Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Kimi Rikknen nega existncia de problema

23 de Junho, 2016

Piloto ingls acredita numa reviravolta na presente edio do Campeonato do Mundo liderado pelo alemo Nico Rosberg

Fotografia: AFP

Kimi Räikkönen não se mostrou incomodado, com a decisão da Ferrari de pedir-lhe para deixar Sebastian Vettel passar, na parte final da corrida no Azerbaijão, no domingo. O que incomodou o finlandês, foi o tempo perdido para a ultrapassagem. Para o campeão de 2007, a manobra custou-lhe o pódio.Kimi Räikkönen garantiu que não tem problema algum em obedecer às ordens da Ferrari, para ceder a posição para Sebastian Vettel, como aconteceu durante o GP da Europa. A única coisa que o incomodou em Baku, foi o facto de ter perdido um “tempo valioso,” para permitir ao companheiro de equipa assumir a segunda posição na corrida.

 O finlandês deixou o tetracampeão passar na parte final da corrida, quando ainda tinha uma punição de cinco segundos, em seu tempo total de prova, em última análise, a manobra para beneficiar o colega acabou também por perder o terceiro posto para Sergio Pérez, que assegurou o pódio para a Force Índia.

 "Não discordo da decisão, porque eu tinha uma punição", afirmou o campeão de 2007. "Então, a história provavelmente acabaria dessa forma de qualquer maneira", completou."Mas acho que poderíamos ter feito um pouco melhor. Não tenho uma resposta agora, mas sinto que perdi muito com isso, talvez 2s5 naquela volta. E, claro que a minha corrida era contra a Force Índia, e o objectivo era manter uma diferença acima de cinco segundos", explicou.

Pontos
Presidente da Ferrari
ignora diferença


Com um discurso para lá de optimista, Sérgio Marchionne mantém a táctica adoptada nos últimos dias para afirmar que a Ferrari pode ser postulante ao título em 2016. Após oito corridas disputadas na temporada, a Mercedes tem uma considerável vantagem de 81 pontos para a equipa de Maranello, que ainda não venceu este ano .Optimismo exagerado ou confiança no trabalho da Ferrari?

Seja o que for, Sergio Marchionne, presidente da equipa Maranello, acredita que a luta pelo título  não está definida. Com um discurso que demonstra fé no trabalho da equipa, o mandatário e director -executivo da Ferrari entende que o campeonato ainda está em aberto, ainda que a Mercedes tenha vencido sete das oito corridas e lidere o Mundial de Construtores com 81 pontos, a frente para a equipa italiana, que é a segunda colocada.

 “Eu considero que o campeonato está em aberto. Falei com Maurizio Arrivabene e Sebastian Vettel, e eles dizem-se convencidos de que poderemos ter sucesso. Ainda nem estamos na metade da temporada”, afirmou Marchionne em entrevista ao diário italiano ‘La Stampa’Marchionne confirmou que não abandona o desenvolvimento da SF16-H, na esteira do discurso de Arrivabene, que se comprometeu a entregar a Sebastian Vettel e Kimi Räikkönen um carro melhor.

Contudo, ao mesmo tempo que trabalha no carro deste ano, há também o foco que visa o projecto de 2017, ano marcado para a adopção de um novo regulamento técnico."A Ferrari tem todo o ano para pensar no desenvolvimento para a próxima temporada. Mas se pararmos agora, a atitude seria incorrecta. Simplesmente temos de melhorar o carro , corrida após corrida, enquanto o projecto de 2017 avança de forma paralela”, declarou o presidente.