Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Inspeco ao permetro

Silva Cacuti - 30 de Dezembro, 2014

Federados e estrangeiros vo comear a prova frente dos populares para evitar constrangimentos registados nas edies anteriores

Fotografia: Jornal dos Desportos

Apenas hoje, à noite, é dado o visto final sobre a prontidão do percurso da 59ª edição da corrida de fim de ano, a São Silvestre de Luanda, após a última vistoria a ser efectuada pela organização e órgãos do Governo Provincial de Luanda (GPL). A última vistoria ao percurso, inicialmente marcada para a noite de ontem, acabou transferida para hoje, por questões técnicas. Contudo, sabe-se que nada mais há a fazer, porquanto” foram cumpridas as tarefas que se impunham”, de acordo com Adriano Nunes, director da prova.

A vistoria começa no Largo da Mutamba, onde a comitiva técnica segue em sentido ascendente, passa pelos Largos Serpa Pinto e da Maianga, antes de entrar na Avenida Revolução de Outubro, segue em direcção à Avenida Ho-Chi-Minh, Largo das Heroínas, Largo 1º de Maio, Avenida Alameda Manuel Van-dúnem para daí desembocar no Largo do Kinaxixe, descer as Ruas da Missão e Cirilo da Conceição, toma a seguir  a Avenida 4 de Fevereiro, segue o sentido do Largo do Baleizão e daí para a Rua Manuel Caldeira até chegar ao Estádio dos Coqueiros, onde vai estar instalada a meta final.

ATLETISMO   SÃO SILVESTRE DE LUANDA
Organização separa as partidas



Os corredores masculinos e femininos inscritos para a corrida de fim de ano, a São Silvestre de Luanda, vão partir em tempos diferentes, anunciou o director de prova, Adriano Nunes. Falando ao Jornal dos Desportos, o responsável referiu-se à inovação como  uma das recentes decisões da organização, com objectivo de reduzir os constrangimentos que se têm registado nas partidas, ao longo das últimas edições.

“Decidimos fazer partidas separadas. As senhoras partem com cinco minutos de antecedência e os senhores às 18h00. Com a intenção de melhorar as situações que têm surgido na partida, vamos também dividir o grosso de corredores masculinos, colocar os atletas de elite (federados e estrangeiros) à frente e os populares atrás”, explicou.

Outros aspectos organizativos da prova estão a correr a preceito. Os kits com camisolas, bonés e dorsal continuam a ser distribuídos. No acto, os concorrentes estão a ser submetidos a testes de tensão arterial.

No que toca aos participantes, algumas representações provinciais já estão em Luanda para integrar os cerca de 1.500 inscritos. Os atletas de elite, na sua maioria, já estão no país, com destaque para Alex Korio e Stephen Kosgei, favoritos à conquista da prova, que vieram sob cuidado do Kabuscorp do Palanca.

As comissões de saúde, segurança, protocolo, juízes e alojamento têm tudo a postos e aguardam pelo tiro de largada, no Largo da Mutamba.
A corrida vai oferecer ao vencedor um prémio de 15 mil dólares norte-americanos (cerca de 1,5 milhões de kwanzas). Na classe feminina, a vencedora vai receber 12 mil dólares (cerca de 1,2 milhões de kwanzas).

Os corredores angolanos, independentemente dos prémios estabelecidos pela organização, contam ainda com prémios que vão ser oferecidos por uma empresa do ramo de material informático, que no âmbito de um convénio com a Federação de Atletismo, vai oferecer um computador portátil, tablet e GPS aos três primeiros classificados, em ambas classes. No ano passado, os melhores angolanos foram Alexandre João e Ernestina Paulino.
SC