Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Joaquim Barbante pede empenho

25 de Outubro, 2015

Acção formativa na especialidade de atletismo

Fotografia: Jornal dos Desportos

O director da Juventude e Desportos, da Huíla, Joaquim Barbante Tyova, considerou no Lubango, ser necessário que as instituições escolares e os clubes desportivos mobilizem e movimentem mais o atletismo, de forma a torna-lo forte e massificado. Falando na abertura de uma acção formativa na especialidade de atletismo, enquadrado no projecto Okuhateka "Correr" gizado pela antiga fundista Ana Isabel Elias, o director disse ser necessário que as escolas, nas aulas de educação física introduzam também o atletismo, para que as crianças tenham noção e interesse pela modalidade.

Segundo Joaquim Tyova, muitas crianças têm medo de praticar o atletismo, por desconhecerem as regras e os seus benefícios para o corpo humano, por isso é preciso que a mesma seja mais massificada e movimentada para que a Huíla possa ter atletas de renome. Explicou, por outro lado, que muitos clubes existentes na Huíla desagregaram  a modalidade do atletismo, por questões financeiras, embora esta não tenha grandes custos por ser uma modalidade individual.

“É preciso que os clubes da Huíla incorporem o atletismo no seu leque de modalidades, para que esta não morra e volte a ganhar destaque com novos talentos como no passado que fizeram furor, como Ana Isabel, João Ntyamba, José Lourenço e entre outros”, realçou.

O evento que decorre em duas etapas, em teoria e prática, junta mais de 120 professores de educação física dos 14 municípios, onde estão a ser capacitados em matérias sobre técnicas de corrida, primeiros socorros, saltos e metodologia do ensino do desporto às crianças.

Durante quadro dias, os docentes vão igualmente abordar assuntos relacionados com plano de treino, lançamento, barreiras e distância, uma formação a ser ministrada por três professores especializados. Este é o segundo curso dirigido aos professores de educação física, este ano.



JIU-JITSU
Leonel Ferreira enaltece os feitos


O campeão mundial em Jiu-jitsu brasileiro, Leonel Ferreira "Terramoto", manifestou ontem a sua satisfação pelas cinco medalhas alcançadas pela Selecção Nacional, no Campeonato Africano de Joanesburgo, África do Sul, de 16 a 19 do mês em curso. a modalidade, dos quais também pontuou com ouro.

Questionado as dificuldades encontradas na competição, o atleta da Aacademia GF Team Angola, que conquistou uma medalha de ouro, referiu não ter sido fácil derrotar os adversários, pelo facto de serem bastante treinados. "Trata-se de uma prova importante onde os atletas entram com muita preparação. Os adversários estavam fortes e bem dotados profissionalmente, mas senti a obrigação de vencê-los para honrar o meu nome e a bandeira de Angola".

Para além da medalha de ouro conquista no terminado africano, o atleta foi campeão mundial dos pesos pesados (+100 kg) no mundial de Emirados Árabes Unidos em 2013. No ano passado fracassou na revalidação do título tendo terminado aprova no terceiro posto com a medalha de bronze. O internacional angolano disse ainda que quando vai para as competições internacionais sente a falta de um professor, por isso, espera ter pelo menos um acompanhamento técnico nas próximas provas.

"Infelizmente grande parte das vezes que competimos fora, estamos sem um técnico. Isso nos prejudica-nos, porque temos que fazer duas coisas em simultâneo, lutar e controlar o cronómetro, correndo risco da distracção, que pode resultar em uma derrota, se bem aproveitada pelo adversário", desabafou. Rosa Napoleão

O atleta agradeceu as entidades do governo e individual que têm apoiado a modalidade nas provas nacionais como as internacionais. "Espero que as entidades do desporto nacional e particulares continuem a olhar para as modalidades individuais, porque temos enfrentado muitas dificuldade, principalmente no que toca a estágios pré-competitivos".

Leonel Ferreira "Terramoto", prometeu trabalhar ainda mais, para representar da melhor maneira no Campeonato Mundial da modalidade a decorrer em Dubai, no próximo ano.

Terramoto começou a competir Ju-Jitsu em 2012 e já conquistou 14 medalhas em provas nacionais e internacionais, sendo cinco de ouro, três de prata e seis de bronze, para além das medalhas que conquistou na modalidade de Judo.

No estilo tradicional arrecadaram igualmente medalhas, sendo que Daniel Sango atleta da Academia Dragão Força, conseguiu o ouro nos +94 kg, ao passo que Kudy Adriano sagrou-se campeão na categoria dos -62kg e Makinda Mbuta +66 conquistou a medalha de bronze.
Rosa Napoleão