Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Leonel Pinto promete voltar ao crivo

27 de Novembro, 2013

Presidente do Comité Paralímpico Angolano e Africano quer voltar a competir para um lugar na Comissão Executiva do ICP em 2017

Fotografia: Jornal dos Desportos

O presidente do Comité Paralímpico Angolano (CPA), Leonel da Rocha Pinto prometeu voltar às eleições da comissão executiva do Comité Paralímpico Internacional (IPC), em 2017. Em declarações aos jornalistas, após a derrota no pleito realizado durante a assembleia-geral da organização, que terminou domingo,  em Atenas,Leonel Pinto disse que sai mais fortalecido e  vai redobrar  esforços para que em 2017 consiga ser eleito.«Por vezes é melhor perdermos uma batalha para depois vencermos a guerra», foi assim que o presidente do Comité Paralímpico Africano qualificou a situação.
Leonel Pinto disse que a estratégia era eleger dois candidatos africanos, mas o facto de ter passado o  queniano Jairus Mogalo é bom para o continente.

O membro do Conselho das Regiões do Comité Paralímpico Internacional afirmou que todo o trabalho foi feito para que a sua eleição fosse um facto. Admitiu ter havido alguma dispersão de votos em África e o recuar da palavra de determinados países europeus.Outro factor apontado pelo angolano é o de o continente ter concorrido apenas com 37 dos 53 países filiados no IPC, situação que, segundo ele, fragilizou perante eventual tentativa de desestabilização numa situação de votação.

“Eu perdi por três votos de diferença (73/76) o que demonstra estarmos no caminho certo. Sou persistente e, como sabem, comecei como presidente de uma Associação (hoje Comité Paralímpico), em África; comecei como presidente da SADC e hoje sou o presidente do Comité Paralímpico continental”,   sublinhou o presidente do CPA.

Olímpico
Estádio de Tóquio
vai ser reduzido


Os responsáveis pelo futuro Estádio Olímpico para os Jogos de 2020, em Tóquio, revelaram ontem, que estão a estudar a redução do tamanho do recinto, devido às críticas ao projecto faraónico desenhado pela arquitecta Zaha Hadid.O Conselho dos Desportos do Japão, que gere o estádio adiantou, que o tamanho do recinto pode ser reduzido em 70 mil metros quadrados, para 200 mil.Este anúncio surge depois de alguns membros da organização terem reunido com um grupo de especialistas para rever o projecto original do estádio, com uma capacidade para 80.000 espectadores.O projecto de Hadid consiste em demolir o Estádio Nacional, construído para os Jogos Olímpicos Tóquio de 1964, e substituí-lo por um novo com maior capacidade.

Vários sectores da sociedade japonesa criticaram duramente o projecto e, no início de Novembro, foi lançada uma iniciativa para solicitar ao governo que reduza o tamanho do projecto.Apesar da possível redução da envergadura do projecto, a organização garantiu que vai manter a capacidade de 80.000 espectadores e a intenção de construir uma cobertura amovível.O Conselho dos Desportos do Japão estima, que o novo Estádio Olímpico custe cerca de 185 mil milhões de ienes (cerca de 1.300 milhões de euros), embora o governo refira que o custo possa triplicar.

Atletismo
Rio de Janeiro’2016
com poucos atletas


Os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016, podem ter menos atletas de atletismo, em relação aos Jogos de Londres, em 2012. De acordo com o Comité Olímpico Internacional (COI), a modalidade deve ser a única que pode ter cortes no número de inscritos.Em 2012, a capital inglesa abrigou 2.231 atletas. Para 2016, há o limite de dois mil inscritos, já foi aceite pela Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF).

“Isso não é um problema para nós, isso foi resolvido após consulta connosco e com o nosso total apoio. Londres foi uma aberração e a IAAF sempre aceitou que a nossa cota olímpica era de dois mil atletas”, comentou Nick Davies, secretário-geral da IAAF, em entrevista ao “Inside The Games”.Quem também apoiou a decisão foi Sebastian Coe, ex-presidente da IAAF, um dos principais organizadores dos Jogos Olímpicos de Londres.“Para ser honesto, nós ultrapassamos a cota em Londres, pelos vistos está de volta, ao que devia ser, e estamos muito tranquilos quanto a isso”, declarou Sebastian Coe.