Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Kasparov incentiva modalidade nas escolas

20 de Março, 2014

Kasparov, considerou o xadrez uma perfeita ferramenta educacional

Fotografia: Reuters

O antigo campeão do Mundo, Garry Kasparov, considerou o xadrez uma perfeita ferramenta educacional para os jovens, durante a audiência que lhe foi concedida pelo ministro da Educação de Portugal, Nuno Crato.
Kasparov diz que as aulas de xadrez podem proporcionar um “extraordinário efeito” na melhoria dos resultados escolares.

“É agora muito claro que aulas de xadrez nas escolas podem ter um extraordinário efeito na capacidade das crianças em melhorarem os seus resultados”, referiu Kasparov, 50 anos, antigo campeão mundial de xadrez, escritor e activista político, à saída da reunião com Nuno Crato, numa iniciativa destinada a promover a modalidade nas escolas.

“Existem numerosos programas em curso, na Europa, em África, na América, e trabalhamos com os nossos aliados e amigos com iniciativas paralelas”, acrescentou, após um encontro no qual foi acompanhado por Francisco Castro, presidente da Federação Portuguesa de Xadrez (FPX).

“Defendo que aprender xadrez no primeiro e segundo ciclo é muito útil e também pouco dispendioso. Todos têm restrições orçamentais, não é necessário construir um campo de futebol, um ‘court’ de ténis, uma piscina. É uma perfeita ferramenta educacional no ensino básico”, acrescentou Kasparov, que dirige uma fundação empenhada na divulgação da modalidade.

O antigo campeão do Mundo, adversário político do Presidente russo Vladimir Putin e que obteve nacionalidade croata, deslocou-se a Portugal a convite da FPX e, na segunda-feira, esteve no Porto, onde participou numa cerimónia inserida no Campeonato Europeu de veteranos, que decorre até sábado.
A FPX também já anunciou a intenção de promover o xadrez como ferramenta educativa e divulgá-lo nos diversos níveis de ensino.

“Estive com o ministro, porque a Federação portuguesa já abordou a questão e ofereço o apoio da minha fundação e da nossa experiência, que tem sido acumulada em todo o Mundo, mas também esperamos ajudar os programas que já existem em Portugal, para confirmar que conseguem atingir os padrões internacionais”, acrescentou no final do encontro, que decorreu no Ministério português da Educação.