Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Jeptoo em maus lençóis

23 de Abril, 2015

Jeptoo venceu maratonas de Boston e Chicago mas envolvimento ao doping levou à suspensão

Fotografia: AFP

A atleta queniana Rita Jeptoo, vencedora das maratonas de Chicago e Boston, corre o risco de ver aumentada a suspensão de dois anos por doping, caso o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) considere o recurso da IAAF.

A Federação Internacional de Atletismo (IAAF) considera que a pena é demasiado suave. Ao mesmo tempo, o TAS tem em mãos um recurso apresentado por Rita Jeptoo, no sentido de poder correr enquanto não existir uma decisão.

Jeptoo, de 34 anos, teve uma análise que acusou a presença de eritropoietina (EPO), em Setembro, num teste fora de competição. Em Dezembro, a análise à amostra B, feita pela Agência Mundial Antidopagem, confirmou a hormona, que levou ao castigo imposto pela Federação queniana.
A pena foi a mínima aplicável de acordo com os regulamentos antidoping, à altura dos factos, mas de Janeiro para cá, os atletas  apanhados por utilização de substâncias dopantes têm de enfrentar um período de quatro anos de suspensão.

“A Federação Internacional de Atletismo (IAAF) apelou para que o período de inelegibilidade seja alargado a quatro anos, devido a circunstâncias agravantes, que, alega, poderem reforçar a sanção”, referiu o TAS.

Além de três vitórias na maratona de Boston (2006, 2013 e 2014) e duas na maratona de Chicago (2013 e 2014), Jeptoo conta com o triunfo na meia-maratona de Lisboa de 2008, assim como as vitórias nas maratonas de Estocolmo e Milão em 2004.

SUZANA  FEITOR
Susana Feitor é a grande novidade da selecção portuguesa de atletismo, que vai disputar a Taça da Europa, de marcha, a 17 de Maio em Múrcia, Espanha, depois de longa ausência.

A atleta de 40 anos estava fora da selecção, desde a época passada, quando foi “surpreendida” por não integrar a equipa dos 20 km de marcha para os Europeus de Zurique, apesar de ter mínimos A e da lesão de uma colega, que a “tapava” na equipa de três marchadoras.

A sua “angústia pela forma como o processo (de selecção para os Europeus) foi conduzido” levou-a mesmo a demitir-se de vogal da direcção da federação, volvidos apenas quatro dias do incidente.

Carlos Carmino é o técnico nacional de marcha atlética e é quem vai liderar a equipa, que inclui ainda os treinadores Jorge Miguel, Paulo Murta e Luís Dias.


ATLETISMO
Sara Moreira
falha maratona

A portuguesa Sara Moreira anunciou a sua desistência de participar da maratona de Londres devido a lesão, em comunicação na sua página oficial no Facebook. A atleta havia assumido a ambição de melhorar os respectivos recordes pessoais na maratona de Londres, no próximo dia 26 de Abril, escusou-se a apontar como objectivos posições na classificação.

“Nem sempre as notícias que vos trago são as melhores, quem anda no desporto sabe, que por vezes, nas alturas mais importantes, os azares acontecem, desta vez aconteceu comigo. Uma lesão torna impossível a minha presença, no domingo, na maratona de Londres. Estou triste e frustrada, mas a recuperar para voltar melhor e o mais breve possível”, revela a atleta na sua mensagem.

Sara Moreira, que ia disputar a sua segunda maratona, depois de se ter estreado na maratona de Nova Iorque com 2h26min00s, e Dulce Félix, 2h24min40s, como melhor, igualmente na maratona de Nova Iorque de 2014, tinham assumido há alguns dias a ambição de melhorar os respectivos recordes pessoais nesta prova, escusou-se na altura a apontar como objectivos posições na classificação.