Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Leclerc quer vencer na China

06 de Abril, 2019

A sua transferncia da Sauber para a Ferrari tem que funcionar pois se falhar de ambos os lados ser alvo de duras crticas

Fotografia: AFP

 Charles Leclerc "voa" para a República Popular da China com a vitória em mente. A sua frustração por não ter vencido o Grande Prémio do Bahrein já é coisa do passado, pois os olhos estão postos no futuro. A Ferrari está revitalizada na sua busca pela glória, depois de duas derrotas terríveis frente à Mercedes, na Austrália e no Bahrein.

No Bahrein, os ferraris tiveram uma reacção furiosa. Ambos os pilotos (Charles Leclerc e Sebastian Vettel) bloquearam a linha da fren, não dando qualquer hipótese aos pilotos das "flechas de prata" (Mercedes) Valtteri Bottas e Lewis Hamilton. Será que a Ferrari se vai destacar na  China  e dar a Leclerc ou a Vettel a primeira vitória do campeonato? A Ferrari vai com o “peso na consciência” de serem os únicos culpados da derrota de Charles na segunda corrida do temporada (Bahrein). A transferência de Charles já está a funcionar em termos de expectativa, pois na Austrália só saiu à trás de Vettel devido às ordens de equipa e no Bahrein só não venceu por problemas no seu motor.

Leclerc está a mostrar um bom trabalho na equipa, apesar de ser muito “madrugador” ainda para elogios. Os tifosis acreditam que Leclerc não vai repetir a falta de competitividade de Kimi Raikkonen. A sua transferência da Sauber para a Ferrari tem que funcionar, pois se falhar de ambos os lados será alvo de duras críticas. Olha que se não funcionar, no radar da Ferrari há outros pilotos que podem substitui-lo, assim como candidatos para a equipa de Maranello. Acredita-se que a Ferrari   não vai repetir os erros do passado, limitando o espaço disponível para a entrada de um outro piloto como aconteceu anos e anos com Raikkonen. Os fãs pedem a Leclerc que seja mais competitivo que Vettel  e que ajude a Ferrari a terminar com a dinastia da Mercedes, uma tarefa um tanto difícil para um jovem promissor, mas não impossível.

A Ferrari teve o privilégio de trabalhar com Leclerc, um ano antes da sua estreia em 2019, através da sua equipa satélite (a Sauber, actualmente Alfa Romeo), pois houve muitos motivos para a Ferrari trocar de pilotos em 2019, entre os quais a falta de competitividade de Raikkonen, os resultados de Leclerc na Sauber e o atraso em relação à Mercedes.Contudo, a luta será ver se Leclerc conseguirá aquilo que Raikkonen não conseguiu nos seus dois últimos anos na Ferrari, que é ajudar a equipa (Ferrari)  a levar o título de campeã.

O campeonato está apenas no início, mas há quem já esteja a pensar no decorrer dele. Se em 2017 e 2018 Vettel só se preocupava com Hamilton, agora ele está a "se ver de azar", pois, para alem de Hamilton, ele terá mais pilotos a lhe causarem fortes dores de cabeça, dentre estes, estarão Bottas, Verstappen e LecLerc. De salientar que tanto ele (Vettel) como o último (Leclerc), apesar de em 2019  desejarem impedir que a Mercedes leve a melhor sobre a Ferrari, terão um luta interna sem precedentes: Leclerc tudo fará para bater Vettel. O piloto monegasco (Leclerc) não deseja correr à sombra de “Seb” na Ferrari, como acontecia com Raikkonen e deseja justificar o voto de confiança que lhe foi dado pela “paixão vermelha”,  ou seja a Ferrari. 

Sebastian Vettel deve rezar para que Charles Leclerc não tenha a performance que teve no Bahrein em relação a si (Vettel) ao longo do campeonato. Se tal acontecer, "Seb" vai reviver na Ferrari o que viveu na Red Bull Renault em 2014, onde foi batido pelo récem-chegado à equipa, Daniel Ricciardo. Isto poderia ser o início fim “do seu reinado (de Vettel)” na Ferrari, pois ele tem sido “blindado” pelos chefes da Ferrari desde 2015.