Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Isinbayeva deixa a presidência

02 de Junho, 2017

Atleta russa cede presidência por pressões da Agência Mundial Antidoping e abre caminho para um novo candidato no órgão

Fotografia: AFP

A antiga atleta russa Yelena Isinbayeva anunciou na quarta-feira que vai deixar a presidência do conselho de supervisão da Agência Antidopagem da Rússia (RUSADA), cumprindo assim um pedido da Agência Mundial Antidopagem (AMA). \"Estou feliz por ter alcançado o meu objectivo.

Sei que agora devo deixar o caminho livre para um novo presidente, que vai concluir o trabalho da reintegração plena da Rússia\", disse a antiga saltadora, em declarações à agência noticiosa Interfax.

Recentemente, o director-geral da AMA, Oliver Niggli, disse que Isinbayeva, uma das vozes mais críticas das investigações e sanções impostas pela AMA ao desporto russo, deveria deixar o posto na agência antidopagem do país e abrir caminho à entrada de uma pessoa independente.

O conselho de supervisão, que iniciou funções em Dezembro de 2016, foi encarregado de limpar a imagem da Rússia, abalada por vários escândalos de doping nos últimos dois anos.

Os atletas russos foram impedidos de participarem nos Jogos Olímpicos Rio\'2016, na sequência da descoberta de um sistema generalizado de distribuição de doping com conhecimento e apoio estatal, que abrangeu, entre outros eventos, os Jogos Londres\'2012 e Socchi\'2014 (Inverno).

SUSPENSÃO
Por outro lado, a Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF) confirmou também na quarta-feira a suspensão por oito anos imposta pela Agência Norte-americana Antidopagem a Jon Drummond, treinador de Tyson Gay quando o atleta acusou positivo num controlo antidoping.

Na base da decisão do organismo de combate ao doping nos Estados Unidos de suspender o antigo velocista norte-americano e actual treinador está a posse, tráfico e administração de substâncias proibidas pelo código mundial antidopagem. Drummond está impedido de exercer a actividade de treinador entre 17 de Dezembro de 2014, data do início da suspensão preventiva, a 16 de Dezembro de 2022.

A IAAF ratificou também os quatro anos de suspensão ao discóbolo norte-americano Jason Young, por posse e consumo de substâncias proibidas, numa lista de suspensões em que figuram também seis atletas russos e seis ucranianos.