Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Leglerg declara paz com Sebastian Vettel

30 de Novembro, 2019

Vettel e Leclerc so os principais pilotos da equipa

Fotografia: Dr

Charles Leclerc garante que ele e o seu colega na Ferrari, Sebastian Vettel, vão ser "menos agressivos um com o outro em pista", depois do acidente entre os dois no Brasil.
Os dois pilotos passaram algum tempo a discutir junto com a equipa, o incidente no qual colidiram enquanto disputavam o quarto lugar em Interlagos, há duas semanas.
"Claro que vamos continuar a correr um contra o outro. Somos dois pilotos competitivos, que querem muito ganhar", afirmou Leclerc.
Contudo, o piloto monegasco adiantou, que os dois iam agora ter mais cautela. "Temos, contudo, de conseguir encontrar o compromisso certo, porque a verdade é que corremos para a mesma equipa. Temos de dar um pouco mais de espaço um ao outro", acrescentou Leclerc, que avançou que tinha conversado com Vettel sobre o incidente e que ambos reconheceram que o podiam ter evitado.
O acedente aconteceu, quando Vettel tentava recuperar a quarta posição, depois de Leclerc o ter passado algumas curvas antes, a cinco voltas do final da corrida.
Vettel ultrapassou Leclerc, mas a sua traseira esquerda acabou por tocar na asa dianteira direita do carro de Leclerc, partindo a suspensão do carro deste e provocando um furo ao alemão.
"Explicámos o ponto de vista de cada um. O Seb talvez não talvez não devesse ter ido pela esquerda, e sabe disso, e eu podia ter-me esforçado mais para evitar que ele tentasse passar por ali. O importante é que clarificámos tudo e agora podemos seguir em frente", concluiu o piloto de 22 anos.
"Visualizámos o incidente, tentámos perceber o que se passou e ver como podemos fazer melhor no futuro. As consequências foram graves, mas o impacto até foi relativamente pequeno, pelo que houve também um pouco de azar", acrescentou.

LATIFI REFORÇA
EQUIPA DA WILLIAMS

O piloto canadiano Nicholas Latifi vai reforçar a equipa da Williams no Mundial de Fórmula 1 em 2020, anunciou recentemente a construtora britânica, no circuito de Yas Marina, palco do último Grande Prémio da temporada.
Aos 24 anos, o piloto natural de Montreal, vai ocupar o lugar do polaco Robert Kubica e fazer dupla com o inglês George Russell, depois de este ano já ter realizado seis sessões de treinos livres ao volante de um Williams, passando o ser o único estreante no campeonato na grelha da próxima época.
“Na Williams, cada um de nós ficou impressionado com o que ele fez este ano na Fórmula 2, assim como o seu compromisso com a nossa equipa. Nicholas tornou-se um membro bem estabelecido e respeitado da Williams e estamos ansiosos pelo seu novo papel”, assinalou a responsável da equipa, Claire Williams.
Por sua vez, Latifi mostrou-se “extremamente ansioso por conduzir um novo carro” na temporada de 2020, confessando que “o sonho se tornou realidade”.
Também na Renault houve uma mudança, com o francês Esteban Ocon a preencher a vaga deixada pelo alemão Nico Hulkenberg.
O campeonato termina no circuito de Yas Marina, em Abu Dhabi.