Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Jovens angolanos aspiram o pódio

Rosa Napoleão - 03 de Julho, 2016

Desfile dos atletas angolanos na cerimónia de abertura dos VIII Jogos Desportivos da CPLP realizado em Mafra-Portugal

Fotografia: Santos Pedro

O desejo de erguer a bandeira nacional, como porta-standart, alimenta os sonhos de futuros craques.

A cada manhã, o despertador toca para cumprir a mesma missão no solo pátrio. Treino. À porta de casa, o transporte espera pelo dorminhoco. A Missão Angolana para os Jogos da CPLP colocou à disposição de cada atleta as melhores condições de trabalho. Para além de transporte, está salvaguardado os lanches e a água, antes, durante e depois dos treinos.

O Chefe do Departamento de Desportos e Recreação do Ministério da Juventude e Desportos, Pedro Ndilu Mário, assegurou ao Jornal dos Desportos que "esta é uma missão bastante importante e da responsabilidade do Estado".

O Estado angolano valoriza a formação de atletas. Nesse diapasão, "é uma questão de honra conseguirmos uma organização coesa". Assim, "as selecções de Sub-16 treinam devidamente acompanhadas".

Atrás do acompanhamento há um objectivo: a superação do terceiro lugar alcançado na edição anterior realizado em 2014 em Luanda. Pedro Ndilu Mário realça que Angola pode obter outros lugares do pódio em Cabo Verde.

"Estamos a trabalhar no sentido das selecções de Sub-16 efectuarem a melhor preparação possível. Algumas estão na terceira semana de treinos e conscientes da responsabilidade. Com dedicação e empenho podemos conseguir", disse.

Angola desfila nos Jogos da CPLP com uma delegação formada por 116 pessoas entre atletas,  treinadores, pessoal de apoio, médicos, oficiais e jornalistas. O país vai exibir-se nas modalidades de andebol (20 integrantes), atletismo (14), atletismo adaptado (10), basquetebol (18), futebol (25), natação (6), taekwondo (5) e voleibol de praia (8).

Nos próximos dias, as equipas técnicas vão fazer a triagem final para definir os atletas. Só os melhores vão vestir as cores de Angola na Ilha de Sal. O tempo é curto e há trabalho para os treinadores.

As selecções de taekwondó e atletismo vão continuar a trabalhar na cidade do Lubango até às vésperas da partida. Em Luanda, trabalham as restantes selecções nacionais.

Angola embarca no dia 15 para se adaptar à ilha nos dois dias que antecede a cerimónia de abertura. O Ministério da Juventude e Desportos está a negociar com a TAAG, que só voa para Praia, capital do arquipélago, a fim de colocar a delegação no local de jogos.

Pedro Ndilu Mário ressaltou que se a companhia de bandeira se mostrar indisponíveis, a Missão Angolana vai optar pela Sonair ou Royal Air Marrocos ou a Força Aérea Angolana para levar os meninos a Ilha de Sal.

Em 2014, Angola obteve o terceiro lugar com 34 medalhas no total, dos quais seis de ouro, dez de prata e dezoito de bronze. O destaque recai para 14 medalhas do atletismo adaptado (cinco de ouro, quatro de prata e cinco de bronze). O ténis de mesa contribuiu com nove medalhas (uma de ouro, igual de prata e cinco bronze); atletismo (uma prata), futebol (uma prata), judo (uma prata e três bronze), andebol feminino (uma prata) e basquetebol masculino (bronze).

Além do país anfitrião, Cabo Verde, participam da competição Angola, Brasil, Guiné-Bissau, Guiné-Equitorial, Portugal, São Tomé e Princípe e Timor-Leste.


BASQUETEBOL
Selecção aprimora técnicas de defesa


Os fundamentos básicos, passos e técnicas de defesas dominam os trabalhos de preparação da pré-selecção nacional feminina para a décima edição dos Jogos da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) a ter lugar de 17 a 24 do corrente, na Ilha de Sal, em Cabo Verde.

As vinte e duas atletas trabalham desde terça-feira no pavilhão anexo da Cidadela Desportiva, no sistema bi-diário, sob a orientação do técnico Fernando Sapalo Figueiredo. 

Em declarações ao Jornal dos Desportos, Fernando Sapalo reiterou a boa disposição das atletas, apesar de dar início muito tarde à preparação. Ciente da dificuldade no aperfeiçoamento das atletas, o técnico valoriza a experiência que cada uma carrega dos seus clubes.

"Podemos superar e conseguir uma equipa forte. Estamos na primeira semana de treinos, a data de partida está próxima, mas vamos encaixar os sectores para darmos o nosso melhor a fim de obter resultado satisfatório", disse.

A triagem ao grupo acontece na presente semana. Das 21 atletas convocadas, apenas 12 vão estar alistadas para a competição. Quanto menor for o grupo de trabalho, maior facilidade há na concentração, segundo Fernando Sapalo.

"Tivemos toda a semana de treinos intensos. As atletas que mostrarem maior confiança vão permanecer e as outras, dispensadas. Temos pouco tempo", disse.

Em Luanda, Jemima Mokangui (Desportivo do Maculusso), Esperança Guimarães, Angelina Teodósio, Marioneth da Silva, Helena Pululo, Cácia António, Antónia Miguel, Antónia Botelho (Interclube), Cristina Lourenço, Nara André, Júlia Francisco, Antonieta Vidal, Virgínia Rodrigues (1º de Agosto), Armanda Adão, Conceição Caetano, Tatiana Miguel (Escola Formigas do Cazenga) e Isabel Fernandes (Benfica de Luanda) procuram um lugar no basquetebol feminino.

Ontem, juntaram-se ao grupo de trabalho em Luanda cinco atletas provenientes do Sporting e Inter, ambas de Benguela. Trata-se de Cláudia Francisco, Horiana Garrido, Maria Quipaca (Sporting), Cristina Cornélio e Maria Macedo (Inter).

TAEKWONDO
Atletas seleccionados
fazem testes médicos


Os dois representantes de taekwondó para a décima edição dos Jogos da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) chegam hoje a capital do país para serem submetidos a testes de avaliação médica. Trata-se de Wilson Caterça e Aritson António. Os atletas conquistaram as vagas depois de um período intenso de treinos na província de Benguela.

Em declarações ao Jornal dos Desportos, o seleccionador nacional, Salomão Lumbo "Flash", referiu que os atletas apresentam uma boa forma física e técnica.

"Já não há muita coisa a fazer-se. Os representantes tiveram muitos treinos na Casa Pessoal do Porto do Lobito, superaram debilidades, corrigimos os erros, fizeram as adaptações nos aparelhos electrónicos e, agora, estamos na fase final de preparação. Depois dos exames, vamos continuar a treinar em Luanda até a partida", esclareceu.

Para os jogos a decorrer de 17 e 24 de Julho na Ilha do Sal, em Cabo Verde, o técnico mostrou estar consciente das dificuldades que vão encontrar, face a presença de apenas dois atletas.

"Nas modalidades individuais como o taekwondo, quanto maior for o número de atletas, mais medalhas se pode conquistar. Vamos ser poucos e não podemos contar com muitas medalhas", disse.

De relembrar que a décima edição dos Jogos da Comunidade de Países de Língua Portuguesa vão ser disputados por 702 atletas em diferentes modalidades.

  VOLEIBOL DE PRAIA
Duplas preparam CPLP no Namibe


As duplas masculinas Ricardo Chanik-Henrico Martins e Bráulio Tchipia-Lukeni Tito bem como as femininas Liandra Batista-Elizabeth José e Iracelma Paiva-Palmira Santana evoluem na província do Namibe com vista a participação na décima edição dos Jogos da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), na Ilha de Sal, em Cabo Verde. A confirmação é do técnico Mário Makili.

"Estamos a trabalhar há aproximadamente três semanas e os treinos decorrem da melhor maneira possível. As quatro duplas são da província do Namibe, por ser a única com atletas nesse escalão (Sub-16). Estamos a trabalhar para dirimir algumas lacunas e acreditamos que, até a viagem, vamos estar em condições de realizar boa prova", disse.

O técnico reiterou a necessidade de se fazer um esforço maior na preparação.  Os atletas têm experiência do voleibol de sala e requerem algum tempo de adaptação ao voleibol de praia.

"As duplas estão a fazer um esforço redobrado, porque estão habituados a jogar o voleibol de sala. Na Ilha de Sal, vamos estar na praia e a adaptação requer maior concentração", explicou.

Quanto às questões administrativas, no que concerne a documentação, autorização dos pais e das instituições escolares, está a cargo do director técnico federativo, Morais Abreu. 

 O grupo reúne-se às terças e quintas-feiras, sábado e domingo, na praia das Miragens, no Namibe, onde decorrem os treinos. A alternância dos dias de preparação deve-se à margem dada aos programas académicos dos atletas.