Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Jamaicano Usain Bolt nega recurso a substâncias dopantes

04 de Julho, 2013

Pelo menos dois desses corredores eram treinados por Mills.

Fotografia: AFP

As marcas de outro mundo que atinge nas pistas de atletismo podem suscitar alguma especulação, mas estão longe de provocar qualquer tipo de melindre em Usain Bolt. Confrontado com os rumores de alegado recurso a substâncias dopantes, o velocista jamaicano diz estar de consciência tranquila. “Estou limpo, não tenho problema algum em relação a isso. Nenhuma preocupação. Podem fazer-me testes a qualquer hora do dia.

Por favor, evitem apenas procurar-me às seis da manhã, como costumam fazer”, ironizou o raio, que se encontra em Paris para participar sábado na etapa francesa da Diamond League, no Stade de France de Saint-Denis.  O estádio foi palco da final do Campeonato do Mundo de 1998.
“Só não posso responder em nome dos outros”, disse o atleta. O jamaicano esteve há pouco tempo envolvido numa polémica sobre doping após postar uma foto na Internet ao lado de camisas da marca americana “The Pothead Diaries” (Diários de Liambeiro, em português). O corredor foi acusado de fazer apologia das drogas.

A constatação de uso de substâncias ilícitas pela compatriota Veronica Campbell-Brown, em Maio, também reacendeu a discussão sobre o doping no desporto. A bicampeã olímpica dos 200m foi encontrada com uso de um diurético proibido durante uma competição em Kingston, capital da Jamaica.
O técnico de Bolt, Glen Mills, declarou em público que apoia a criação de um laboratório antidoping na Jamaica. Em Junho de 2009, cinco atletas jamaicanos, incluindo o prodígio Yohan Blake, foram punidos com suspensão de três meses por uso de um estimulante proibido. Pelo menos dois desses corredores eram treinados por Mills.