Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Lees definem prioridades

Gaudncio Hamelay, no Lubango - 17 de Janeiro, 2019

Integrao de mais atletas seleco nacional o objectivo da direco

Fotografia: Agostinho Narciso | Edies Novembro

A direcção do Sporting Clube do Lubango vai investir ao longo do ano de 2019 na ginástica e no voleibol por darem mais visibilidade à agremiação leonina no país. A presença de uma atleta na selecção nacional, a conquista da medalha de ouro na especialidade de tumbling da Taça de Angola e a melhoria do nível competitivo das duas equipas constituem motivos para o investimento. A garantia é do presidente de direcção, Rui Humberto Telles.
Em declarações ao Jornal dos Desportos, Rui Telles, sustenta que a escola está a formar atletas com garantias de colocar o Sporting Clube do Lubango na liderança do ranking nacional. As duas disciplinas desportivas congregam ao todo 70 crianças. A ginástica é liderada por uma treinadora cubana desde 2018 e tem "uma equipa feminina muito boa". O voleibol é a única modalidade dos leões com escalão sénior e está reforçado "com os melhores atletas" em função da desistência de outros clubes.
Não menos importantes estão outros desportos. O futebol vai manter a massificação com olhos nos reforços. O andebol e o basquetebol vão conhecer uma estratégia diferente na abordagem de formação. As classificações nas provas nacionais no ano passado desencantaram a direcção. O andebol ficou a meio da tabela geral e o basquetebol obteve "a participação honrosa" nas provas de Sub-16 e Sub-18.
O ténis e o ténis de mesa também tiveram "participação honrosa". As presenças nos nacionais de Benguela e de Luanda foram "notáveis". O karaté e a capoeira têm mais acompanhamento em 2019. Tudo quanto fizeram em 2018 serviu de "plataforma de lançamento", segundo Rui Humberto.
O Sporting Clube do Lubango controla ao todo 450 atletas distribuídos em diferentes desportos. O futebol tem 159 atletas em cinco escalões. Rui Humberto felicita os treinadores por trabalharem por "amor à camisola".
"Felicito os nossos treinadores pelo amor à camisola. Sei que é difícil trabalhar nessas condições. O nosso pouco dinheiro serve para as participações nos campeonatos nacionais", esclareceu.
Rui Humberto revela que as maiores pressões estão com as duas equipas seniores de voleibol. São atletas "de outro nível" e o clube deve "honrar um pouco com as condições". Para manter o sucesso nas provas nacionais e impulso à prática desportiva, o dirigente apela ao governo provincial da Huila e aos empresários locais a prestá-los apoios.
"Estendemos a mão, mas não somos ouvidos. Há clubes com patrocínios do Estado e sempre são financiados pelo governo provincial. Creio não ser muito correcto. Se as empresas públicas patrocinam esses clubes, o governo provincial deve velar a outros e não injectar dinheiro aos mesmos", disse.
Para Rui Humberto, o governo provincial deve olhar os clubes com diferentes modalidades, como o Sporting Clube de Lubango. Além de gerir os atletas, os leões velam pelas infra-estruturas consumidas pelo tempo. A degradação avançada implica a restauração. Por isso, o "apoio substantivo" do Estado é imprescindível. A título de exemplo, o dirigente leonino aponta a recuperação do campo de futebol.
"Os custos são altos para o Sporting do Lubango e precisamos de ajuda do Estado para se criar um espaço condigno à dinamização do futebol no bairro João de Almeida, uma zona adormecida à prática desportiva", disse.