Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Katharina Araújo anseia mais medalhas de ouro

Rosa Napoleão - 28 de Abril, 2016

Atleta aspira novas conquistas para elevar o nome do país

Fotografia: Eduardo Pedro

Depois de um título, o segundo vem como água: por gravidade. Essa é a aspiração de Katharina Florêncio de Araújo, a campeã mundial de jiu-jitsu brasileiro. A angolana de 20 anos ergueu a bandeira nacional no pódio mais alto do Campeonato do Mundo realizado recentemente em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, projecta repetir o feito na Califórnia, nos Estados Unidos da América.

A jovem desfruta a conquista do título mundial fazendo mea-culpa. Um sentimento de tristeza corrói-lhe a alma. Katharina de Araújo quer corrigir o erro cometido nas meias-finais. Para si, a medalha de ouro obtida na categoria de 72 kg, peso aberto em absoluto, tem "menos valor" que a de bronze que também carrega com orgulho. O terceiro lugar obtido na sua categoria deixa-a entristecida.

Em declarações ao Jornal dos Desportos, Katharina Araújo esclareceu que a medalha de ouro resulta de um "direito" depois de ter falhado o da sua categoria.
"Falhei o meu primeiro objectivo ao conquistar a medalha de bronze na minha categoria. Venci três lutas, perdi uma nas meias-finais. Fui obrigada a lutar pelo terceiro lugar para beneficiar das disputas da categoria de peso aberto em absoluto", disse.

Katharina Araújo teve de enfrentar "três adversárias muito fortes" para lograr a medalha de ouro. A consagração da atleta da Academia Gracie Barra Angola encantou a delegação angolana, em especial, o treinador Hélio Pereira.

Para além de revalidar o título mundial, Katharina Araújo aspira atingir a faixa preta. É o maior escalão na hierarquia de cinturões. Antes, vai passar pelo roxo e castanho. A atleta de faixa azul não esconde o desejo.

"Todo o atleta augura alcançar a faixa preta. Vou trabalhar com afinco para ostentar a faixa", prometeu.
O Jiu Jitsu alterou a vida de Katharina de Araújo. Quando começou a praticar a modalidade pesava 92 quilogramas. Em seis meses de prática, a "obesa" baixou para 53 quilogramas. A transformação deixou-se encantada.

"Esse desporto mudou muito a minha vida. Estava a cima do peso normal, quando comecei a praticar. Suportava diariamente 92 quilogramas e consegui retirar 39 quilogramas em seis meses. Foi uma transformação radical que surpreendeu todos", disse com sorriso aos lábios.

A campeão mundial de jiu-jitsu da categoria de 72 quilogramas praticou também boxe e king boxe. Colecciona na galeria pessoal dezenas de medalhas conquistadas nas provas internacionais. Para além das últimas de ouro e de bronze, Katharina detém também a medalha de bronze do Campeonato do Mundo de 2014.

Tem participações em diferentes campeonatos dos distritos de Estados Federais do Brasil. Nesses eventos, conquistou cinco medalhas de ouro, duas de prata e duas de bronze. Katharina Florêncio de Araújo é filha de Justino de Araújo e de Elise Florêncio. A campeão mundial integrou uma delegação de 30 atletas, com idades entre dez e 17 anos. O grupo regressou ao país com 16 medalhas, dos quais sete de ouro, seis de prata e três de bronze.