Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

IAAF decide em Junho

23 de Abril, 2016

A IAAF vai decidir a 17 de Junho se a Rússia é readmitida com todos os direitos no atletismo internacional

Fotografia: AFP

A IAAF vai decidir a 17 de Junho se a Rússia é readmitida com todos os direitos no atletismo internacional, deixando assim no ar a participação de atletas daquele país nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

Em comunicado ontem divulgado, a Associação Internacional das Federações de Atletismo confirma que essa decisão será tomada na reunião do conselho a ter lugar em Viena, escassos dias antes dos Campeonatos Nacionais da Rússia, onde os atletas poderão conseguir os mínimos olímpicos. A federação russa de atletismo está suspensa desde o final do ano passado, no seguimento do escândalo de omissão e 'branqueamento' generalizado de análises anti-dopagem aos seus atletas.

Em Março, a IAAF já tinha adiado para Maio uma "decisão definitiva" sobre a situação, que tem impedido a presença de atletas russos em competições internacionais e levou a novas localizações para eventos que estavam atribuídos à Rússia. Na ocasião, foi dito que a federação russa ainda tinha meses de trabalho pela frente para cumprir todos os critérios de luta anti-dopagem.

Por imposição da IAAF, a Rússia elegeu novo presidente para a federação, alterou o funcionamento a agência anti-dopagem do país e afastou os treinadores envolvidos na dopagem maciça.

Já esta semana, a Rússia acordou com a Agência Mundial Anti-dopagem (AMA) que sejam peritos independentes a assumir a responsabilidade da luta anti-doping no desporto russo.

Ciclo via desaba
e provoca mortos

Um troço da ciclovia construída para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, que contorna o litoral da cidade brasileira sobre um viaduto recém-inaugurado, desfez-se  quinta-feira devido à forte ondulação, fazendo pelo menos dois mortos.

Ruiu um troço de viaduto com cerca de 50 metros que foi construído sobre uma rocha, junto ao mar, e que segue paralelamente à avenida Niemeyer.
Dois homens de cerca de 40 anos morreram na derrocada, ao caírem no mar juntamente com os escombros, indicaram porta-vozes dos bombeiros cariocas, citados pela agência de notícias espanhola Efe.

As equipas de resgate continuavam as buscas no mar, com um helicóptero, uma mota aquática e mergulhadores, perante a possibilidade de haver um desaparecido, embora tal informação não fosse confirmada, indicou o secretário de Governo da Prefeitura do Rio, Pedro Paulo Carvalho Teixeira, em declarações à imprensa.Pelo menos um dos mortos foi retirado do mar por um helicóptero dos bombeiros e foi levado para a praia de São Conrado, perto do local do acidente. O novo troço de ciclovia mede 3,9 quilómetros, foi inaugurado em Janeiro passado e custou 45 milhões de reais (10,6 milhões de euros).

Este projecto, que pretende ligar toda a costa do Rio, será utilizado por cerca de 70.000 ciclistas por dia, segundo os cálculos da Prefeitura, que estima fique concluído para os Jogos Olímpicos, que se realizam entre 05 e 21 de Agosto deste ano.


DOPING para participar nos jogos
Quénia com nova lei


A nova lei Anti-dopagem do Quénia entrou ontem vigor, permitindo ao país dar um passo importante para evitar uma possível proibição dos atletas do país participarem nos Jogos Olímpicos Rio2016. “Tenho a honra de anunciar que esta manhã assinei a legislação sobre doping há muito aguardada”, afirmou o presidente do Quénia.

Uhuru Kenyatta manifestou-se esperançado de que a Agência Mundial Anti-dopagem (AMA) veja a entrada em vigor da nova lei “como um sinal de compromisso do país com os critérios internacionais”.

A nova lei cria uma agência Anti-dopagem e prevê multas de 1.000 dólares (cerca de 886 euros) e uma pena de prisão até um ano para os atletas que acusem consumo de substâncias dopantes.

A legislação prevê também punições, pecuniárias e penas de prisão, para quem forneça ou administre as substâncias proibidas.

A AMA discute a 12 de Maio a situação do Quénia, depois de ter concedido dois adiamentos ao país para que este adapte o seu código Anti-dopagem às regras internacionais. “Peço aos nossos atletas que respeitem os códigos mais exigentes de conduta”, afirmou Kenyatta, acrescentando: “os poucos casos registados não reflectem a integridade dos nossos atletas”.

A 07 de Abril, a AMA anunciou que caso o Quénia não adequasse a sua legislação até 02 de Maio poderia sofrer sanções como a proibição de participar no maior evento desportivo mundial, que se vai realizar no Rio de Janeiro, entre 05 e 21 de Agosto.

Nos últimos anos, mais de 40 atletas do Quénia, a maior potência mundial do atletismo de fundo, tiveram resultados positivos de doping.