Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Kvyat recebe elogios da Red Bull

07 de Abril, 2016

Piloto russo vai a China com confiança elevada para os primeiros lugares da grelha

Fotografia: AFP

Danill Kvyat está num teste de fogo em 2016, não há dúvida. Com Daniel Ricciardo a seu lado, Max Verstappen e Carlos Sainz Jr  a olharem para cima, o russo precisa de provar que merece a posição na Red Bull. O sétimo lugar no Bahrein pode não ter parecido grande coisa, mas foi o suficiente para receber elogios do chefe Christian Horner.

Desde que a Toro Rosso colocou Max Verstappen na pista e o novato começou a mostrar que as expectativas nele eram devidas, Daniil Kvyat está a ser pressionado. Com o mais jovem da história da F1 cotado para subir no próximo ano, o lugar de Kvyat fica em perigo. O russo conseguiu estrear-se na temporada e recebeu elogios do chefe por conta da actuação.

 Depois de um problema no carro antes da largada na Austrália, Kvyat foi eliminado ainda no Q1 no treino de classificação no Bahrein. Uma luz vermelha, com certeza, mas ele recuperou e terminou na sétima posição. Atrás do companheiro Daniel Riciardo é verdade e de Verstappen, mas para o gosto de Christian Horner.
O chefe da Red Bull disse que ele fez tudo certo em Sakhir e vai para a próxima corrida, na China, com a confiança completamente restaurada.

"Foi uma boa performance . Acho que essa corrida vai recuperar a confiança se por  acaso esse era o problema. Foi forte em todos os aspectos. Tudo vai ficar bem, disse ao jornal russo 'Sportbox'”.

"Precisamos de entender o que aconteceu na classificação, mas 90 por cento  teve a ver com a temperatura dos pneus", afirmou.


ALERTA
Rosberg reconhece potencial da Ferrari


Após duas etapas disputadas no campeonato, a Mercedes já tem 50 pontos de vantagem sobre a Mercedes na tabela, indicando que inicia seu terceiro ano de domínio na Fórmula 1. Mas Nico Rosberg acredita que os italianos ainda não mostraram do que são capazes - e estão muito mais próximos do que os números mostram.
Vencedor de  duas primeiras etapas, Rosberg disse que não se sentiu ameaçado no GP do Bahrein, disputado no final de semana.

"Estava tudo controlado, administrando a corrida em termos de estratégia, pit stops, só a controlar. Ao mesmo tempo, Kimi Raikkonen, da Ferrari, mostrou um grande ritmo e sabemos que eles estão bem perto. Vimos isso na classificação".

O finlandês terminou a prova em segundo, a 10s de Rosberg, mesmo  tendo perdido várias posições no início da prova devido à má partida. O companheiro, Sebastian Vettel, sofreu uma quebra de motor ainda na volta de apresentação.

Na primeira prova, na Austrália, foi Raikkonen quem teve uma quebra de motor, enquanto Vettel liderou a maior parte da corrida mas errou na estratégia.
"Precisamos de continuar a trabalhar  porque eles ainda não mostraram do que são capazes. Isso ficou claro porque eles tiveram vários problemas que custaram caro. Ainda não vimos a verdadeira Ferrari. Precisamos de ser cuidadosos porque eles estão a vir muito fortes."

Com as duas vitórias, Rosberg é o líder do campeonato com 50 pontos, 17 à frente do companheiro Lewis Hamilton e 32 a mais que o terceiro, Raikkonen.