera nos próximos dias o licenciamento de outros pilotos. A Huíla espera um total de 20 pilotos.
Questões financeiras e a falta de patrocínios continuam a liderar as dificuldades dos pilotos e das equipas. Tão logo as superem, as agremiações desestruturadas vão encaminhar os processos de licenciamento à FADM, segundo Ivan Santos.
A Associação da Huíla conta para o Campeonato Angolano de karting com as equipas DF Racing, Armando Reis Racing e Teame Lubango. Na Supermoto, a missão está entregue a DF Racing e Armando Reis Racing.
Ivan Santos apela às diferentes entidades a aumentar os apoios e patrocínios para que a Huíla tenha campeões nacionais em todas as competições da FADM.
“Com empenho de pequenos empresários e amantes dos desportos, temos feito alguma coisa. Vamos continuar a ver pódios de equipas huilanas este ano”, garantiu.
A época desportiva nacional para o desporto motorizado tinha o arranque marcado para amanhã, mas a reabilitação do tapete asfáltico do circuito urbano de Moçâmedes obrigou ao adiamento para os dias 24 e 25 de corrente.

INCENTIVOS
Pilotos inspirados
nas vitórias do passado


As vitórias de José Fernandes na Classe de Turismo de 1600cc do campeonato Angolano de Velocidades e de Adilson Pinto na Supermoto, aliado aos vices-campeonatos de Jerónimo Carvalho (Supermoto) e o terceiro lugar de Adilson Pinto no motociclismo da época 2017 constituem barómetros de incentivo para as conquistas de troféus em todas as provas da presente época dos desportos motorizados.
O presidente da Associação da Huíla, Ivan Santos, reiterou que os pilotos locais estão fortes nos últimos anos, o que traduz a tradição nos desportos motorizados.
\"Acredito que os pilotos vão estar muito fortes nas diversas frentes, principalmente, nas que contam disputar os títulos como Karting (categorias DD2 e KZ), Supermoto e de Velocidades (EVO 600cc, Turism 1600cc)\", disse.
Ivan Santos recordou que os pilotos huilanos estiveram sempre bem representados em todos os eventos da FADM. Avançou que \"em muitos poucos casos não houve pódios da Huíla\".
\"No karting, Ledison Diogo quedou-se no quarto lugar da classe DD2, depois de muito equilíbrio até à última jornada; Rui Mendonça foi o terceiro classificado da classe MM. Os resultados espelham a boa representação dos pilotos huilanos\", recordou.


INFRA-ESTRUTURAS
Direcção reclama circuito propício


A falta de uma infra-estrutura propícia para albergar as provas de desportos motorizados continua a manchar a folha de serviço da Associação Provincial da Huíla. As provas de automobilismo são realizadas no circuito urbano da Nossa Senhora do Monte e as de karting no parque de estacionamento do Estádio Nacional de Tundavala.
Em declarações ao Jornal dos Desportos, o presidente da Associação Provincial de Desportos Motorizados da Huíla, Ivan Santos, disse que continuam a improvisar os locais para acolher as provas.
\"O circuito do Estádio Nacional Tundavala piora a cada ano e não temos as condições propícias para realizarmos as corridas de karting e de Supermoto. Gostaríamos de ter uma infra-estrutura vocacionada só para os desportos motorizados, mas falta-nos apoios das entidades do país\", manifestou.
Ivan Santos sustenta que vão remediar com os espaços possíveis \"para que os pilotos tenham algum ritmo competitivo\". Enquanto houver o silêncio das entidades competentes, a Associação promete levar o \"barulho dos motores\" nos gabinetes.
“Precisamos de infra-estruturas. Com a melhoria da situação económica do país, vamos procurar manter contactos com as autoridades e potenciais investidores no sentido de juntarmos as sinergias para a construção de um circuito vocacionado para o desporto motorizado\", defendeu.
A tradicional prova dos 200 km da Huíla em automobilismo continua a ser o maior evento anual do desporto motorizado na província. Contudo, Ivan Santos defende que a organização do certame vai continuar no \"icónico circuito da Nossa Senhora do Monte, com todos os riscos que podem advir\".
\"É um quebra-cabeça para a organização, Polícia Nacional, Bombeiros e outros órgãos envolvidos na realização de eventos desportivos na Huíla naquele espaço\", disse.
Por se tratar de um circuito urbano, Ivan Santos admitiu que os custos anuais com a montagem e desmontagem dos equipamentos são elevados. Perante os constrangimentos, reitera que \"é muito complicado pensar em organizar mais do que uma prova anual\".
Sem as infra-estruturas propícias, os pilotos estão condenados a encontrarem alternativas para treinos.
\"Os pilotos inscritos para as provas do Campeonato Angolano de Velocidades não têm as condições para treinar nem praticar o desporto na Huíla. É impensável fechar o circuito urbano para treinos face à movimentação da cidade. Uma medida semelhante causa transtornos aos citadinos\", defendeu.
Para compensar os amantes do desporto motorizado, a Associação da Huíla vai privilegiar as provas de Karting e de Supermoto por serem menos dispendiosas.
\"A nossa estratégia delineia a organização de provas que envolve menos recursos humanos  materiais e financeiros. Assim, vamos ter mais eventos na presente época\", justificou.


PROVAS
Associação expande nos municípios

A expansão de palcos para acolher as provas dos Desportos Motorizados constitui a aposta da direcção de Ivan Santos. A Associação da Huila propõe-se a levar os ruídos dos motores aos 14 municípios da circunscrição das terras da Chela.
O presidente da Associação assegurou que pretendem \"fugir um pouco\" da cidade de Lubango e levar as corridas às zonas com menos população, à semelhança do que acontece com os municípios de Quilengues e Caluquembe. O primeiro acolhe anualmente as provas de Rali BAJA-Quilengues e Angolano de Motocross, ambas competições da Federação Angolana de Desportos Motorizados.
O segundo é palco de provas de velocidade das categorias Supermoto, FZ e moto-rápidas, todas sob a égide da Associação provincial.
“Por isso, vamos tentar promover as provas este ano noutros municípios, mormente, Cacula, Caconda, Matala, Quipungo, Chibia, só para citar esses. Queremos ver outros eventos mesmo que sejam de pequeno porte, mas que levem às populações a adrenalina do desporto sobre rodas. O nosso objectivo é manter os nossos pilotos com rotatividade e bom ritmo desportivo”, justificou.
A organização das provas nos municípios conta com apoios das Administrações locais por serem direccionadas e constarem do programa de actividades das datas festivas dessas municipalidades.


FORMAÇÃO
Novos talentos despontam no Lubango


Sem citar os nomes, Ivan Santos manifestou-se contente com os jovens talentosos dos desportos motorizados da Huíla. O presidente da Associação provincial enalteceu os esforços pessoais e das equipas que apostam na formação de pilotos num quadro difícil da economia nacional.
O dirigente realçou que a nova geração vai potenciar a classe de pilotos da Huíla. O empenho evidenciado faz das terras altas da Chela \"um celeiro de grandes pilotos\" nos próximos quatro anos. Alguns jovens fazem a estreia na presente época.
\"Anualmente, aparecem novos pilotos, o que engrandece o desporto motorizado nacional\", disse.
Ivan Santos assegurou a ascensão de quatro pilotos de karting à categoria DD2, depois de longos anos no MAX. Durante a formação, \"mostraram que vão vincar os seus nomes\".
No motociclismo, a Huíla conta com um grupo de 12 pilotos em formação. Os jovens disputam a categoria FZ. O campeonato de Supermoto vai conferir a habilidade de alguns escolhidos na presente época. Ivan Santos garantiu a ascensão de outros para as provas de velocidade ainda no decorrer do ano \"caso apareçam apoios e patrocínios\".
\"Estamos expectantes com a qualidade dos pilotos nos próximos quatro anos. Provavelmente, vão levantar troféus e taças nas competições nacionais e internacionais\", prognosticou.

TALENTO
Ivan Santos enaltece Adilson Pinto


As qualidades evolutivas e as performances competitivas de Adilson Pinto, também conhecido nas lides desportivas por Rango, mereceram a exaltação do presidente da Associação Provincial dos Desportos Motorizados da Huíla, Ivan Santos. O dirigente destacou o \"talento nato\".
\"Com algum apoio, Adilson Pinto pode brilhar no mosaico nacional e internacional. Recentemente, foi convidado mais uma vez para participar no campeonato de super velocidade GT na África do Sul, na categoria de motos EVO600cc, mas infelizmente pode falhar o evento por falta de apoios financeiros\", revelou.
Ivan Santos sustenta que \"seria uma óptima oportunidade para um piloto angolano representar o país numa competição internacional com grande visibilidade no mundo\".
\"Rango é um piloto com talento nato. Em todos os sítios em que passou, os pilotos mais experientes e as equipas ficaram de olhos em bico. Os especialistas dizem não ser normal encontrar pilotos jovens com um talento tão desenvolvido”, elogiou.
O presidente da Associação prometeu continuar a trabalhar para apoiar o novo talento que desponta na cidade do “Cristo-Rei”.
“Vamos apoiar naquilo que for possível mesmo esporadicamente. Encorajamos a todos a participar dos eventos internacionais além-fronteiras”, assegurou Ivan Santos.
Adilson Pinto \"Rango\" evidencia-se em todas provas de motos EVO600 cc. Nos festejos da Nossa Senhora do Monte, a padroeira da cidade de Lubango, o piloto de 18 anos triunfou consecutivamente em 2016 e 2017. Arredou para lugares subsequentes os conceituados pilotos angolanos Hélder Coelho “Vuty” e Marcos Fonseca.
Ivan Santos considera o piloto do Team Damião & filhos, Adilson Pinto, \"uma promessa dos desportos motorizados huilano que carece de muitos apoios\".