Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Huíla pronta para receber os visitantes

Gaud?ncio Hamelay , no Lubango - 21 de Abril, 2017

Vice-governadora da Huíla para o Sector Político e Social acredita no sucesso da competição

Fotografia: Dombele Bernardo| Edições Novembro

As delegações desportivas estrangeiras participantes no Campeonato Africano de Boxe da Zona IV, em ambos os sexos, a decorrer na cidade do Lubango, entre os dias 27 do corrente mês a 1 de Maio próximo, vão encontrar na província um público huilano com o espírito acolhedor e nível de organização notável.

 A garantia é da vice-governadora da Huíla para o Sector Político e Social, Maria João Tchipalavela em declarações à imprensa no final da segunda reunião do comité organizador local da prova criada a luz do despacho do governador provincial, João Marcelino Tyipinge.

 “Os nossos visitantes poderão encontrar aquilo que a província e a cidade do Lubango têm, principalmente o espírito acolhedor e o nível de organização também da própria direcção da Juventude e Desportos, bem como da associação local de boxe. Também há um nível de preparação sobre as oportunidades da própria presença da realização do evento”, garantiu.

 A governante esclareceu que o governo da província já realizou dois encontros com a comissão criada que tem a função de criar as condições para o acompanhamento do Campeonato Africano de Boxe da Região IV sobretudo no domínio dos transportes, protocolo, infra-estruturas e hotelaria e turismo, bem como na dimensão cultural que a província pode oferecer aos seus visitantes.

 “O que nós estivemos a ver hoje (terça-feira), foi o cumprimento das recomendações que ficaram na reunião anterior. Estamos a procurar formas de que a estrutura principal multiuso da Nossa Senhora do Monte tenha condições acolhedoras para a realização do campeonato”, disse. 
 
Maria João Tchipalavela referiu que a participação das entidades públicas e privadas no evento é um processo que estão a articular para que estejam presentes.

“A nossa preocupação foi fazer com que as entidades privadas e públicas que queiram colocar as suas publicidades tragam os seus serviços para que possam fazer aqui neste espaço do pavilhão multiuso da Nossa Senhora do Monte”, destacou.

De acordo com a vice-governadora da Huíla para o Sector Político e Social, o objectivo da inclusão das entidades públicas e privadas no evento visa promover os produtos nacionais.

No entanto, o Jornal dos Desportos apurou que os técnicos da Angola-Telecom vão nos próximos dias aprontar a instalação de redes fixas e a colocação de internet em sistema Wi-Fi no pavilhão Multiuso da Nª Sr.ª do Monte para permitir a imprensa e não só executar o seu trabalho sem sobressalto.

O comité organizador provincial do Campeonato Africano de Boxe da Região IV, voltou a reunir-se ontem, quinta-feira, pelas 10h00 na sala de conferência de imprensa do Pavilhão Multiuso da Nossa Senhora do Monte sob presidência da vice-governadora, Maria João Tchipalavela e com a presença do presidente da Federação Angolana de Boxe, Carlos Luís e o director nacional para políticas desportivas do Ministério da Juventude e Desportos, António Gomes.


Combates
Condições técnicas estão asseguradas


O presidente da Associação Provincial de Boxe da Huíla, Daniel Cabango “Lussa”, garantiu que tecnicamente está tudo aposto para o arranque na data prevista do Campeonato Africano de Boxe da Região IV, na cidade do Lubango. Daniel Cabango “Lussa”, disse ter ficado muito satisfeito pelos passos já dados em relação a organização desta prova internacional.

“Nesta segunda reunião que tivemos na terça-feira com o comité organizador local em que participaram todas as comissões criadas, saímos totalmente satisfeitos. Digo isso porque praticamente as coisas estão todas avançadas e esperamos apenas o momento da actividade”, tranquilizou. Pontualizou que a delegação namibiana é o primeiro país a chegar em Angola concretamente na cidade do Lubango.

Disse que os namibianos são aguardados no dia 25 via terrestre e acrescentou que em seguida isto é no dia 26, chega o grosso das delegações à Luanda e dia seguinte viajam para a Huíla. Confirmou que o ringue existente na província que vai servir para os treinos das selecções envolvidas no certame começou a ser montando desde de ontem quarta-feira, enquanto o proveniente da capital do país estará apenas na província no sábado.  No concernente a confirmação do número real de participante na prova, Daniel Cabango “Lussa”, explicou não ter ainda a confirmação exacta.

“Mas soubemos que todos os países inscritos estarão presentes para competir normalmente nas 10 categorias exigidas em masculino e cinco na classe feminina”, disse.


Constatação
Evento relança
a modalidade no país


A realização do Campeonato Africano de Boxe da Região IV na cidade do Lubango é uma plataforma de relançamento do boxe no país, considerou o presidente de direcção do Sporting Clube do Lubango, Rui Humberto Teles, que manifestou-se regozijado pelo facto de Angola organizar o evento.

“Há que dar os parabéns as pessoas que tiveram a ideia de organizar a prova para ver se seja uma plataforma de relançamento do boxe outra vez no país”, louvou.

 Admitiu que Angola já teve um boxe que poderia ombrear com os países mais fortes da zona. Acrescentou que neste momento crê que não estamos em condições ainda de podermos ombrear com os países mais fortes como a África do Sul, Namíbia e a Zâmbia.

Rui Humberto Teles reconheceu que estes são países com algum potencial principalmente a África do Sul. “Mas haverá atletas do nosso nível e se o sorteio for favorável, podemos alcançar algumas medalhas”, sustentou.

O também antigo seleccionador nacional de boxe na década de 80 referiu que sempre que há actividade desse género, “nós somos regozijados embora sabemos que a modalidade está a atravessar uma fase não muito boa”.

Sublinhou que quando se começa a sonhar e a investir em actividades desse género, é sinal de que a federação goza de algum oxigénio para puder movimentar essa quantidade de participantes.

 Defendeu que “só deveríamos começar sempre em ter a competição interna porque para termos uma boa selecção precisamos de ter uma boa competição interna”, realçou.
Gaudêncio Hamelay, no Lubango