Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Lewis Hamilton fala em semanas desgastantes

31 de Julho, 2014

Mas esta pausa vai ser boa para recarregar e ficar em forma. Vou voltar mais forte física e mentalmente”, assegurou Hamilton

Fotografia: AFP

O britânico Lewis Hamilton promete regressar em melhor forma, depois da recente controvérsia em relação ao facto de não ter respeitado a decisão da equipa, no Grande Prémio da Hungria, quando esta lhe pediu para deixar ultrapassar o colega de equipa Nico Rosberg.

“Acho que as últimas duas semanas foram um grande desafio e um grande teste para mim. Havia muita gente a dizer que ia quebrar sob pressão, mas consegui provar que estavam errados. Ainda estou na luta e ansioso por recomeçar. Mas esta pausa vai ser boa para recarregar e ficar em forma. Vou voltar mais forte física e mentalmente”, assegurou Hamilton, que apenas se encontra a 11 pontos de Rosberg na tabela geral.

O piloto de 29 anos voltou a tocar na polémica, que quase abafou a vitória de Daniel Ricciardo e não se demonstrou arrependido da atitude que tomou no momento. “No momento, eu estava a pensar que estava na corrida e não entendia porque tinha de o deixar passar. Talvez o fizesse se eu estivesse em oitavo e ele estivesse a lutar pelo primeiro lugar. Não acho que a situação [entre os pilotos] tenha mudado.

De certeza que vamos continuar a trabalhar para ultrapassar isto, discutir e tentar entender para continuarmos a olhar para a frente”, explicou o piloto, em entrevista à “Sky Sports”. Ainda assim, o piloto de 29 anos desvalorizou uma possível alteração da estratégia, sugerida por Toto Wolf líder da equipa, no final do GP da Hungria, que acredita que a equipa vai continuar a obter bons resultados e comparou a situação com o que aconteceu no GP da Alemanha, no ano passado, quando Rosberg facilitou a sua ultrapassagem.

“A equipa já fez isso uma vez e muito bem (mudar de estratégia), mas desta vez, isso não se aplica. Eu lembro-me que talvez em Nürburgring, o Nico estava a ficar para trás, mas eu estava a fazer uma boa corrida e podia pontuar para a equipa. Desta vez, isso não estava em causa. Estamos os dois na luta e é o campeonato que está em jogo. Ainda bem que pude assegurar aqueles pontos valiosos”, concluiu.

PROCESSO POR CORRUPÇÃO
Ecclestone tenta  acordo


O patrão da Fórmula 1 Bernie Ecclestone propôs terça-feira pagar 25 milhões de euros, em indemnizações, para conseguir um acordo que ponha fim ao julgamento por corrupção, em que está envolvido na Alemanha. A defesa do empresário inglês, de 83 anos, apresentou terça-feira no tribunal de Munique, uma moção para arquivamento da acusação, em troca do pagamento de 25 milhões de euros ao banco BayernLB, noticiou a agência alemã DPA.

De acordo com a lei alemã, os procuradores podem retirar as acusações - mesmo duranteos  julgamentos em varas criminais - se todas as partes envolvidas aceitarem os termos do acordo. Ecclestone é acusado de pagar ao banqueiro alemão Gerhard Gribkowsky 33 milhões de euros em 2006 e 2007, para garantir  o controlo sobre a modalidade automóvel.

Os procuradores alemães consideram que a verba era um suborno, para assegurar que o banco BayernLB ia vender  as suas acções ao investidor, que Ecclestone queria: à CVC Capital Partners, do Reino Unido, o actual maior accionista da Fórmula 1.

O empresário inglês em tribunal  declarou-se  inocente, enfrenta uma pena máxima de dez anos de prisão, caso venha a ser condenado. Em 2012, Gribkowsky foi condenado a oito anos e meio de prisão por corrupção. Ecclestone admite ter feito o pagamento de 33 milhões, mas diz que não foi uma “luva,” mas o pagamento face a uma tentativa de chantagem.

HAMILTON
Dezenas de milhões
para renovação


O piloto britânico Lewis Hamilton revelou, através do seu agente, que pretende receber 90 milhões de euros para renovar com a Mercedes. Hamilton tem mais um ano de contrato com a equipa alemã e foi sondado sobre a hipótese de renovar. Com efeito, o britânico  sagrou-se  campeão do Mundo em 2008, pediu 90 milhões de euros para renovar o vinculo com a construtora alemã por mais três anos.

Recentemente, o seu colega de equipa e actual líder do Campeonato do Mundo de Fórmula 1, Nico Rosberg, renovou pela Mercedes. No entanto, o contrato de Rosberg, assinado há duas semanas, impõe um valor de “apenas” 55 milhões de euros.

O interesse em Hamilton não se resume apenas à Mercedes. O antigo campeão do Mundo é visto como uma possibilidade para o monolugar da McLaren. A equipa inglesa vê com bons olhos o regresso de Hamilton, que se sagrou campeão ao serviço da McLaren.