Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Jieni garante apuramento

07 de Maio, 2016

Jiene aumenta presença portuguesa

Fotografia: DR

Shao Jieni é a quinta portuguesa apurada no ténis de mesa, para os Jogos Olímpicos de 2016 no Rio de Janeiro, informou na quinta-feira a Federação portuguesa de ténis de mesa, após a publicação do ‘ranking’ mundial de Maio.

“Há mais uma atleta portuguesa apurada para o Rio de Janeiro. Jieni é a 15.ª da lista de atletas  por apurar, assegurou assim que Portugal verá o seu quinto mesa-tenista apurado para o grande evento do ano”, refere a Federação.

Shao Jieni junta-se  a Fu Yu nas provas de singulares feminino do Rio2016, enquanto em masculino estão Marcos Freitas e Tiago Apolónia, a nível individual, mas também na variante por equipas, na qual se vai juntar mais um jogador.

Portugal vai ter assim um quinto elemento nos Jogos, para completar o conjunto masculino, que vem de um apuramento  pelo ‘ranking’ de países – a equipa lusa é a quinta do mundo, segunda europeia.

Com Marcos Freitas (12.º do mundo) e Tiago Apolónia (20.º) apurados, a federação lusa vai ter  de optar entre João Monteiro (38.º) e João Geraldo (60.º) para formar o trio português.


RÂGUEBI
Cooper contraria seleccionador


O jogador Quade Cooper, natural da Nova Zelândia, contrariou ontem a versão do seleccionador australiano de râguebi de sete, que justificou o afastamento do três -quarto - centro" com a dificuldade em adaptar-se à selecção que vai disputar os Jogos Rio2016.

“É frustrante não ter a questão do passaporte e da cidadania resolvida a tempo. Preciso de estar na Austrália 90 dias antes de obter a cidadania, ainda que tenha jogado 58 vezes pelo meu país”, lamentou Cooper.

O jogador alinha nos franceses do Toulon e integrou a selecção da Austrália nos Mundiais de râguebi de XV de 2011 e 2015, foi excluído na quinta-feira da selecção olímpica australiana, tendo o treinador Andy Friend alegado que não ia ter tempo para  adaptar-se à equipa.


DICK POUND
 “É difícil confiar nos russos”


O canadiano Dick Pound, antigo presidente da Agência Mundial Antidopagem (AMA), disse ontem que vai ser muito difícil confiar em qualquer atleta russo, mesmo que a federação de atletismo do país seja autorizada a participar nos Jogos Olímpicos Rio2016.

Pound liderou uma comissão independente que aconselhou a Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF) a suspender a federação russa, na sequência de uma reportagem do canal alemão ARD ter revelado um sistema de dopagem sistemático com apoio do Estado.

“Quando entregámos o relatório em Novembro, dissemos que eles [Rússia] podiam regressar se acelerassem e fizessem o trabalho de forma adequada, mas dependia deles. Vai haver muita pressão para os ter de volta e do ponto de vista do sistema, seria muito bom ter toda a gente nos Jogos”, referiu.

Contudo, Pound considera que ainda há “elementos em negação” na Rússia e que ainda não conseguiu ter a certeza que as mudanças foram efectivamente levadas a cabo.

“Se eu fosse o presidente do COI (Comité Olímpico Internacional) e deixasse os russos regressar, será que tinha a certeza absoluta de que todos os atletas russos não se estão a dopar e que tudo mudou?”, questionou.

As declarações de Pound foram apoiadas pela ex -fundista britânica Paul Radcliffe.

“Temos todos as suspeitas de que eles consigam fazer o que é necessário para assegurar que toda a equipa está limpa para competir no Rio”, disse Radcliffe.