Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Jos Sayovo enaltece apoio da BP

Pedro Futa - 15 de Outubro, 2018

Antigo velocista vai integrar a delegao angolana no Japo

Fotografia: Vigas da Purificao

O Embaixador para a área desportiva da multinacional petrolífera BP, José Sayovo, tri-campeão paralímpico, enalteceu no último sábado, no primeiro Meeting Nacional, o apoio que a empresa presta ao Comité Paralímpico Angolano (CPA).
Em declarações ao Jornal dos Desportos, José Sayovo mostrou-se regozijado com a entrega do equipamento que vai ser usado nos Jogos Paralímpicos de Tóquio\'2020. O antigo velocista disse que o desporto adaptado de Angola continua vivo graças ao apoio da multinacional inglesa.
\"Estou feliz com a entrega do equipamento desportivo da parte da BP Angola. O desporto adaptado continua vivo, devido ao apoio da empresa europeia\", disse.
Depois de deixar às pistas em 2015, José Sayovo abraçou a massificação do atletismo paralímpico e recebe da BP, anualmente, a quantia de dois milhões e setecentos mil kwanzas, segundo o ex - atleta.
José Sayovo disse ainda que, desde 2014, não recebe outros apoios do Governo, além do saldo ofertado pela empresa de telefonia Angola Telecom.
\"Agradeço a Angola Telecom pela oferta de 650 mil UTT de saldo, que me permite comunicar\", frisou.
O tri-campeão paralímpíco lamentou o estado crítico da pista dos Coqueiros e apela às entidades do Estado a prestar a atenção àquela infra-estrutura para a prática de atletismo convencional e adaptado.
\"Temos muitos projectos em carteira, mas é preciso que o Executivo invista nas infra-estruturas desportivas. É imperioso que se substitua, com urgência, a pista do Estádio dos Coqueiros; já não serve para a prática de atletismo, está péssima e pode causar lesões graves\", desabafou.
O director geral da multinacional BP, Hélder Silva, garantiu que a parceria entre a empresa e o Comité  Paralímpico Angolano vai continuar.
\"Vamos continuar a apoiar o Comité Paralímpico Angolano. No âmbito dessa parceria, mobilizamos hoje (sábado) os funcionários da BP para juntos organizarmos o primeiro meeting nacional\", disse.
O director de comunicação e imagem da BP, António Vueba, considerou positivo a organização e disse os motivos da multinacional inglesa apoiar apenas o desporto paralímpico.
\"Decidimos apoiar apenas o  desporto paralímpico para permitir a inclusão, uma vez que não se dava a mesma atenção a essa classe no desporto olímpico. Desde 2011, abraçamos a causa\", esclareceu.
António Vueba disse ainda que o grupo BP Mundial encontrou os valores de coragem nos portadores de deficiência.
\"Os valores de respeito e coragem numa equipa encontramo-los dentro dos atletas paralímpicos; não é fácil um atleta portador de deficiência estar em alta competição\", disse.
José Chamoleia, Regina Dumbo, Esperança Gicasso, Befilia Buyo e o ex-atleta José Sayovo, que vão representar Angola nos jogos Paralímpicos de Tóquio\'2020, receberam do presidente regional da BP Angola, Stephen Willis, e do seu director geral, Hélder Silva, o equipamento desportivo a ser usado no evento. Dentro da mochila constavam uma mascoste com a sigla da empresa, fita para usar na cabeça, lancheira, fato olímpico e um guarda chuva.

NACIONAL DE PISTA
Huambo leva troféu de campeão nacional


A província do Huambo sagrou-se, ontem, campeã da 19ª edição do Campeonato Nacional de Atletismo em pista, em desporto adaptado, ao conquistar 11 medalhas de ouro, sete de prata e cinco de bronze na classe masculina. A Huíla ficou na segunda posição com seis de ouro, uma de prata e uma bronze, enquanto Luanda ocupou o pódio com cinco de ouro, seis de prata e uma de bronze. A prova foi disputada no Estádio dos Coqueiros em Luanda.
Na prova rainha, José Chamoleia, do Huambo, venceu os 100 metros da classe T11 (Deficiência Visual) com o tempo de 11s81. Augusto Jongolo, do Cuanza Sul (12s78), e Fernando Simão, de Malanje (13s44), completaram o pódio.
Na prova de 200 metros, José Chamoleia fez a dobradinha com o tempo de 23s99, seguido de Augusto Jongolo, do Cuanza Sul (26s97), e de Fernando Simão, de Malanje (27s98).
Na classe T13, Joaquim Manuel, de Luanda, conquistou a medalha de ouro com o tempo de 24s92, seguido de João Numa, do Bié (25s13), e de Cláudio Manuel, do Cuanza Norte (26s56).
Na classe T37 (paralisia cerebral), Artur Chimbungo, do Huambo, venceu com o tempo de 27s42, seguido de João José, de Luanda (27s53), e de Adelino Casaco, de Benguela (28s04).
Nos 800 metros, classe T36, Graça Henda, do Bengo, venceu com o tempo de 2min32s35. Celestino Tchissambo, do Namibe, conquistou a prata com o tempo de 2min35s40, enquanto Paulino Vinenvala, do Huambo, completou o pódio com o tempo de 2min39s17.
Na prova de 1500 metros, T11, Júlio Mendes, de Malanje, venceu com o tempo de 4min49s, seguido de Sebastião Neves, de Luanda (5min00), e de João Feliciano, do Bié (5min13s).

FEMININO
Na classe T11, Esperança Gicasso, de Luanda, fez a dobradinha nas provas de 100 e 200 metros, com os tempos de 13s30 e 27s90. Regina Dumbo, do Huambo, com 13s73 e 29s72, e Juliana Moco, de Benguela, com 14s07 e 36s19 quedaram-se nos lugares imediatos.
Regina Dumbo venceu a prova de 400 metros com o tempo de 1min07s88, seguida de Befilia Buyo, do Bié (1min10s68) e de Esperança Gicasso (1min14s67).
No final, o director da prova, José Manuel, lamentou a pouca adesão do sector feminino.
\"Lamento a pouca adesão das senhoras. Aconselho os encarregados de educação a levarem os filhos portadores de deficiência às delegações provinciais, para a prática de desporto\", disse.
A participação de mais de 150 atletas \"faz com que o balanço seja positivo\".   

MEETING NACIONAL
Planalto
Central
conquista o BP


A província do Huambo dominou a prova de velocidade inserida na primeira edição do meeting BP Angola, realizada sábado último no Estádio Municipal dos Coqueiros, em Luanda. José Chamoleia e Artur Chimbango venceram as provas das classes T11 e T36.
Na classe T11 (deficiente visual), José Chamoleia estabeleceu o tempo de 59s74 na prova de 400 metros masculinos. Augusto Jangolo, da província do Cuanza Sul (1min02), e Fernando Simão, de Malanje (1min04), completaram o pódio.
José Chamoleia é atleta da selecção nacional e tem a inspiração no chará Sayovo. Desde a aparição, cedo demonstrou competências desportivas para ser campeão.
Na classe T36 (paralisia cerebral), Artur Chimbango venceu a prova de 400 metros com o tempo de 1min07, seguido de João José, de Luanda (1min02), e Simão Camões, do Bengo (1min04).
Na classe T13 (deficiente visual parcial), Conceição José, de Luanda, estabeleceu o tempo de 57s54, nos 400 metros, seguido do colega Joaquim Manuel (59s15) e Constantino Vieira, do Huambo, com o tempo de 1min00.
Na classe T46 (amputados de membros superiores), Augusto Morais, do Cuanza Sul, venceu com o tempo de 59s57, seguido de Gabriel Samuel, de Malanje (59seg99), e de Pedro Inácio, de Luanda (1min00).
Nos 400 metros auditivos, João Munjolo, do Huambo, venceu com o tempo de 55s28, seguido do colega Aniceto do Rosário (58s62) e Nestor Lotutala, do Zaire (59s49).
Nos 1500 metros da classe T11, Júlio Mendes, de Malanje, venceu com o tempo de 4min47s, seguido de Sebastião Neves, de Luanda (4min47s), e Amadeu Chiquete, Huambo (4min55).
Na classe T46, Manuel João, do Cuanza Sul, arrebatou a medalha de ouro com o tempo de 4min26s, seguido de Jaime João, de Malanje (5min11s).

CLASSE FEMININA
Em feminino, Esperança Gicasso, de Luanda, dominou os 100 metros na classe T11 com o tempo de 13s40, seguida de Befília Buyo, do Bié (14s04), e de Rode Fernando, do Bengo (15s10).
Nos 400 metros da classeT11, Defília Buyo venceu com o tempo de 1min05s, seguida de Esperança Gicasso (1min10s) e de Regina Dumbo, do Huambo (1min12s).