Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

José Chamoleia embaixador da BP

Silva Cacuti - 16 de Dezembro, 2016

José Chamoleia entra na lista restrita da marca britânica

Fotografia: M.Machangongo

O velocista paralímpico angolano, José Chamoleia, tricampeão da classe T11 dos sétimo Jogos da Juventude da zona V da União Africana, foi ontem anunciado como o mais novo embaixador da empresa petrolífera BP Angola. O anúncio foi feito por Leonel da Rocha Pinto, presidente do Comité Paralímpico Angolano (CPA), à margem da cerimónia de assinatura do acordo de patrocínio com aquela empresa, realizada na sede da petrolífera, em Luanda.

A figura do embaixador da BP Angola foi criada em 2012. Desde então, foram escolhidos os atletas José Sayovo, Octávio dos Santos, Joaquim Manuel, Esperança Gicaso e Maria da Silva.

Um embaixador da BP Angola recebe uma dotação financeira mensal e fica obrigado à luz dos acordos existentes a fazer uso da marca e imagem da empresa em todas as formas de divulgação nos órgãos de comunicação social, dentro e fora do país, incluindo Internet e redes sociais. O embaixador deve ainda estar disponível para exigências de produção e na utilização da marca da petrolífera.

Darryl Willis, presidente regional da BP Angola, que rubricou o documento pela empresa, anunciou a entrada de um novo embaixador, enquanto coube a Leonel da Rocha Pinto anunciar o nome do atleta.

"Vocês conhecem o Chamoleia. Tem 18 anos, mostrou nos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro'2016 que tem capacidades. Então, agora, vamos dar-lhe formação para que seja o próximo Sayovo", disse.

Os embaixadores da BP ganham uma bolsa de formação e assistência. José Chamoleia, natural do Bié, descoberto no projecto Criança, implementado pelo CPA, em 2008, já tinha facturado quatro medalhas de ouro na edição anterior dos Jogos da zona V, disputada em Bulawayo, no Zimbabwe em 2014. Em 2015, nos Jogos Africanos de Brazzaville, Chamoleia deu ao país uma medalha de prata, obtida nos 100 metros.

JOSÉ SAYOVO
É HONORÁRIO
O multicampeão paralímpico José Sayovo Armando, mesmo retirado das pistas, vai continuar embaixador da BP Angola, de forma honorária, anunciou Darryl Willys, presidente regional da petrolífera britânica BP Angola.
Willys disse que a sua empresa está satisfeita com os resultados obtidos com os sucessivos acordos de patrocínio ao Comité Paralímpico Angolano, que duram desde 2011.
O responsável disse que entra um novo embaixador (José Chamolea) e mantém todos outros, enquanto Sayovo passa para a categoria de embaixador honorário.

A BP Angola desembolsou ao Comité Paralímpico Angolano, de 2012 a 1016, apoios avaliados em dois milhões de dólares norte-americanos. A média anual é de 400 mil dólares.


AVALIAÇÃO
Técnico considera
objectivo cumprido


A selecção nacional paralímpica obteve seis medalhas, das quais quatro de ouro, nos sétimo Jogos da Juventude da zona V do Conselho de Desportos da União Africana, que encerra domingo. A participação do grupo é considerado positivo.

O coordenador para o atletismo do Comité Paralímpico Angolano, José Manuel, assegurou que os objectivos foram cumpridos no evento africano para os atletas com até 20 anos de idade.

“Cumprimos com a nossa missão. Os nossos atletas dignificaram o país. Trabalhamos para isso”, disse o também seleccionador nacional.

O antigo velocista fez uma análise sobre o que pode ser a participação de Angola no próximo evento, em 2018, e mostrou-se convicto da manutenção ou melhoria dos actuais resultados. O responsável por seis presenças consecutivas de Angola em Jogos Paralímpicos, o último no Rio2016, afirmou que José Chamoleia não vai defender o ouro nos oitavo Jogos da SADC, em 2018, por contar com 21 anos. José Manuel tranquiliza o público com a garantia de existir muitos talentos em preparação em todo o país.

José Chamoleia, natural da província do Huambo, conquistou três medalhas de ouro, nos 100, 200 e 400 metros. Catarina Francisco, proveniente do Namibe, obteve uma de ouro nos 400 metros e outra de prata nos 100m. Júlio Mendes nascido em Malanje arrebatou o bronze nos 100m.

O Combinado nacional foi orientado pela dupla José Sayendo (Namibe) e Huambo Sapalo como adjunto.