Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Jeremias Hossi talento que desponta na Huíla

Gaud?ncio Hamelay - Lubango - 29 de Junho, 2017

Aos 12 anos, o pequeno xadrezista huilano do núcleo da aldeia S.O.S-Água Preciosa,  curiosidade desperta pela habilidade e eficácia de jogar.
Dotado tecnicamente,  com aberturas incríveis, Jeremias Hossi é um dos pré-seleccionados em sub-12 para representar o país no africano individual de escolas, em ambos os sexos, a decorrer na Namíbia, em Agosto.

Com apenas um ano de prática de xadrez,  notabiliza-se com vitórias nas competições locais, e nacionais.  Fruto disso, ocupou por mérito próprio a segunda posição nos nacionais de juvenis, realizado no mês de Agosto no Cunene, e há dias o troféu da segunda edição do torneio Criança Inteligente em xadrez.

De poucas palavras, Jeremias Hossi é órfão de pai e mãe desde a infância, almeja no futuro ser mestre internacional,  sustentou que para a concretização do sonho conta com o apoio incondicional da família, amigos e técnicos para conseguir êxitos na sua carreira desportiva.

Confessou ter como admirador o Grande Mestre e ex-campeão mundial de xadrez, o russo Garry Kasparov. Jeremias Hossi esclareceu que foi incentivado a praticar xadrez por uma irmã da aldeia SOS. “Falaram com o pai da aldeia,  este por sua vez, arranjou-nos um treinador”, explicou.

Afirmou, que na sua estreia em competições nacionais, que aconteceu na província do Cunene no pretérito mês de Agosto, ganhou experiência em jogar com as peças.

Por ser um dos convocados, confidenciou o garoto sob responsabilidade desde criança da aldeia S.O.S, está a treinar muito para merecer a confiança do seleccionador nacional e dignificar as cores da nação.

A preparação incide fundamentalmente nos aspectos de técnicas de abertura, e finais de jogos, movimentos das peças, sobretudo os peões, cavalos, bispos, damas e reis.

No entanto, nos escalões de juvenil masculino, Jeremias Hossi na primeira participação em provas nacionais arrebatou a medalha de prata, fruto do segundo lugar alcançado que lhe valeu a convocação para a pré-selecção nacional de sub-12, masculino, enquanto na pré-selecção em sub-14, feminina, a Huíla está representada pela atleta Angelina Lussolani, o que constitui um orgulho para a província de ver os jovens talentos do desporto ciência a representar as cores do país além fronteira.


Preparação
Atletas aprimoram
aspectos técnicos


 O aprimoramento dos aspectos técnicos de abertura e de finalização de jogos, dominam a preparação dos dois xadrezistas huilanos convocados para integrar as pré-selecções nacionais de xadrez, nos escalões de sub-12 e sub-14, em masculino e feminino, com vista o africano individual de escolas, a decorrer na Namíbia, em Agosto. 

António Abreu Lunambue, técnico do núcleo de xadrez da aldeia S.O.S-Água Preciosa, assegurou que a preparação dos dois xadrezistas apurados para pré-selecção de sub-12 em masculino e sub-14 em feminino, com vista os jogos da Namíbia, decorre sem sobressaltos.

Explicou que neste momento, estão a tratar de questões administrativas, relativamente à viagem dos xadrezistas. “Estamos a manter contactos direitos com a Federação angolana da modalidade, no sentido de nos dar as directrizes a seguir. Agora, noutros aspectos de preparação técnicos, estamos a treinar e dar o nosso máximo, para ver se os nossos atletas eleitos possam representar em pé de igualdade com os xadrezistas de outros pontos da África”, proferiu.

Em declarações ontem ao Jornal dos Desportos, no Lubango, António Abreu Lunambue considerou o xadrezista Jeremias Hossi um admirável talento que desponta,  futuramente o clube e a província contam com ele para a médio prazo trazer títulos nacionais e quiçá africanos.

Sustentou, que actualmente estão a aprimorar as técnicas de abertura e finais de jogos. De acordo com o técnico, considera-se a abertura como a fase mais importante onde acontece a derradeira etapa de concentração, assim como outros pormenores que muitos outros jogadores juvenis ainda não dominam muito bem.

 “Por isso, estamos apertar neste pormenor com mais relevância”, frisou.

Jogar em provas internacionais, apontou António Abreu Lunambue, é uma tarefa difícil porque  defronta atletas de diferentes escolas e países de África.

Contudo, garantiu que a perspectiva quando os xadrezistas estão neste tipo de campeonatos, é darem o melhor de si. “Acreditamos que com o trabalho que estamos a incutir, podem vir a obter bons resultados”, garantiu.  

O núcleo de xadrez da aldeia S.O.S-Água Preciosa, movimenta 15 xadrezistas, nos escalões de juvenis e juniores,  cinco do sector feminino, com tendência a aumentar o número de praticantes, nos próximos meses.

A fábrica de Água Precisa é o grande parceiro do núcleo de xadrez da SOS, que existe há 2 anos, revelou António Abreu Lunambue.

 “Os xadrezistas que estão a ser formados neste núcleo, são grandes promessas,  na sua maioria são crianças. Por isso, é com esses petizes que contamos futuramente, não só para a aldeia SOS, a província pode vira  fazer parte das selecções seniores”, prometeu.
Gaudêncio Hamelay - Lubango