Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Jogos do Rio de Janeiro em contagem regressiva

25 de Março, 2015

COI anotou progressos nas obras alertou curto tempo para conclusão do Campo Olímpico de Golfe

Fotografia: AFP

A contagem regressiva para o Rio’2016, que pela primeira vez alberga Jogos Olímpicos, chegou  a 500 dias, embora subsista a preocupação  em relação  ao andamento das obras, principalmente com o projecto de despoluição da Baía de Guanabara.“Estamos em dia com os prazos, datas e orçamento. As obras das instalações desportivas estão todas mais de 30 por cento concluídas e a maioria com mais de 50 por cento”, disse à agência Efe o director de comunicação do Comité Organizador, Mário Andrada.

O próprio representante, no entanto, afirmou que não é possível cometer deslizes, que há pouco tempo para descuidos e para a resolução de qualquer problema. “O Rio está a  preparar-se  para a festa e para os Jogos. Vai entregar tudo o que prometeu, mas estamos  numa fase em que precisamos de estar muito atentos. Só faltam 500 dias e se cometermos algum erro, não vamos ter tempo para solucioná-lo”, disse.

Andrada admitiu, contudo, que a despoluição da Baía de Guanabara, sede das competições de vela, é o que mais preocupa ao núcleo local de organização. “É o nosso maior foco de atenção. Precisamos de correr. Os trabalhos estão um pouco atrasados”, comentou.O governo do Estado do Rio de Janeiro  comprometeu-se  a despoluir até 80 por cento das águas da Baía até 2016, mas depois de protestos de velejadores, descontentes com lentidão dos trabalhos, as autoridades fluminenses chegaram a admitir que não iam cumprir a meta, mas posteriormente voltaram atrás.

“Temos um compromisso de entregar uma Baía 80 por cento despoluída. Se não conseguirmos, já será um avanço sairmos de 17 por cento para 49 por cento. Vamos  chegar a 80 por cento com essas obras da Baixa que a gente quer lançar. Se não for nas Olimpíadas, vai ficar como um legado”, disse o governador Luiz Fernando Pezão, em encontro com membros do COI.

Em Fevereiro, o Comité Olímpico Internacional apontou ter visto importantes progressos nas obras, mas alertou sobre o curto tempo para a conclusão do Campo Olímpico de Golfe, do Velódromo Olímpico do Rio e do Centro Olímpico de Hipismo.De acordo com o COI, as três instalações estão com os seus cronogramas em dia, mas qualquer dificuldade ou qualquer atraso pode comprometer os eventos-teste, que podem ser realizados nos próximos meses. O Comité Organizador local, no entanto, não mostra qualquer receio com estas instalações.

“Os atrasos que eles citaram são preocupações relativas aos eventos-teste e não aos Jogos. A sede do hipismo já está resolvida e teremos a prova na data marcada. O Velódromo, apesar de um pouco atrasado, não causará impacto no evento-teste. Estamos a contar com ele”, garantiu Andrada.O director de comunicação reconheceu que o atraso no equipamento em que vão decorrer as provas do ciclismo aconteceu devido ao problemas da construtora responsável, a Tecnosolo, que estava em recuperação judicial.“Eles enfrentaram problemas e reduziram o ritmo nas obras, mas todos os projectos são em consórcio e há pelo menos duas construtoras. A outra assumiu o trabalho e já aceleramos isso. Está andando”, explicou.