Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Infiltraes danificam Cidadela

Silva Cacuti - 02 de Março, 2019

As infiltraes de gua inviabilizam qualquer trabalho nos recintos.

Fotografia: Silva Cacuti

Luanda pode ver-se privada dos pavilhões anexos números um e dois do Complexo Desportivo da Cidadela em função da velocidade com que se degradam os pisos ante a constante infiltração de águas de que têm sido alvo sempre que a cidade  de Luanda recebe as quedas pluviométricas.
As infiltrações de água inviabilizam qualquer trabalho nos recintos, mas, em breve, vão enfraquecer e apodrecer os pisos. Aliás, os danos já começam a ser evidentes no anexo número dois. 
Na última quinta-feira, o treino da selecção nacional de hóquei em patins, que se prepara para o Campeonato Africano, foi \"inviabilizado pela infiltração de água\". Carlos Almeida, Secretário de Estado para o desporto, que se propôs a assistir ao treino marcado para aquele dia, testemunhou a precariedade do recinto em que a equipa trabalhava.
Contactado pela nossa reportagem, Joaquim Cafuxi, gestor do complexo da Cidadela Desportiva, disse conhecer a situação, mas que está de mão atadas ante a exiguidade de recursos para fazer face à eventual reparação.
\"Temos problemas com a cobertura dos pavilhões já há algum tempo. Creio que as chapas ganharam ferrugem e, em muitos pontos, temos infiltrações. Há bastante, temos esta preocupação, mas é uma despesa muito grande que não conseguimos cobri-lo com os nossos meios\", disse Joaquim Cafuxi.
Os dois pavilhões foram reabilitados em 2013, no âmbito do 41º Campeonato Mundial de hóquei em patins que o país acolheu. O pavilhão anexo número 1 é reservado ao andebol, futsal e hóquei em patins, enquanto o número 2 está reservado ao basquetebol e voleibol. As intervenções consubstanciam-se na substituição do tecto, loiça sanitária, piso, reparação completa dos balneários, colocação de novas tabelas e placares electrónicos.