Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Kenenisa Bekele corre em Paris

10 de Janeiro, 2014

Kenenisa Bekele vai estrear-se numa nova especialidade do atletismo com perspectivas de melhorar as actuais marcas mundiais

Fotografia: AFP

O atleta etíope Kenenisa Bekele, actual recordista mundial nos 5.000 e 10.000 metros, vai estrear-se esta temporada na maratona, a 6 de Abril, em Paris, revelaram ontem os organizadores da prova francesa.

O tricampeão olímpico e cinco vezes campeão do mundo nas distâncias de 5.000 e 10.000 metros estreia-se na 38.ª edição da Maratona de Paris com o objectivo de efectuar uma das melhores marcas mundiais, referem em comunicado os promotores.

Kenenisa Bekele, de 31 anos, abraça assim, num passo tido como normal nos atletas das variantes do meio-fundo, os 42,195 quilómetros, no mesmo palco em que se estreou o seu compatriota Wilson Kipsang, em 2010, actual recordista da distância.

Em declarações ao diário francês L’Équipe, o agente do atleta, Jos Hermens, refere que Kenenisa Bekele optou por se estrear em Paris em vez de Londres, a 13 de Abril, que é uma prova com mais prestígio, porque o “cachet” foi mais aliciante. Kenenisa Bekele ficou assim privado da oportunidade de se estrear na mesma prova do seu rival no meio-fundo, o britânico Mo Farah, campeão olímpico e mundial nos 10.000 metros e olímpico nos 5.000 metros, que se irá estrear na Maratona de Londres.

NELSON ÉVORA

A cirurgia a que Nélson Évora  foi  submetido "correu dentro daquilo que era expectável", disse António Martins, médico ortopedista do Benfica, clube do campeão olímpico do triplo salto em Pequim2008.

“Foi operado a uma lesão condral do joelho esquerdo. A cirurgia correu dentro daquilo que era expectável. O tempo de paragem, em princípio, para iniciar competição, nunca será inferior a quatro meses", disse o médico à Benfica TV.

Segundo o ortopedista, o período previsto de ausência de competição prende-se com o facto de o atleta ser saltador, o que obriga a um prazo de recuperação mais demorado.  A época de pista coberta fica posta de parte, mas ainda poderá tentar qualificar-se, se tudo correr bem, para os Campeonatos da Europa em Pista ao Ar Livre, em Zurique, no próximo mês de Agosto.

A artroscopia foi realizada pelos médicos  António Martins e Ricardo Antunes e foi motivada por lesão condral devido a patologia na cartilagem do joelho esquerdo.

Antes deste problema, Nelson Évora esteve parado cerca de um ano devido a uma lesão grave contraída em Janeiro de 2012 na tíbia da perna direita, que o obrigou a falhar a defesa do título olímpico em Londres 2012.

O atleta, que foi campeão do mundo em 2007 e vice-campeão em 2009, já tinha sido operado a uma fractura de esforço na perna direita.
Em 2013 não conseguiu qualificar-se para os Mundiais de Moscovo.