Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Hulkenberg admite frustração

17 de Dezembro, 2015

Nico Hulkenberg mereceu aplausos na F1

Fotografia: AFP

Nico Hulkenberg  está na F1 desde 2010, mas ainda não deu o passo para o mundial. O alemão conduz  carros de equipas medianas e nunca subiu ao pódio. O piloto da Force India reflecte que mais agressividade não é a solução para melhorar os resultados.Nico Hulkenberg é visto como um dos pilotos mais talentosos da actual grelha da F1. O alemão consegui uma inesperada vitória nas 24 horas de Le Mans. Todavia, parece "encalhado" no meio do pelotão, incapaz de dar o passo na sua carreira.

A ver o tempo passar, o alemão não esconde o incómodo, por exemplo, ver o companheiro na Force India, Sergio Perez, somar grandes resultados na construtora indiana, deixa - o triste.“Claro que isso me frustra. Não penso que preciso tomar mais riscos para alcançar isso. Vocês viram na Rússia, só precisei de estar na frente. Naquele dia, arrisquei e paguei o preço. Um preço alto. Falhei naquele dia”, diz Hulkenberg, ao fazer referência ao GP em que Pérez terminou em terceiro.

Hulkenberg assegura que  "não funcionou  a estratégia, mas o piloto precisa de  ficar calmo e de algum nível de agressividade". Para alcançar a vitória, "apenas precisa de trabalhar duro".Em 2015, Hulkenberg viveu uma coisa rara na sua carreira: foi batido pelo seu companheiro de equipa, resultado que só tinha acontecido no  ano de estreia na F1, quando era colega de Rubens Barrichello na Williams.Para 2016, Hulkenberg vai correr na Force Índia, ao lado de Pérez. O futuro da equipa ainda está em aberto: a Aston Martin aparece como uma possível compradora da equipa indiana, mas a Diageo - gigante do mercado de bebidas - também aparece como candidata.