Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Investimento proporciona pódio em África

14 de Maio, 2015

António Monteiro "Bambino".

Fotografia: Jornal dos Desportos

A construção de mais infra-estruturas desportivas vai permitir a Angola atingir nos próximos tempos, o pódio dos Jogos Africanos ou da Juventude. A constatação é do secretário-geral do Comité Olímpico Angolano (COA), António Monteiro "Bambino".

Em declarações à Rádio Cinco, o responsável assegurou que “está fora de questão Angola atingir o top 5 nos Jogos Africano em 2019 ou mesmo 2023 se não haver investimentos em infra-estruturas desportivas”.

António Monteiro lamenta a falta de pistas de tartan nos principais estádios erguidos em Angola, para a prática de atletismo. A aposta nas modalidades individuais deve ser uma realidade. Como exemplo, Bambino apontou o Madagáscar, país menos dotado que Angola em termos financeiros. “O Madagáscar tem menos recursos financeiros que Angola, mas conseguiu investir nas modalidades individuais, que mais medalhas fornecem, com a construção de um estádio com pista da tartan. Este recinto é utilizado abertamente para todos os interessados e com técnicos contratados pelo Estado”, desabafou.

Perante o facto, existe pouco apoio nas modalidades individuais, que se defrontam com dificuldades na obtenção de patrocínios e mesmo de dinheiro suficiente para sustentar várias áreas como a formação de treinadores, dirigentes, aquisição de material e para competições nacionais e internacionais. “As modalidades individuais têm poucas possibilidades de adquirir financiamento, porque algumas instituições do Estado e do sector privado dão mais prioridades às modalidades com maior visibilidade, como futebol, basquetebol, hóquei em patins e andebol”, disse.

Bambino é um dos co-fundadores do departamento de natação no 1º de Agosto e um dos primeiros nadadores angolanos que participou nos Jogos Olímpicos de Moscovo, em 1980. Com conhecimento de causa, assegura que é difícil haver treinadores com uma formação adequada, com a falta de investimentos nestas modalidades. Toda a fatia é dada às disciplinas colectivas. 

“Não podemos só criticar, mas também temos de elogiar as boas realizações, sobretudo, do apoio que o Ministério da Juventude e Desportos concedeu à judoca Maria Fátima “Faia” para realizar a sua preparação no exterior do país para as futuras competições como os Jogos Africanos de Brazzaville”, reconheceu.

Em 1998, em despacho do antigo Ministro da Juventude e Desportos, Sardinha de Castro, António Monteiro "Bambino" foi nomeado para assumir a presidência de direcção da Federação Angolana de Natação por um período de dois anos.

Entre os anos 2000 a 2012, cumpriu três mandatos (presidente de direcção) da Federação de Natação à luz da lei 7/87 das Associações Desportivas Nacionais. Actualmente, ocupa o cargo de secretário-geral do Comité Olímpico Angolano (COA).