Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Hula com prestao positiva no nacional

Gauncio Hamelay no Lubango - 13 de Abril, 2019

Nvel tcnico dos atletas satisfez a direco do Comit Paralmpico Angolano

Fotografia: M. Machangngo | Edies Novembro

A participação dos huilanos no 14º Campeonato Nacional de Corta-Mato Adaptado realizado há dias na Gabela, província do Cuanza - Sul, foi considerada positiva pelo treinador de atletismo local, fruto da conquista de duas medalhas de ouro, uma de prata e duas de bronze, que possibilitou a ocupação do segundo lugar, por equipa, em masculinos, na tabela de classificação geral.

 José Leôncio disse, que apesar dos huílanos terem feito uma prestação positiva nesta competição, não chega, pois, antes a Huíla sempre foi campeão nacional, por mais de cinco vezes. Por isso, pretende voltar a encontrar esse rumo, de sermos os campeões nacionais e não vice-campeões. 

 Defendeu, tal feito só vai acontecer, se houver apoios desde as estruturas provinciais. “Mas isso, vai acontecer se houver apoios desde as estruturas provinciais. Agora, só nós os treinadores a dar o cabedal com a área técnica e depois, quando chega a hora da viagem, é preciso chorar ali e acolá, para conseguirmos viajar é mesmo difícil”, lamentou.

 José Leôncio apontou, que se não fosse o Comité Paralimpico Angolano a apoiar com o transporte, acredita que a Huíla, em muitos anos, não estava mais a participar em eventos desportivos adaptado. 

 Não obstante essas inúmeras dificuldades, o treinador garantiu continuar a dar o melhor, em prol do desporto adaptado na província, até que um dia surjam apoios. “Nós vamos continuar a dar o nosso melhor, até que um dia, alguém de direito entenda que deve nos apoiar”, prometeu.  

 A Associação Provincial do Desporto Adaptado da Huíla conta com mais de 14 atletas em treinos, porém, a caravana participante no Nacional de Corta Mato, foi constituída por nove atletas e um treinador. 

José Leôncio revelou, que a Huíla nunca vai fazer frente aos atletas do Huambo, porque aquela província viaja com cerca de 50 atletas, nas mais diversas classes.  “Levam praticamente todas as classes. Então, nós não temos essa possibilidade de nessa altura, por exemplo, competir em pé de igualdade com as outras províncias, porque têm apoios”, admitiu.

Preocupação 
Técnico huílano clama por mais apoios 

O treinador da modalidade de atletismo adaptado, na cidade do “Cristo-Rei”, afirmou que para o Campeonato Nacional de Pista que se avizinha, os atletas precisam de efectuar uma preparação com afinco e dedicação, para pontuar.José Leôncio sustentou, entrar também por equipa nos três primeiros classificados, vai ser outra pretensão gizada pela comissão técnica da Associação local do desporto adaptado.

 Individualmente, adiantou o treinador, acredita que conseguem, mas é preciso agora trabalhar para estar num lugar de destaque, na classificação por equipa. “Isto, é o mais importante. Por exemplo, desta vez, conseguimos trazer para Huíla o troféu de segundo lugar no nacional de corta - mato, que é muito bom e motivante para os próprios atletas. Mas precisamos de alguém que nos dê a mão”, destacou.

 Aclarou, que só a ida da caravana huílana à província do Cuanza- Sul, tiveram de pernoitar na transportador rodoviária Macom, sentados à espera da saída do autocarro. Para ele, isto, também foi muito desgastante para os atletas de alta competição, não poderem dar o seu melhor. “Porque das 01h00 da manhã, para sermos apanhados às 09h00 do dia seguinte, para irmos para uma competição, não é salutar para um atleta”, lamentou.

 Destacou, que um atleta precisa de ter uma viagem e descanso tranquilo, para retemperar as energias para entrar bem na prova. José Leôncio pediu o envolvimento das instituições públicas e privadas, assim como da sociedade, em geral, no apoio ao desporto adaptado, paracombater o preconceito contra pessoas com deficiências e permitir a inserção no seio social. Informou, que a falta de apoios, material desportivo, incentivos aos praticantes, entre outros, dificulta a massificação e desenvolvimento desta vertente desportiva na província. 
                   
 Atletismo
Chitumba está  satisfeito com  adesão dos associados

O secretário - geral da Associação Provincial de Luanda em Atletismo, Pascoal Chitumba, está satisfeito com a adesão dos seus associados na prova de pista, que hoje, sábado, a partir das 07h30, organizou para disputar a terceira jornada, em seniores, juniores, juvenis e iniciados, em ambos os sexos, no Estádio dos Coqueiros.Em declarações ao Jornal dos Desportos, Pascoal Chitumba mostrou-se regozijado pelas equipas responderem ao apelo.
\"Estou satisfeito com a adesão das equipas, depois do apelo feito, temos mais de 100 atletas a competir nos diversos escalões, do 1º de Agosto, Petro de Luanda, Dibondo Abrão, Rui Mingas e Interclube ", disse.

Pascoal Chitumba disse, ainda, que a prática do atletismo está a crescer na capital. "O número de atletas na modalidade está cada vez maior em Luanda, isto quer dizer, que os clubes estão a trabalhar para a divulgação e vai permitir a descoberta de novos valores ",frisou.O atleta do Interclube, Nicolau Buende, pretende conquistar o título de salto em comprimento.

Em declarações à nossa reportagem, Nicolau Buende mostrou-se satisfeito com o nível de competitividade na prova. "Este ano, o nível de competitividade está alto, tem bons atletas, mas eu vou dar o meu melhor e conquistar o campeonato provincial.Nicolau Buende apela aos clubes à apostarem mais na formação.

"Os clubes precisam de apostar mais na formação dos atletas, tem de se criar pólos para o atletismo, em todos os Municípios, porque há muitos jovens com vontade de praticar, mas a distância entre os seus bairros e o local de treino, impede de concretizar os seus sonhos ", disse.
A província de Luanda tem uma pista no Estádio dos Coqueiros e uma outra pelada, no campo Olimpáfrica, em Viana.  PEDRO FUTA