Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Interclube do Lubango vence torneio

Gaudncio Hamelay-Lubango - 04 de Abril, 2019

Os mestres precisam empenhar-se um pouco mais e os atletas devem aprimorar mais as tcnicas

Fotografia: Edies Novembro

Sem o apuro técnico convincente, o Interclube do Lubango conquistou no último fim de semana o primeiro torneio da época desportiva 2019 de taekwondó da Huila, realizado no pavilhão da Nossa Senhora do Monte. Os polícias levaram os troféus na categoria infanto-juvenil por arrebatarem quatro medalhas de ouro. A Academia 8 de Março quedou-se em segundo lugar com igual número de medalhas e a Escola Emefel fechou o pódio com três medalhas. Na quarta posição, ficou o Clube Desportivo da Huíla com duas medalhas de ouro.
O evento contou com a participação de 50 petizes em representação de 10 Academias. Os níveis competitivos dos atletas do Interclube do Lubango, Escola 8 de Março, Escola Emefel, Clube Desportivo da Huíla, Sport Lubango e Benfica, Escola 16 de Junho, Dragões da Arimba e municípios da Caconda e da Chibia ultrapassaram as expectativas da organização.
Em declarações ao Jornal dos Desportos, o presidente da Associação Provincial de Taekwondó da Huíla, António Vapor, assegurou que "o objectivo fundamental foi recuperar a modalidade e levá-la aos níveis dos anos 80 e 90 do século passado".
António Vapor reiterou que esperava mais dos atletas maior qualidade técnica, mas está satisfeito com o trabalho dos treinadores. As dificuldades enfrentadas no treinamento desportivo reflectiram no evento.
"Não há nada melhor do que começar com os pequenos. As crianças não têm culpas por falta de material desportivo. As Academias estão desprovidas de meios e estão sem recursos para os adquirir fora do país", disse.
Aos treinadores, o dirigente apela a fazerem mais um pouco de sacrifício para elevar a qualidade competitiva dos atletas.
"Os mestres precisam empenhar-se um pouco mais e os atletas devem aprimorar mais as técnicas e manter a disciplina desportiva para maior eficácia", apelou.
A falta de atletas femininas entristeceu António Vapor. O dirigente prometeu trabalhar com os clubes na sensibilização de pais, crianças e adolescentes para a inserção das "potenciais candidatas campeãs africanas e mundiais".